Prêmio Pecuária Saudável divulga vencedores das ações de educação e comunicação da defesa sanitária animal

A Comissão de Educação Sanitária, da Superintendência Federal de Agricultura de São Paulo (SFA-SP), conquistou o segundo lugar na categoria Instituição Pública

Foram anunciados os vencedores das três categorias do “Prêmio Pecuária Saudável – Educação e Comunicação para Defesa Sanitária”. Ao todo, 49 projetos de instituições públicas, privadas e do terceiro setor foram inscritos no concurso. Por conta da pandemia da Covid-19, o anúncio ocorreu forma online e os vencedores de cada categoria receberão certificado de premiação e um tablet.  

A iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), reconhece, premia e dissemina as boas práticas organizacionais e profissionais voltadas à educação e comunicação social em apoio às ações de defesa sanitária animal.

Na categoria instituição privada, o primeiro lugar foi para o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Mato Grosso do Sul com o projeto “Programa de Educação Sanitária e Saúde Animal do Senar”. Voltado para produtores rurais, técnicos, estudantes e demais interessados no setor agropecuário, o programa busca desenvolver ações destinadas à redução de riscos zoossanitários. Em segundo lugar, ficou a “Cartilha do Produtor”, do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do Rio Grande do Sul (Fundesa). O terceiro lugar para “A Literatura de Cordel na Educação Sanitária”, da UniNordeste Caucaia (Ceará), com destaque para a professora Vanessa Porto Machado. 

Já na categoria instituição pública, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf-ES) ganhou com o projeto “Plano Estadual de Educação e Comunicação em Saúde Animal – 2020-2021”. O projeto busca fomentar a notificação de suspeitas ou ocorrências de doenças em animais de produção por meio de ações educacionais e de comunicação social.

O segundo foi conquistado pela “Comissão de Educação Sanitária (CES)”, da Superintendência Federal de Agricultura de São Paulo (SFA-SP), que promove capacitação, promoção e execução de projetos destinados focados no fortalecimento da educação sanitária para os mais diversos públicos do agro. O terceiro lugar com o projeto “Sanitarista Júnior”, da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca do Governo de Santa Catarina.

O projeto “Educar brincando”, do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa), foi o vencedor da categoria terceiro setor. A instituição busca formar multiplicadores em educação sanitária. 

Os segundo e terceiro colocados de cada categoria irão receber certificados de premiação.

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal, destacou a importância da promoção educação sanitária. “Parabenizo a todos que participaram, em especial aos vencedores do prêmio, que com a realização dessas práticas em apoio às ações de defesa sanitária animal contribuem na proteção do rebanho pecuário nacional”.

Já o coordenador do Grupo de Trabalho de Sanidade Animal da CNA, Maurício Saito, ressaltou que “por meio de ações educativas, de conscientização e de comunicação, o Brasil estará cada vez mais próximo de uma importante conquista que é uma pecuária sustentável, eficiente e transformadora”.

O presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti de Almeida, citou a oportunidade de conhecer o que vem sendo realizado em todo país em prol da educação e da comunicação da sanidade animal. “Por tudo que conquistamos e desejamos para o futuro do país, esse prêmio mostra o quanto avançamos”.

Comissão de Educação Sanitária

A comissão foi criada há dez anos e atua em iniciativas para a prevenção de problemas sanitários no estado de São Paulo, por meio de palestras, encontros e publicações que orientam produtores rurais a evitar problemas sanitários graves nas propriedades.

A ação mais recente foi o lançamento de uma publicação para orientar produtores a adotar boas práticas no uso de produtos veterinários. Com as dicas repassadas, eles evitam a resistência a medicamentos e a presença de resíduos químicos em alimentos.

“Essa premiação é um importante reconhecimento de que a complementaridade obtida por meio da articulação interinstitucional entre entidades públicas, privadas, instituições de pesquisa e de ensino é uma ferramenta poderosa para ampliar o alcance das nossas ações na promoção e ampliação do conhecimento voltado à educação sanitária”, enfatizou a superintendente federal de Agricultura de São Paulo, Andréa Figueiredo Procópio de Moura.

Segundo ela, os trabalhos desenvolvidos pela Comissão são motivo de muito orgulho para a SFA-SP. “São um exemplo de excelência na prestação de serviço à sociedade e à agropecuária nacional por meio da educação”.

Fonte: Mapa

Últimas notícias

Valor da contribuição mensal do MEI vai aumentar em fevereiro

Os microempreendedores individuais devem ficar atentos ao reajuste na contribuição mensal, que passa ...

Impacto ambiental urbano pode ser maior que do agro

O Brasil teve um ano de destaque no direito ambiental e terá que ...

Produção de café deve atingir 55,7 milhões de sacas na safra de 2022

Os produtores de café deverão colher a terceira maior safra do grão neste ...

Produtores celebram colheita e resultados da primeira safra de Uvas em Guarapari

Sandra Butke, em suas parreiras no início da produção. Para diversos produtores rurais ...

Ceasa-ES orienta produtores sobre armazenamento adequado de alimentos

A ação, que teve início na última quinta-feira (13) e tem previsão de ...