Uso do ultrassom para diagnóstico de gestação em novilhas e vacas leiteiras

Diogo Vivacqua de Lima

Médico Veterinário

Em uma fazenda onde a principal fonte de renda é a produção do leite, o produtor tem que se atentar com o manejo reprodutivo em sua propriedade, pois as vacas precisam primeiramente emprenhar e posteriormente, após o parto, começar a produzir o leite.

E como saber se a novilha ou vaca ficaram gestantes? É só fazer a observação de cio e verificar se o touro realizou a monta nessas fêmeas? O produtor vai realmente ficar esperando os 282 dias de gestação para saber se realmente essas fêmeas vão parir? O ideal seria que um médico veterinário fosse até a propriedade para fazer o diagnóstico de gestação, pois é o único profissional apto para realizar tal procedimento.

A ultrassonografia é uma ferramenta que possibilita o médico veterinário ser mais conclusivo nos exames e não deixa sequelas para o gado ou para o feto, no caso das vacas ou novilhas gestantes.

Para se fazer esse diagnóstico de gestação deve-se colocar a vaca ou novilha no tronco de contenção e o médico veterinário pode fazer o diagnóstico de duas formas: por palpação simples ou pela técnica da ultrassonografia. A palpação manual foi a técnica feita durante muitos anos, porém vem diminuindo, devido a maior precisão do diagnóstico com o ultrassom. No meio da década de 90 começou a utilização do ultrassom para melhorar controle do manejo reprodutivo do rebanho, pois com o uso dessa nova ferramenta pode-se fazer:

  • Diagnóstico precoce (com 30 dias) e acompanhamento da gestação;
  • Avaliação dos ovários (desenvolvimento folicular e corpo lúteo);
  • Diagnóstico de patologias do trato reprodutivo feminino (útero e ovários);
  • Sexagem do feto;
  • Ocorrência de gestações múltiplas (partos gemelares).

Para o produtor é um investimento que compensa por ter uma excelente confiabilidade nos diagnósticos. Uma propriedade que não faz o uso da ultrassonografia para diagnóstico de gestação de suas vacas e novilhas pode ter algumas fêmeas nessa situação:

Uma vaca de produção média de 10 litros de leite/dia, produziria leite durante 300 dias (período de lactação), com uma produção média de 3000 litros de leite. Supondo que o litro do leite seja vendido a R$1,40, essa vaca dará o retorno de R$4.200,00 reais e mais a bezerra ou o bezerro. Se esta vaca estiver “vazia”, ou seja, não gestante, ela vai gerar um prejuízo de aproximadamente R$6000,00 reais com a ausência do leite e da bezerra ou bezerro. Se esse produtor tiver em seu rebanho, 10 (dez) vacas nessa situação de “vazias”, o prejuízo será de aproximadamente R$60.000,00 por ano. Por isso é válido que o produtor tenha uma assistência técnica de um médico veterinário em sua propriedade para fazer o diagnóstico de gestação precoce com o ultrassom na propriedade leiteira e assim, aumentar sua produção de leite e o número de bezerros e bezerras.

Mais da coluna

Rentabilidade da pecuária pode ser maior do que de aplicações financeiras

João Gabriel Balizardo Carvalho, Médico Veterinário do Grupo Matsuda Mesmo com o aumento ...

Devastação ambiental continua alarmante, mas a boa notícia é que a pecuária tem a solução

Marisa Sevilha Rodrigues é jornalista , CEO da agência Táxi Blue e idealizadora ...

Saúde do solo: um novo horizonte para o agro

Antonio Luis Santi é diretor técnico da ConnectFarm e professor da Universidade Federal ...

O etanol do Brasil na luta contra mudanças climáticas

João Guilherme Sabino Ometto é engenheiro (Escola de Engenharia de São Carlos - ...

Silagem: sinônimo de nutrição de qualidade na época da seca

Marco Aurélio de Oliveira Pádua, engenheiro agrônomo da Matsuda Minas e  Embrapa Caprinos ...