Cadeia produtiva de carne bovina cresceu 45% nos últimos cinco anos

A venda de carne bovina é uma das principais atividades econômicas do Brasil, um dos mais importantes produtores mundiais de proteína, resultado de décadas de investimento em tecnologia. A alta demanda elevou não só à produtividade como também à qualidade do produto brasileiro.

De acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a exportação de carne bovina já representa 3% das exportações brasileiras e um faturamento de R$ 6 bilhões. Atualmente, o segmento representa 6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro ou 30% do PIB do Agronegócio, que apresentou um crescimento de quase 45% nos últimos cinco anos.

“O Brasil tem vantagens competitivas substanciais na produção de proteína animal, com grandes players no mercado internacional”, destaca o gerente de Planejamento e Processos do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Sávio Bertochi Caçador, que vem mapeando este mercado por meio de estudos.

No Espírito Santo, empresas ligadas à atividade têm grande potencial de crescimento e contam com recursos do Bandes para o investimento na adequação dos parques fabris, com vistas a conquistar espaço nos mercados nacional e internacional.

O estudo “Indústria de carnes: Bovinos-Cadeia Produtiva, produção e mercado nacional”, desenvolvido pela equipe do banco de desenvolvimento capixaba, identificou oportunidades para que os empresários capixabas possam investir em alguns fatores que possibilitem às empresas ampliarem e sustentarem suas posições no mercado, ganhando competitividade.

Entre esses fatores, o Bandes identificou alguns aspectos: investimento na economia de escopo de produção, com foco em mercados e produtos específicos;  desenvolvimento de marketing de embalagens, com objetivo de diferenciação de produto e fortalecimento de imagem e publicidade;  verticalização da produção, adotando a estratégia empresarial em toda a produção da cadeia.

Sávio Caçador destaca que o mercado capixaba tem potencial de crescimento e que os empresários podem contar com recursos disponíveis pelo banco para a modernização de sua estrutura de produção, de maquinário e para investimento em pesquisa e inovação.

“Neste momento de desvalorização cambial, as grandes empresas da cadeia produtiva de carne bovina têm direcionado suas vendas para o mercado externo, causando redução de oferta e aumento de preços no mercado interno. Portanto, é uma boa oportunidade para as empresas capixabas dessa cadeia ampliarem sua capacidade produtiva e competitiva para aumentarem suas vendas no mercado interno”, enfatiza o gerente.

A cadeia produtiva ligada ao segmento envolve atividades desde a pecuária, a indústria de carnes (abatedouros, frigoríficos e açougues), a indústria de transformação (produção de embutidos e enlatados, couros, sabão, adubos, produtos farmacêuticos etc.) e, por fim, a comercialização (supermercados).

Fonte: Governo ES

Últimas notícias

Senar lança cursos gratuitos de drones e inseminação artificial. Inscreva-se!

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou três cursos de curta duração, ...

Especialistas do Brasil e exterior debatem mercado halal

O fórum de negócios Global Halal Brazil ocorre na próxima semana e terá ...

Estados Unidos mudam regras para ingresso de cães procedentes do Brasil

Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, ...

Entidades afirmam que caso das búfalas de Brotas foge à regra dos produtores

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) publicou ...

Cadeia produtiva do leite é destaque em novo Boletim da Agricultura Familiar da Conab

Já está disponível, no site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a publicação ...