Cacau do Brasil é divulgado em conferência mundial na Europa

Com o objetivo de divulgar a imagem e o potencial do cacau sustentável do Brasil e de atrair investimentos, uma comitiva brasileira chegou esta semana na Europa para reuniões com representantes da União Europeia na Bélgica e para participar da conferência World Cocoa Foundation Partnership Meeting 2024, principal evento global sobre a sustentabilidade do cacau, na Holanda.

A conferência faz parte da Semana do Cacau de Amsterdã (Amsterdan Cocoa Week), que acontece até o dia 11 e abarca ainda outros grandes eventos como uma feira de chocolate e a premiação internacional de cacau Cacao of Excellence Awards (CoEx).

Anúncio

Fazem parte da comitiva brasileira organizações do terceiro setor, como o Instituto Arapyaú, CocoaAction, Imaflora e Solidaridad; especialistas do Centro de Inovação do Cacau (CIC); representantes da indústria, como a Associação das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC) e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab); representantes dos governos estaduais da Bahia e do Pará; os principais produtores de cacau no Brasil; além da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e entidades federais, como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), representado pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

Anúncio

“Além da qualidade, o Brasil é competitivo nos quesitos de sustentabilidade social e ambiental. Iremos divulgar o nosso potencial e buscar atrair recursos para projetos que valorizem a produção sustentável, como a criação de um fundo de impacto do cacau, por exemplo”, diz Ricardo Gomes, Gerente de Desenvolvimento Territorial do Instituto Arapyaú.

Na agenda do grupo, constam reuniões com os Ministérios da Saúde e Meio Ambiente da Bélgica, que têm como pauta a cadeia produtiva de cacau no Brasil e o Regulamento da União Europeia para Produtos Livres de Desmatamento (EUDR). Já em Amsterdã, a comitiva participa de sessões plenárias sobre a situação global do setor cacaueiro, mercado de inovação, mercado consumidor, renda do agricultor e ainda de um momento exclusivo para exposição do cacau do Brasil.

A Brazil Session aconteceu no dia 8 de fevereiro e abordou o tema “Recuperação do cacau do Brasil: oportunidades para um retorno sustentável”. A apresentação contou com a exibição do documentário “Cacau, fruto sustentável do Brasil”, produzido pela AIPC, além de palestra do diretor científico do CIC, Cristiano Villela Dias, e dos gerentes do Instituto Arapyaú Ricardo Gomes e Vinícius Ahmar.

No encerramento, a World Cocoa Foundation (Fundação Mundial do Cacau) anunciou que a próxima edição do evento, em 2025, será em São Paulo. “Essa notícia é um reconhecimento do potencial brasileiro na cacauicultura e confiança no aumento da produção nacional para abastecer os estoques globais. Além disso, há um entendimento de que somos um bom exemplo de modelo de produção sustentável. A atuação de facilitadores efetivos no Brasil como as indústrias processadoras, a indústria chocolateira, os governos e entidades do terceiro setor impulsiona o compromisso de fazermos uma cacauicultura forte não apenas em produtividade, mas também sob os aspectos social, ambiental e qualidade superior”, pontua Ricardo.

Fonte: Lívia Cabral

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Feira de Agronegócios Cooabriel 2024 acontecerá em julho

O evento é considerado o maior do agro no estado do Espírito Santo ...

Café canéfora tem zoneamento de risco climático atualizado

Foto: Humberto Franco O Zarc delimita regiões e épocas de cultivo em classes ...

Senar-ES quer fortalecer o agro em Santa Leopoldina

Contribuir para um cenário de crescente desenvolvimento da produção sustentável no Espírito Santo ...

Ales vai promover sessão em homenagem às mulheres cooperativistas

Foto: Freepik Reunião acontece na próxima semana. Pauta foi proposta pela Comissão Permanente ...

Brasil produziu quase 900 mil toneladas de peixes de cultivo

A piscicultura venceu adversidades e cresceu 3,1% Em 2023 O Brasil produziu 887.029 ...