Wellington Luiz Pompermayer

Poderão as fazendas verticais revolucionar a agricultura familiar?

 A mudança é algo constante em nossas vidas. Com a atual situação mundial, certamente, irão ocorrer de maneira mais rápida e constante. Para acompanharmos essas mudanças temos que ser dinâmicos e usar as tecnologias adequadas ao nosso setor. Uma dessas tecnologias para otimizar a produtividade na agricultura são as fazendas verticais. 

Você já deve ter visto aquelas reportagens sobre desmatamento e o efeito das plantações neste fenômeno. A fazenda vertical muda a lógica de expansão do crescimento da lavoura, fazendo ela crescer para cima e não para os lados. Além disso, ela pode aproveitar edificações sub-utilizadas em centros urbanos, restaurando a produtividade e vida econômica do local. 

Neste artigo, elencamos algumas das principais informações sobre fazenda vertical que você precisa conhecer. 

A fazenda vertical consiste num método de produção agrícola que utiliza edificações com vários pavimentos. A ideia foi desenvolvida pelo biólogo Dickson Despommier pesquisador da Universidade de Columbia, Nova Iorque. Ela foi pensada, inicialmente, para centros urbanos, pois o cientista notou que o campo ficará cada vez mais vazio e a necessidade de abastecer as cidades aumentará. Dessa maneira, a fazenda vertical pode ser uma excelente solução para este problema. 

Todavia, a alternativa também pode ser muito interessante para pequenos produtores rurais, pois permite ampliar a área de cultivo sem, necessariamente, comprar mais terra. Assim, a fazenda vertical é um conceito, técnica e solução, feita e pensada para os novos tempos. 

Essa técnica apresenta uma série de vantagens para o novo contexto de produção rural que temos no século XXI. Entre os principais benefícios, podemos apontar o aumento de produtividade, otimização do espaço, sustentabilidade para a agricultura familiar e os pequenos empreendimentos rurais. A seguir explanaremos sobre alguns deles. 

Aumentar a produtividade é o grande desejo de todos os empreendedores no século XXI, estejam eles inseridos no meio agrícola, serviços ou indústrias. Entretanto, engana-se quem pensa que a produtividade está relacionada exclusivamente com o aumento de produção. Ela também está diretamente ligada à qualidade do produto e dos serviços ofertados pelo empreendedor. 

Na agricultura, estes produtos são aqueles de origem animal ou vegetal. É necessário que o produtor rural fique atento quanto às novas exigências do mercado, busque evitar a utilização de agrotóxicos e ofereça produtos mais naturais, orgânicos e ecologicamente corretos. 

A fazenda vertical, por precisar necessariamente do aumento de produtividade, por conta do pouco espaço, utiliza técnicas que se assemelham às estufas, em que o aproveitamento da luz natural é complementada com a iluminação artificial e refletores metálicos, além da prática do cultivo do tipo indoor, que permite a produção durante o ano inteiro. 

Outro ponto que devemos destacar é a melhora da logística que este tipo de técnica dá ao negócio, pois torna-se dispensável percorrer centenas de quilômetros entre o local de produção e os centros de distribuição, o que economiza tempo e dinheiro. 

O plantio vertical oferece a possibilidade de manter uma lavoura que utiliza pouquíssimo espaço, mesmo estando localizadas em áreas urbanas consolidadas. Dessa forma, a fazenda vertical surge para dar uma solução para ambos os problemas, possibilitando a produção de produtos agrícolas mesmo em espaços reduzidos. 

Temos exemplos de fazendas verticais no mundo? 

O número é pequeno, mas as poucas fazendas verticais implementadas já são animadoras. Além disso, há uma grande variedade de projetos de fazenda vertical planejados para o futuro. 

Um exemplo de Fazenda Vertical é a construída pela AeroFarms, em Newark, New Jersey, EUA. Como destaque, podemos citar o cultivo baseado numa grande variedade de verduras folhosas, ideal para abastecer a cidade com vegetais frescos. Quando a luz solar está ausente, a empresa utiliza lâmpadas de LED. A empresa afirma que utiliza 95% menos água do que uma fazenda tradicional, graças ao seu sistema de nebulização de raízes. 

Outros exemplos de projeto de Fazenda Vertical, destacam-se o Dyv-Net, na China, Urbanana em Paris e Plantagon na Suécia. A primeira se destaca por seu formato em cilindro, além de utilizar técnicas que são utilizadas no cultivo do arroz e a possibilidade de realizar rotação de cultura de acordo com as estações do ano. A francesa, se destaca por sua fachada translúcida, que permite a entrada de luz natural e a potencialização do efeito estufa, o que reduz o consumo de energia elétrica. Por fim, a fazenda vertical sueca se destaca por seu formato em forma esférica e o conceito que permite a plantação de diversos produtos, diferenciando-os por cada andar. 

Mais da coluna

A educação supera qualquer crise

Sempre ouvimos falar que educação é a base de um país melhor e, ...

Como inovar no setor mais importante do país?

O agronegócio sempre foi um dos pilares da economia e movimenta bilhões de ...

Afie seu machado

O agronegócio tem alavancado a economia brasileira e cada vez mais ampliará sua ...