Silagem: sinônimo de nutrição de qualidade na época da seca

Marco Aurélio de Oliveira Pádua, engenheiro agrônomo da Matsuda Minas e  Embrapa Caprinos e Ovinos

Estamos num período em que não falta alimento para o gado no pasto, mas, é nesse momento de fartura que se deve pensar na estação seca, quando não haverá comida em abundância e a alimentação do animal se torna mais cara. Um dos modelos mais tradicionais de armazenar alimentação para gado é a confecção de silagem, que consiste numa forragem que é cortada, compactada, vedada e armazenada em silos para fermentação. Conhecida como suplementação volumosa, a silagem, quando bem feita tem o valor nutricional semelhante ao material original, por isso a importância na hora da colheita e processamento.

A colheita no momento ideal é muito importante, pois é quando a planta acumula a maior quantidade de matéria seca e de melhor qualidade nutricional, caso o corte não seja realizado nesse momento a planta começa a perder qualidade e, consequentemente, se for ensilada irá proporcionar uma silagem pouco aproveitável. O período de colheita vai variar conforme a planta que está sendo ensilada. Para milho, por exemplo, esse período pode ser de Janeiro a Abril dependendo da época em que foi realizado o plantio

Para se ter silagem de alta qualidade é necessário estar atento a alguns pontos básicos que se relacionam com a atividade, tanto na fase de produção (que vai da análise de solo até o ponto de corte) como na fase de ensilagem (que vai do corte até a vedação do silo. O ponto de corte das plantas é fundamental para se obter uma silagem de qualidade. Esse ponto indica o momento em que a planta deve ser colhida no campo. O ponto de corte varia conforme a planta que está sendo utilizada e, para as principais forragens. utilizadas segue uma recomendação. 

Problemas com a entrada de ar e água são os principais responsáveis pela perda de qualidade durante esta etapa. A vedação rápida e completa é um ponto importante para se ter silagem com alto valor nutricional; já a má vedação do silo geralmente pode provocar fissuras na lona, resultando em deterioração acentuada da massa superficial do silo, uma vez que a presença de ar, aliada a entrada de água, favorece o crescimento de microrganismos envolvidos com o processo de deterioração. Para o fechamento do silo deve-se utilizar, de preferência,  lonas dupla face e com espessuras de 200 a 400 micrase a proteção das mesmas com material que permite aderência à massa ensilada como sacos de areia, pneus ou terra, técnicas necessárias para evitar os problemas acima citados.

O milho e o sorgo são as culturas mais adaptadas ao processo de ensilagem resultando em silagens de boa qualidade. Outras opções de forragens para produção de silagem são o capim elefante que é muito utilizado em regiões de pecuária leiteira devido a sua produtividade e os capins tropicais que apresentam menor custo; geralmente 50% do custo da silagem fresca de milho ou de sorgo. 

O produtor deve fazer um bom planejamento de como fazer uma boa silagem definindo qual forragem utilizar (milho, sorgo, cana de açúcar, capim elefante, forrageiras tropicais) calcular o quanto de silagem ele precisa produzircom base no número de animais, o período de utilização da silagem e definir o tamanho da área de plantio.  Organizar, antecipadamente, equipamentos e materiais utilizados na confecção do silo. (ensiladeiras, carretas, limpeza do silo etc) tudo isso fará com que o produtor não tenha problemas no período de ensilagem e, com isso, consiga produzir uma silagem de qualidade.

Passo a passo de uma silagem bem feita, neste exemplo de Milho: 

Colheita –O ponto ideal de colheita é quando a planta possui 30-35% de matéria seca (MS) ou 65 a 70% de umidade. Esse estágio é, geralmente, atingido quando a linha do leite está entre 1/2 e 2/3 do grão. 

Picagem –Em uma silagem de boa qualidade, o que se procura é picar o material em tamanhos de partícula de 0,8 a 1,5 cm, mantendo um tamanho médio de 1 cm.

Enchimento – O enchimento do silo deve ser feito o mais rápido possível para que a fermentação do material aconteça de forma homogênea. Para isso, o produtor deve planejar a logística para utilização de máquinas e mão de obra.

Compactação – É a etapa mais importante do processo. Nesta fase ocorre a expulsão de oxigênio de dentro do silo, que pode ser feita de várias maneiras: pisoteio animal ou humano; ou ainda com uso de tratores, rolos ou tambores compactados.

Vedação – A última fase do processo de ensilagem consiste no fechamento do silo com lona plástica, material vegetal morto e terra. Deve ser muito bem feita para impedir a troca de oxigênio entre o ambiente e o material ensilado. A cobertura de lona plástica com material vegetal seco e terra é muito importante para aumentar a durabilidade da lona e diminuir o aquecimento da superfície do silo, que pode ocasionar perda do valor nutricional da silagem.

Mais da coluna

Saúde do solo: um novo horizonte para o agro

Antonio Luis Santi é diretor técnico da ConnectFarm e professor da Universidade Federal ...

O etanol do Brasil na luta contra mudanças climáticas

João Guilherme Sabino Ometto é engenheiro (Escola de Engenharia de São Carlos - ...

Prontos para um novo ano de muitos resultados

Ronaldo Scucato, presidente do Sistema Ocemg Os tempos são de pandemia, mas também ...

A hora e a vez de emprenhar as vacas

Julliano Pompei, médico veterinário do Grupo Matsuda Uma estação de monta clássica dura, ...

Seria o boi um vilão ambiental? Fato ou mito?

Xico Graziano Engenheiro agrônomo, doutor em Administração, professor de MBA na FGV e ...