Ação preventiva testa sirenes da Usina Hidrelétrica de Aimorés, na bacia do Rio Doce

Os moradores das cidades de Aimorés, em Minas Gerais, e de Baixo Guandu, no Espírito Santo, devem ouvir, entre os dias 25 e 29 de julho, novos testes das sirenes instaladas nessas regiões. Trata-se da continuidade da ação preventiva relacionada ao Plano de Ação de Emergência (PAE) da Usina de Aimorés, pertencente à Aliança Energia, localizada na Bacia do Rio Doce.

Dessa vez, os testes no sistema de alerta acontecerão com acionamentos individuais em algumas das sirenes, pela manhã e à tarde e, no último dia, 29 de julho, todas as sirenes serão testadas conjuntamente, às 14h30. Segundo o coordenador da Usina Hidrelétrica de Aimorés, Adilison Melo, não há necessidade de deslocamento dos moradores para pontos de encontro ao ouvirem a sirene.

“De 25 a 28, quatro sirenes serão testadas, os moradores poderão ouvir o toque delas, no padrão antigo, caso estejam localizados dentro de um raio de aproximadamente 2 km de distância das estações remotas ou torres onde elas estão instaladas. Apenas duas dessas sirenes estão em área urbana, no bairro Igrejinha, em Aimorés, e no bairro São Pedro, em Baixo Guandu. As outras duas são na área rural”, explica. Poderão acontecer até cinco acionamentos de cada sirene, entre 9h e 11h e, se necessário, repetidos entre 14h e 17h.

Já no dia 29, todas as sirenes localizadas em Aimorés e Baixo Guandu serão testadas em conjunto e a população ouvirá uma mensagem de voz informando sobre o início da ação, seguida de uma música que tocará por alguns segundos. Logo após, a mensagem de voz indicará a conclusão do teste.

Ainda de acordo com Adilison Melo, os testes fazem parte da ação preventiva do Plano de Ação de Emergência (PAE) e ocorrerão nesse formato para realizar ajustes finais nas quatro sirenes e para validação do correto funcionamento do sistema de alerta.

Representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e da equipe da Aliança Energia compõem o grupo de trabalho que tem uma rotina de acompanhamento de mais essa ação preventiva.

A Usina Hidrelétrica de Aimorés está classificada como de baixo risco e suas estruturas atendem plenamente aos fatores de segurança, conforme Relatório da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Plano de Ação de Emergência (PAE)

O Plano atende à Política Nacional de Segurança de Barragem e à Política Nacional de Proteção e Defesa Civil. Consiste em um documento com as diretrizes de como a Aliança Energia deve agir em uma situação de emergência com as barragens da Usina de Aimorés, bem como devem acontecer as interações com os órgãos de proteção e Defesa Civil. Os municípios localizados abaixo das barragens já possuem um sistema de alerta e de prevenção para que a população seja avisada de forma eficaz no caso de alguma intercorrência.

Últimas notícias

Concurso de Qualidade de Amêndoas de Cacau Capixaba chega à etapa de visita das propriedades

As visitas às 12 propriedades classificadas na 6ª edição do Concurso de Qualidade ...

Festival Aracruz Sabores começa nesta quinta-feira (11)

Foto: Arquivo Secom / Aracruz O evento vai reunir sabores, cerveja artesanal, vinhos, ...

Método simples e barato monitora qualidade da água em viveiros de tilápias

Photo: Gabriel Pupo Nogueira Cientistas utilizam bentônicos, organismos invertebrados indicadores de qualidade da ...

Produção de cacau volta a crescer no Brasil, após controle de vassoura-de-bruxa e outras doenças

Foto: Shutterstock Composition with cocoa pod and products on wooden background, top view ...

Setor de distribuição de insumos está apreensivo com os desafios deste ano

Foto: iStock “O setor de distribuição de insumos agrícolas, que comemorou um 2021 ...