Assinado acordo de cooperação técnica para nova fase do Projeto Mulheres do Cacau

A “mulher do cacau” e assentada de reforma agrária em Linhares, Eliete de Almeida Tavares, assinou o acordo técnico entre o Incaper e o Banco do Nordeste. Foi momento de representar todas as mulheres envolvidas no Projeto “Mulheres do Cacau”

Na última quinta-feira (26), o Projeto Mulheres do Cacau ganhou mais um reforço, com a assinatura de um acordo técnico entre a Fundação de Desenvolvimento Agropecuário do Espírito Santo (FUNDAGRES – Inovar), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e o Banco do Nordeste, com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Inovação (FUNDECI). O acordo dará suporte à nova fase do projeto, com enfoque em gestão, marketing e comercialização.

A assinatura do acordo técnico, que aconteceu oficialmente durante o evento de divulgação da Superintendência do banco no Estado, em Colatina, contempla, ao todo, um recurso de R$ 499 mil, sendo mais de R$ 50 mil de contrapartida do Governo do Estado, por meio do Incaper. 

Em 2022, o Projeto Mulheres do Cacau ficou em 1º lugar geral em toda área de atuação do Banco do Nordeste no Edital FUNDECI 01/2021 – DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL, executado pelo Incaper e proposto pela Fundagres Inovar. 

“Em um primeiro momento as nossas ações estiveram voltadas para a produção de qualidade das amêndoas, com o enfoque em beneficiamento. Agora é chegado o momento de focarmos em gestão, marketing e comercialização das amêndoas de qualidade. Todas as atividades manterão o enfoque na qualidade das amêndoas e em conquistar novos mercados interno e no exterior também”, reforçou a coordenadora do projeto e extensionista do Incaper, Alessandra Maria da Silva.

Assinaram o acordo técnico, o Governador do Estado do Espírito Santo, Renato Casagrande, o presidente do Banco do Nordeste, Paulo Henrique Saraiva Câmara, o diretor-presidente do Incaper, Franco Fiorot e a assentada de reforma agrária em Linhares e membro do Projeto “Mulheres do Cacau” Eliete de Almeida Tavares – representando todas as envolvidas no projeto.

“Nós temos investido, cada vez mais, em ações que envolvem as mulheres, com a finalidade de aproxima-las das tecnologias e ampliar o acesso das mesmas às políticas públicas”, ressaltou o presidente do Incaper, Franco Fiorot.

PROJETO – O projeto Mulheres do Cacau surgiu por meio do levantamento de demandas das mulheres de Linhares, feito pelo Incaper, para atender ao projeto “Elas no campo e na pesca, empreendedorismo liderança e economia”, do Governo do Estado.

Após serem Contempladas no Edital do banco de projeto da Sega e a FAPES, em primeiro lugar na categoria agroindústria, durante quase dois anos as mulheres vêm se organizando para produzir as amêndoas de qualidade e conquistar novos mercados.

Participam do projeto mulheres de Linhares, Rio Bananal, Colatina, Santa Teresa e São Roque do Canaã. Aproximadamente 60 mulheres fazem parte do projeto nos cinco municípios. Para participar é preciso trabalhar com cacau em regime de agricultura familiar. As mulheres também recebem o acompanhamento de economistas domésticas que orientam na rotulagem dos produtos e acesso aos mercados especiais.

Fonte: Incaper

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Agricultores de Ecoporanga se regularizam para venda direta de produtos orgânicos

Um grupo de agricultores familiares do município de Ecoporanga foi contemplado com a ...

Capacitação para operação de secagem e armazenamento de grãos preza pela segurança dos trabalhadores no Oeste baiano

No Oeste da Bahia, região essencialmente agrícola, a crescente necessidade de instalação de ...

Exportação de gengibre mais que dobra em janeiro de 2024

O valor exportado com o gengibre capixaba no primeiro mês deste ano foi ...

Mecanização é o caminho para a produtividade na silvicultura

A mecanização veio trazer novos ventos de prosperidade para a silvicultura. Nos últimos ...

Últimos dias para inscrição de trabalhos científicos acadêmicos na Favesu 2024

Estudantes de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores nas áreas de frango de corte, ...