Brasil e Reino Unido discutem cooperação em sustentabilidade

O desenvolvimento de uma parceria tripartite entre Brasil, África e Reino Unido, com ações para o desenvolvimento econômico e metas de sustentabilidade, foi um dos temas da reunião realizada entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e a Embaixada do Reino Unido, na última sexta-feira (10).

A secretária de Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo, Renata Miranda, recebeu a delegação britânica, chefiada pela ministra-conselheira, Melaine Hopkins, e ressaltou que o intercâmbio de experiências entre os países possibilitou mostrar que o Brasil conta com tecnologias, inovações e pesquisas de ponta para o setor, como a fixação biológica do nitrogênio, recuperação de pastagens degradadas, plantio de florestas, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta e manejo sustentável da produção, entre outras.

Anúncio

Ocupando posição de vanguarda, a ciência tropical brasileira ainda não é amplamente considerada nas principais discussões e fóruns internacionais que influenciam diretrizes no contexto de mudanças climáticas, particularmente nos temas de carbono e fatores de emissão.

Anúncio

Para a ministra-conselheira, o Brasil é um ator global cuja voz sobre ciência tropical deve ser ouvida e o Reino Unido pode ser um canal com outros atores globais relevantes (Estados, organismos internacionais, indústria e investidores) para fazer reverberar as experiências de sustentabilidade ambiental brasileiras, muitas das quais contam com parceria do Reino Unido há mais de uma década.

Um dos principais temas destacados pela secretária do Mapa foi a necessidade de agregação de valor nas cadeias produtivas brasileiras, especialmente as que envolvem os pequenos produtores rurais e que privilegiam a participação feminina.

“A agricultura sustentável nacional é diferente e melhor em muitos aspectos. Mesmo no Brasil há muita heterogeneidade a se considerar e as soluções precisam se basear na realidade da produção, precisam ser customizadas e refletir resultados que impactem os territórios levando-se em conta todas as suas particularidades, desafios e oportunidades”, salienta Renata.

Outro ponto de interesse destacado pelo Mapa foi a discussão mais minuciosa da nova legislação britânica voltada para a repressão do desmatamento ilegal e proteção de florestas tropicais a fim de identificar não apenas possíveis entraves para o comércio agrícola brasileiro, mas também melhores oportunidades de mercado no Reino Unido para produtos que cumprem com os requisitos legais de sustentabilidade.

Também estiveram presentes no encontro a diretora do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação (DEPROS), Sibelle Silva, e da parte do Reino Unido, a chefe de Clima, Natureza e Energia, Bruna Cerqueira, e a gerente de Clima e Agricultura Sustentável, Ana Gutiérrez.

Fonte: Mapa

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Como plantar mais café em espaço reduzido?

O pesquisador do Incaper, Paulo Sérgio Volpi, destacou que o jardim clonal superadensado ...

Parceria estratégica do Sistema OCB busca fortalecer cadeia de lácteos

Foto: Reprodução / Sistema OCB Unidade nacional se reuniu com Conselho dos Exportadores ...

Exportações do agronegócio brasileiro atingem US$ 37,44 bilhões

Em comparação ao mesmo período de 2023, o aumento foi de quase 4,4% ...

Empresas apresentarão novidades na Fruit Attraction Brasil

Para impulsionar o legado da horticultura brasileira e o mercado de frutas e ...

Conab estima redução na safra brasileira de grãos

Foto: Freepik A sétima estimativa da safra de grãos 2023/2024, divulgada pela Companhia ...