Argentina pressiona Brasil a verter água de Itaipu para ajudar escoamento de grãos

Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

“Esse tema é sensível e envolve os três países… haverá nova rodada de negociações nesta sexta-feira”, disse a fonte

O governo argentino tem pressionado o Brasil a aumentar a vazão da hidrelétrica binacional de Itaipu, o que poderia ajudar a elevar o nível do rio Paraná e facilitar o escoamento da safra de grãos do país vizinho em um momento de forte seca, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

O movimento vem após a falta de chuvas ter levado as águas do importante rio utilizado para transporte de cargas na Argentina ao menor nível em uma década, o que exige mais navios para transportar um mesmo volume de soja ou milho, por exemplo.

Mas a demanda do país vizinho, que entra agora no pico da colheita de grãos, vem em momento em que o Brasil busca guardar água nos reservatórios hidrelétricos para atravessar o chamado “período seco” na região dos lagos das usinas, que vai de maio ao final de outubro.

O pleito tem sido negociado pelo Ministério das Relações Exteriores da Argentina junto ao Itamaraty e ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), responsável por gerenciar o acionamento de usinas para atendimento à demanda por energia, disse uma das fontes, que falou sob a condição de anonimato.

O Paraguai também participa das conversas, uma vez que é sócio do Brasil na usina, instalada próxima à tríplice fronteira entre os países.

“Esse tema é sensível e envolve os três países… haverá nova rodada de negociações nesta sexta-feira”, disse a fonte.

O problema nas conversas, no entanto, é que técnicos do setor de energia brasileiro avaliam que o pleito da Argentina poderia atrapalhar a recuperação dos lagos das hidrelétricas do país após anos de precipitações insuficientes para encher os reservatórios.

“Estamos recuperando o armazenamento até o final de abril. Esse papo dos argentinos é um desejo”, disse à Reuters uma fonte do setor elétrico que também pediu anonimato.

Apesar de chuvas melhores no Brasil neste ano, o Sul do país, onde fica Itaipu, sofre com a mesma seca que assola os argentinos, o que deixa os níveis dos reservatórios na região em nível abaixo do visto ano passado e ainda não considerado confortável.

Além disso, Itaipu não tem precisado operar a plena capacidade no momento devido à forte redução da demanda por energia em função da pandemia de coronavírus.

Assim, uma eventual ajuda aos vizinhos poderia envolver a liberação de água pelo vertedouro sem geração de energia, o que é visto como desperdício entre técnicos da área de energia, disse uma terceira fonte.

“Estamos abaixo do normal… como com reservatório menor vai verter água?”, disse a fonte, acrescentando que tal manobra, tecnicamente, seria como “desperdiçar dólar pelo vertedouro”.

A falta de alinhamento entre os governos do presidente argentino Alberto Fernandez, de esquerda, e do brasileiro Jair Bolsonaro, de extrema-direita, também não deve contribuir, assim como a disputa entre os países por exportações de grãos.

Enquanto o Brasil é maior exportador global de soja e o segundo em milho, a Argentina é a maior exportadora de farelo de soja, sendo também uma das principais fornecedoras globais de milho e soja.

“Eles fariam isso para a gente?”, questionou a terceira fonte, sobre o pleito dos vizinhos.

Procurado, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil não respondeu a um pedido de comentário. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Itaipu também não puderam comentar de imediato.

O rio Paraná é a principal via de exportação de grãos da Argentina, por onde saem embarques do porto de Rosario até o Oceano Atlântico.

O menor nível das águas tem feito com que embarcações precisem deixar o porto com menos grãos –um navio Panamax, que geralmente zarpa dos portos argentinos com 50 mil a 55 mil toneladas, sofre diminuição de cerca de 7,5 mil toneladas na capacidade sob as atuais condições do rio, segundo o gerente da Câmara de Atividades Portuárias e Marítimas, Guillermo Wade.

Fonte: Reuters

Últimas notícias

Cursos de tratorista e cultivo de cacau exclusivos para mulheres

Registro de ação do projeto “Mulheres do Cacau” com produtoras rurais As mulheres estão ...

Mapa destrói 58 mil garrafas de azeite de oliva fraudado

Foi a maior apreensão já realizada pelo Ministério da Agricultura no país desde ...

Campanha pretende estimula consumo do produto no país

Tema foi debatido durante reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite ...

Conab afirma que clima prejudica oferta de hortaliças e frutas no país

Quem procura preços baixos no atacado terá que aguardar mais um pouco até ...

Congresso Brasil-Alemanha de Inovação acolhe também o tema de sustentabilidade

Um dos eventos mais tradicionais do ecossistema brasileiro de inovação e o maior ...