A importância do tratamento homeopático em animais

Low angle portrait of cute dog resting on rug and looking forward with interest. Father and son are playing checkers on background

A homeopatia veterinária é um tratamento terapêutico que atua nos problemas físicos e comportamentais. Sua atuação pode ser em caráter preventivo, curativo e melhora o desempenho animal, o que incrementa a produção. Nos animais de companhia, permite equilíbrio da saúde física e comportamental, promovendo indiretamente a saúde dos humanos que convivem com os pets.

Considerada uma terapêutica sem resíduos, o tratamento ajuda na garantia da qualidade dos alimentos, atendendo aos mais exigentes mercados que buscam produtos de origem animal sem resíduos e com respeito ao bem-estar. O procedimento não possui efeitos colaterais, resistência microbiana e age preservando o organismo do paciente e o meio-ambiente. Atua também no equilíbrio orgânico, diminuindo o estresse em todas as suas dimensões (térmico, de manejo, nutricional e ambiental), resultando na promoção “limpa” da saúde animal.

A homeopatia foi a primeira especialidade médico-veterinária a ser reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), em 2000; e os trabalhos de médicos-veterinários nesta área já são reconhecidos mundialmente.

Em celebração ao Dia Mundial da Homeopatia (10 de abril), o CFMV entrevistou a médica-veterinária Mônica de Souza, ex-presidente da Associação Médico Veterinária Homeopática Brasileira (AMVHB). Veja abaixo algumas perguntas respondidas pela profissional.

Em quais áreas da Medicina Veterinária a homeopatia é aplicada?

Em todas: clínica, cirurgia de grandes e pequenos animais, produção animal, piscicultura, apicultura e no meio ambiente, na melhora da qualidade de carne e leite. É possível tratamento ambiental de animais silvestres em seu habitat, através da administração de homeopáticos em mananciais de água, conforme trabalho realizado na contenção da febre amarela silvestre em primatas, na cidade de São Paulo. Promove a cura, a melhora qualidade de vida em todos seus aspectos, alivia o que não pode ser curado, não há risco de intoxicação, não gera resíduos para o ambiente, é uma terapêutica 100% natural.

Como a homeopatia trabalha o animal como um todo, ela pode contribuir para a redução de doenças e melhorar a qualidade de vida. Quando a enfermidade não tem cura, a homeopatia trará diminuição dos sinais clínicos, permitindo que o animal se sinta melhor. A homeopatia não é capaz de curar o incurável, porque não é milagre e sim ciência médica. Porém, a sensação de bem-estar, está garantida, desde que o médico-veterinário acerte a medicação

Em quais tratamentos a homeopatia veterinária pode ser indicada?

Em todos os casos, salvo problemas que precisam ser resolvidos com intervenções cirúrgicas ou imobilizações, e nas doenças incuráveis. No entanto, a homeopatia é eficaz na prevenção e no controle de dor, inflamações, infecções secundárias e outras intercorrências pós-cirúrgicas.

Casos de sucesso são incontáveis. Na clínica de pets, o desvio comportamental de coprofagia, a eliminação de papilomatose oral, o tratamento de desvios de comportamento como a agressividade e o medo de ruídos altos são alguns dos tratamentos com sucesso. Mas a utilização da homeopatia na pecuária de corte que nos dá a real dimensão da especialidade, pois a ação ocorre em milhares de animais, através da administração na comida ou na água.  Isso demonstra que não há efeito placebo, porque os animais não sabem que estão sendo tratados. O controle de infestação de carrapatos em um rebanho de 26 mil cabeças de bovinos da raça Aberdeen Angus, o controle de desvios de comportamento em bois não castrados (sodomia ou bull steer syndome) em 11 mil bovinos em sistema de confinamento e a promoção de melhoria da cobertura de gordura de carcaça em animais magros são algumas das ações da homeopatia, com trabalhos científicos que comprovam essa ação.

Conheça alguns dos principais mitos da homeopatia

“A homeopatia é lenta”

MITO – O medicamento homeopático respeita a velocidade orgânica. Começa a agir assim que entra em contato com o corpo e pode produzir efeitos visíveis em segundos ou levar semanas para demonstrar modificações externas, na dependência de cada caso clínico. Então, se o caso clínico é agudo, o animal reage muito, muito rápido. Se a questão é crônica ou comportamental, pode demorar um pouco mais. Existe também diferença entre as espécies. No caso dos animais silvestres, a resposta é muito rápida. Nas aves, cujo o metabolismo é rápido, as respostas à homeopatia são surpreendentemente rápidas. Em répteis, no qual o metabolismo é mais lento, a resposta é um pouco mais lenta. Os animais de produção e equinos também têm uma resposta muito rápida aos tratamentos.

“Há necessidade de dar medicação de hora em hora”

MITO – O número de tomadas vai variar de acordo com o problema. em casos crônicos, o animal tomará a medicação de forma mais espaçada, mas vai depender da conduta de cada profissional homeopata.

“A homeopatia não tem pesquisa”

MITO – Grande engano. Muitas vezes o indivíduo não procura nas bases corretas e com os termos corretos. Não basta buscar no Google. Há um trabalho científico que compara as décadas e a produção científica da homeopatia na pesquisa básica e o Brasil na última década do estudo foi o país que mais produziu material científico nessa área, seguido pela Índia, Alemanha e França.

“A homeopatia é placebo”

MITO – O pior cego é aquele que não quer ver. Os resultados da homeopatia são impressionantes. Trabalho há mais de 20 anos somente com homeopatia e consegui meus títulos de mestrado doutorado e pós-doutorado com pesquisas com homeopatia e todas publicadas. Mas pode-se falar também sobre os trabalhos em granjas, onde as galinhas não sabem o que tomam e têm a sua imunidade modulada pela homeopatia, como explicar? As plantas que recebem homeopatia e têm um crescimento mais significativo do que as plantas que não recebem, como explicar? Um animal com insuficiência renal crônica, que tem um período estimado de vida de no máximo um ano (na dependência da gravidade do quadro), e vive com qualidade de vida por mais cinco anos com os medicamentos homeopáticos, como explicar?  E finalizo falando sobre a importância de acertar a medicação, pois se o medicamento não for o bem indicado, não haverá resposta, pois, a medicação que está errada. Assim como muitas vezes um antibiótico não consegue exterminar uma bactéria e é necessário outro antibiótico, com a homeopatia, às vezes, não há resposta, pois a medicação está incorreta e precisa ser mudada.

Fonte: CFMV

Últimas notícias

Operação Colheita apreende armas, drogas e prende 25 criminosos no Estado

Cerca de dois meses após o início das ações, a Operação Colheita, lançada ...

Inmet disponibiliza plataforma de monitoramento de estimativa de geadas no Brasil

O mapa indica a possibilidade da ocorrência de geada, baseada na temperatura mínima ...

Frutas, castanhas e verduras nativas do Brasil estão em nova lista de espécies da sociobiodiversidade com valor alimentício

São considerados produtos da sociobiodiversidade os bens e serviços gerados a partir de ...

Cafés do interior capixaba serão comercializados em evento na Praça do Papa

O café, além de ser fonte de energia, também é fonte de lucro ...

Pif Paf Alimentos compra a Uniaves para ampliar oferta de produtos

Dando sequência à execução do seu plano estratégico de crescimento, a Rio Branco ...