Algodão brasileiro já é negociado para 2023

Tradicional no mercado do algodão, a Bolsa Brasileira de Mercadorias já registra negócios de compra e venda da fibra com entrega para 2023 de aproximadamente 10 mil toneladas de algodão negociadas por diferentes corretoras associadas. Uma delas, é Santiago Cotton, de Belo Horizonte (MG).

“Os grandes produtores já vão se protegendo e fazendo a antecipação de todo planejamento. Mesmo com os preços não sendo tão convidativos para 2023, os negócios são realizados com ‘preços a fixar’. Com a venda antecipada, o produtor se protege e já faz o planejamento a longo prazo e, assim, ele pode trabalhar com mais calma”, declarou Eduardo Santiago, um dos sócios da corretora.

Continua após o anúncio

Na última semana, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu a estimativa para os estoques de passagem de algodão em pluma, enquanto no Brasil, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou a produção em 2.342 milhões de toneladas, o que representa uma baixa de 22% frente a safra 2019/2020.

Segundo especialistas, o mercado já precificou esses dois fatores, mas novas altas ainda poderão ser vistas. “A produção não está acompanhando o consumo e o cenário é de alta. Acreditamos que ainda há espaço para o produto subir, especialmente pela situação climática nos EUA e por questões políticas entre China e Austrália, o que interferiu no comércio entre os dois países”, explanou.

No cenário local, estados como São Paulo e Minas Gerais já iniciaram os trabalhos de colheita no campo. Na Bahia, a projeção é de redução da área plantada para a próxima safra. “Havia uma previsão de redução de produtividade e qualidade do algodão na safra 2020/2021 mas, após uma reunião entre agrônomos brasileiros, foi possível perceber que a produção será menor somente em função da área plantada reduzida, a qualidade não deve ser afetada graças a tecnologia”, explicou o corretor.

Ainda segundo Santiago, esse fator não representa um risco de desabastecimento no mercado interno. A Bolsa Brasileira de Mercadorias é responsável por comercializar mais de 60% da produção nacional de algodão.

Fonte: Bolsa Brasileira de Mercadorias

Últimas notícias

Cadeia produtiva do café é homenageada na Assembleia Legislativa do ES

O jornalista, apresentador e diretor da Revista Negócio Rural, Bruno Faustino, foi um ...

Sementes de Palmeira Juçara serão lançadas por pilotos durante Voo Livre em Alfredo Chaves

Mais de 300 mil sementes de Palmeira Juçara foram doadas pelo Instituto Capixaba ...

Mapa registra mais 20 defensivos de controle biológico, incluindo produtos para uso na agricultura orgânica

Em 2022 já foram registrados 36 produtos de baixa toxicidade para o controle ...

Evento em Vitória destaca a importância da agricultura familiar capixaba

A agricultura familiar é uma das responsáveis por contribuir com os alimentos que ...

Avião caracterizado de abelha decola em homenagem aos maiores polinizadores do planeta

Piloto de aviões agrícolas há mais de 40 anos, José Paulo Garcia fez ...