Aplicativo ajuda agricultores familiares na gestão e comercialização de produtos

O Demetra é como um caderno de campo digital, onde o produtor rural pode visualizar em tempo real a produção, coletar dados do campo e rastrearem todos os acontecimentos do cultivo. 

Reinventar as relações de trabalho e comercialização tem sido um exercício frequente para vários setores do agro que tiveram suas atividades impactadas pela pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Nesse contexto, as tecnologias disponíveis para os produtores como, por exemplo, os aplicativos, passaram a ser não apenas uma vantagem, mas uma necessidade especialmente para pequenos produtores rurais.

Essa nova realidade já é observada na Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas, a Coomafitt, no litoral gaúcho. Com cerca de 200 famílias envolvidas, a Coomafitt oferta, anualmente, mais de 6,4 mil toneladas de 88 variedades de alimentos. O presidente da entidade, Bruno Engel Justin, afirma que a tecnologia já vinha sendo usada por alguns produtores, no entanto, a pandemia do coranavírus tem acelerado a necessidade.     

“Antes mesmo do coronavírus já havíamos buscado essa tecnologia devido a uma necessidade que se tinha em torno da rastreabilidade, uma obrigação para os produtos produzidos no campo. Mas o app que adotamos nos entrega além da rastreabilidade, outras ferramentas muito importantes para a gestão da cooperativa e das propriedades”, afirma Bruno Engel Justin.

O app utilizado pelos cooperados da Coomafitt, em diferentes culturas, é o Demetra, desenvolvido pela startup gaúcha Elysios Agricultura Inteligente. De acordo com os técnicos , a ferramenta é como um caderno de campo digital, onde o produtor rural e técnico podem visualizar em tempo real a produção, coletar dados do campo e rastrearem todos os acontecimentos do cultivo. 

“Desenvolvemos um aplicativo que permite coletar dados no campo e transformá-los em informações para otimizar processos, reduzir custos e aumentar rendimentos de várias culturas. Com ele é possível fazer controle de aplicação de defensivos e até gerar uma perspectiva de volume de safra. Além de produzir uma série de informações para a rastreabilidade dos hortifrutis e frutas”, explica o diretor comercial e um dos fundadores da startup, Mário Brito. 

O diretor da empresa, que utiliza inteligência artificial e a Internet das Coisas para desenvolver aplicativos, lembra que, nessa época de pandemia, a rastreabilidade da plataforma permitiu aos produtores da Coomafitt obter uma licença para vender sua produção a um hospital. “Se não tivesse esse sistema, a cooperativa não conseguiria ofertar sua produção.”

O dirigente da Coomafitt conta que a inclusão do app na rotina dos produtores vem sendo gradual, mas já agregou muito valor aos produtos e o objetivo é estender para todos os cooperados. 

“Iniciamos com um projeto piloto envolvendo 10 associados. Depois, com a validação do projeto piloto, passou a aumentar a dinâmica de inserção de novos produtores e hoje contamos com aproximadamente 60 famílias utilizando de um total de 200 famílias que pretendemos atingir”, revela Justin.

Outro comportamento dos produtores que já é possível observar frente aos impactos causados pela pandemia do coronavírus, conforme destaca o presidente da Coomafitt, é a busca por alternativas para atingir novos mercados. 

“Desejamos que todos os associados da Coomafitt utilizem o aplicativo, pois precisamos atingir novos mercados, especialmente os privados. Esse foi um desafio que essa crise nos mostrou. Temos uma necessidade de dialogar com o consumidor final, por isso o processo do aplicativo, da rastreabilidade, tem sido extremamente importante para atingir esse objetivo”, revela Justin.

Últimas notícias

Palestra aborda tendências inovadoras para o turismo das montanhas capixabas

A pandemia trouxe diversas mudanças no comportamento do consumidor e todos os setores ...

Laboratório de leite do Idaf recebe credenciamento oficial

Após anos de trabalho e dedicação, o Laboratório de Análise da Qualidade do ...

Apenas três municípios do Espírito Santo estão em risco amarelo no Mapa Covid-19

O Governo do Estado anunciou, ontem (18), o 23º Mapa de Risco Covid-19, ...

Demanda de frete rodoviário no agronegócio tem incremento de mais de 10%

Segundo o Índice de Fretes e Pedágios Repom (IFPR), a demanda por frete ...

Preço do arroz deve permanecer entre R$ 5 e R$ 7 até março do ano que vem

Um dos alimentos mais consumidos na mesa dos brasileiros sofreu um aumento de ...