Açaí e muito Brasil em espaço gastronômico de Dubai

Foto: Fabio Sian Martins / Embrapa

O Projeto Açaí foi criado por Ayman Ghanam, em 2017. O empresário já morou no Brasil e levou as influências do País para o negócio familiar nos Emirados

Açaí, tapioca, cacau e café do Brasil são alguns dos produtos que Ayman Ghanam, fundador e CEO no Projeto Açaí, quer comercializar em seus espaços, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A marca foi criada em 2017 e, além do nome em português, também carrega a influência brasileira nos ingredientes, cardápio e estética rica em cores.

Anúncio

A enxurrada de referências é porque o empresário já esteve por diversas vezes no Brasil, e buscou na fonte todos esses detalhes que trouxe depois para o negócio da família. “Eu já tinha visitado o Brasil várias vezes e estava comendo açaí em casa. Minha família tinha uma pequena lanchonete que não estava indo bem e decidimos que a melhor forma de tentar salvar o negócio era começar nosso projeto de açaí”, revelou ele à ANBA.

Anúncio

Mas a experiência de Ghanam em solo brasileiro não ficou apenas no turismo. “Já morei no Brasil e falo português! Morei no Rio de Janeiro e tenho muitos amigos lá. Meu coração é brasileiro. Eu volto todos os anos e visitei muitos estados diferentes, incluindo o Pará, onde compramos nosso açaí. Eu amo o povo brasileiro, a música, a cultura e a natureza do Brasil é muito especial para mim, é o meu lugar favorito na terra. Já surfei em vários estados do Brasil, experimentei muitas comidas diferentes, desde moqueca capixaba até acarajé da Bahia e churrasco do Rio Grande do Sul. Espero experimentar mais do que o Brasil tem a oferecer, cada estado é único e tem seu próprio sabor e cultura”, declarou ele sobre a ligação que sente com o País.

Sobre suas origens o empresário se define como uma mistura. Meu pai é árabe, minha mãe é britânica-italiana e eu cresci principalmente em Dubai”, contou ele. O primeiro ponto da empresa foi fundado no bairro da Dubai Marina. A marca tem hoje sete unidades e algumas delas contam com investidores parceiros do fundador.

Comida saudável e brasileira

O jovem vê como está aquecido o mercado de cafeterias e estabelecimentos que servem produtos saudáveis nos Emirados. “Dubai é muito competitiva e rápida, mas esta é uma desvantagem de muitas vantagens. Se você permanecer fiel a si mesmo, oferecer algo único com um bom serviço, você conseguirá. Depois disso, muitos podem tentar copiá-lo, mas isso o mantém de pé!”, destacou ele, que aposta no setor e busca ele próprio um estilo de vida saudável.

O principal produto da marca vem direto de terras brasileiras, mais precisamente do norte do País. “Nosso açaí é de Belém, no Pará. Nós temos uma cadeia de suprimento muito forte por termos um bom consumo e termos aprendido com nossos próprios erros”, disse ele.

O espaço serve, ainda, comidas tipicamente brasileiras como a tapioca em diversas versões. No momento, o empresário segue buscando novos parceiros e fornecedores em solo brasileiro. “Procuramos [itens como] nibs de cacau e café, entre em contato se você pode ter um bom produto com preços competitivos!”, convida ele aos produtores do Brasil.

Ainda sobre a alimentação saudável no país onde reside e trabalha, Ghanam acredita que o cenário já é positivo agora e tem um futuro promissor. “Dubai é um mercado muito avançado [em relação a alimentos saudáveis] com consumidores muito experientes. A comida saudável está em alta e Dubai está se tornando um lugar que está definindo a tendência, em vez de seguir a tendência”, disse.

Com essa demanda e possibilidades para trabalhar, Ghanam quer agora valorizar outro pilar da Projeto Açaí, suas raízes brasileiras. Esperamos compartilhar a bela comida e cultura do Brasil com o resto do mundo árabe e, eventualmente, com o resto do mundo”, concluiu.

Fonte: Agência de Notícias Brasil-Árabe

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Estudo procura ferramentas para ajudar cafeicultores do ES no combate à ferrugem

Foto: Acervo da Pesquisa Uma pesquisa da Ufes está criando um sistema para ...

Dois novos cursos de doutorado aprovados na Ufes em Alegre e Maruípe

A Capes aprovou dois novos cursos de doutorado na Ufes, um em Nutrição ...

Exportações do agro do Espírito Santo crescem 83% no primeiro semestre de 2024

Foto: Freepik Nos primeiros cinco meses de 2024, o agronegócio do Espírito Santo ...

Casos suspeitos de doença de Newcastle na zona de proteção são descartados no Rio Grande do Sul

Foto: Freepik Três casos suspeitos de doença de Newcastle (DNC) foram descartados após ...

Feira de Agronegócios Cooabriel tem projeção milionária de negócios

Foto: Cooabriel A Feira de Agronegócios da Cooabriel, realizada pela cooperativa e considerada ...