“Cachaça de Cacau” é a aposta de empreendedor capixaba para alcançar novos mercados

Com a assistência do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) no Espírito Santo, iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento (Sedes) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), empresas capixabas estão buscando alternativas de crescimento e expansão dos negócios para alcançar o mercado internacional.

Um desses casos é o da empresa Cacahuatl, que tem o cacau como insumo para a produção de bebidas destiladas e está localizada no município de Linhares, no norte do Estado. A empresa está concluindo a etapa de capacitações do PEIEX e vivencia uma estratégia voltada à apresentação internacional do potencial de suas bebidas, principalmente em feiras de negócios. Além disso, foca no estudo prospectivo de mercados e planejamento logístico e financeiro para a expansão comercial.

O sócio-diretor da empresa, André Luiz Carvalho Scampini, destaca que a expectativa é de que o produto, que está na fase de produção, já esteja no mercado em setembro deste ano. Ele também comenta a experiência em participar do PEIEX-ES. “Durante as capacitações, os extensionistas nos dão dicas, orientações e ‘abrem os nossos olhos’ para os processos fundamentais de exportação, principalmente nas questões tributárias, contábeis e de precificação dos produtos”, explica.

Scampini declara que a empresa já teve contato com potenciais clientes em feiras de países da Europa e América do Norte. “O nosso produto tem potencial para o comércio exterior. Com isso, percebemos que o mercado internacional é exigente e a demanda estrangeira é alta. Para atender a todas as normas e exigências que surgirem no processo de exportação, estamos nos preparando e qualificando para este novo desafio”, afirma. 

Na região norte do Estado, os atendimentos às empresas contam com o apoio do técnico extensionista Daniel Sardenberg Lins. O extensionista destaca que a empresa Cacahuatl se sobressai, pois tem a capacidade de aliar a tradicional cacauicultura linharense com a inovação aplicada ao processo de destilação de bebidas. 

“A empresa apresenta potencial para expansão e fortalecimento da cadeia produtiva capixaba do cacau e para a internacionalização de produtos detentores de ‘brasilidade’ e qualidade atestada. Um dos diferenciais é que a empresa, desde o seu nascimento, já tem a expectativa de alcançar o mercado internacional e, inclusive, já vem tendo sucesso na identificação de parceiros comerciais promissores”, aponta Lins.

O subsecretário de Estado para Atração de Investimentos e Negócios Internacionais da Sedes, e coordenador do PEIEX-ES, Gabriel Feitosa, comemora os resultados alcançados pelo programa. “É muito gratificante ver empresas capixabas frente à pandemia da Covid-19 enxergando oportunidades de crescimento e uma forma de avançar em vendas não só dentro do Brasil. Desta forma, a gente observa que o programa cumpre seu objetivo de capacitar as empresas capixabas para a exportação e de diversificar a nossa pauta exportadora”, diz.

PEIEX-ES – O programa oferece às empresas, de forma gratuita, orientação técnica sobre as melhorias que a organização deve implementar para comercializar produtos e serviços no mercado internacional.

APEX-BRASIL – A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência apoia, atualmente, cerca de 15 mil empresas em 80 setores da economia.

Fonte: Sedes

Últimas notícias

Rastreabilidade do gado atende às exigências do mercado europeu e proporciona maior rentabilidade aos pecuaristas

O mercado internacional de carne bovina está em crescimento. Segundo o USDA, serão ...

Cinco plantas para melhorar a energia do lar

Elas servem para perfumar, embelezar e até mesmo para alimentar. Mas o que ...

Oeste da Bahia vai ampliar cultivo de cereais e pode ajudar autossuficiência do Brasil

A triticultura da região oeste da Bahia pode contribuir na busca por autossuficiência ...

Mundo digital é uma oportunidade de negócios no agro

O agronegócio avançou fortemente em termos de digitalização durante a pandemia do novo ...

Estudantes realizam ação de reflorestamento em Colatina

A atividade foi coordenada pelo Núcleo de Educação Ambiental e Agroecologia Estudantes e ...