Cadeia produtiva de carne bovina cresceu 45% nos últimos cinco anos

A venda de carne bovina é uma das principais atividades econômicas do Brasil, um dos mais importantes produtores mundiais de proteína, resultado de décadas de investimento em tecnologia. A alta demanda elevou não só à produtividade como também à qualidade do produto brasileiro.

De acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a exportação de carne bovina já representa 3% das exportações brasileiras e um faturamento de R$ 6 bilhões. Atualmente, o segmento representa 6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro ou 30% do PIB do Agronegócio, que apresentou um crescimento de quase 45% nos últimos cinco anos.

“O Brasil tem vantagens competitivas substanciais na produção de proteína animal, com grandes players no mercado internacional”, destaca o gerente de Planejamento e Processos do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Sávio Bertochi Caçador, que vem mapeando este mercado por meio de estudos.

No Espírito Santo, empresas ligadas à atividade têm grande potencial de crescimento e contam com recursos do Bandes para o investimento na adequação dos parques fabris, com vistas a conquistar espaço nos mercados nacional e internacional.

O estudo “Indústria de carnes: Bovinos-Cadeia Produtiva, produção e mercado nacional”, desenvolvido pela equipe do banco de desenvolvimento capixaba, identificou oportunidades para que os empresários capixabas possam investir em alguns fatores que possibilitem às empresas ampliarem e sustentarem suas posições no mercado, ganhando competitividade.

Entre esses fatores, o Bandes identificou alguns aspectos: investimento na economia de escopo de produção, com foco em mercados e produtos específicos;  desenvolvimento de marketing de embalagens, com objetivo de diferenciação de produto e fortalecimento de imagem e publicidade;  verticalização da produção, adotando a estratégia empresarial em toda a produção da cadeia.

Sávio Caçador destaca que o mercado capixaba tem potencial de crescimento e que os empresários podem contar com recursos disponíveis pelo banco para a modernização de sua estrutura de produção, de maquinário e para investimento em pesquisa e inovação.

“Neste momento de desvalorização cambial, as grandes empresas da cadeia produtiva de carne bovina têm direcionado suas vendas para o mercado externo, causando redução de oferta e aumento de preços no mercado interno. Portanto, é uma boa oportunidade para as empresas capixabas dessa cadeia ampliarem sua capacidade produtiva e competitiva para aumentarem suas vendas no mercado interno”, enfatiza o gerente.

A cadeia produtiva ligada ao segmento envolve atividades desde a pecuária, a indústria de carnes (abatedouros, frigoríficos e açougues), a indústria de transformação (produção de embutidos e enlatados, couros, sabão, adubos, produtos farmacêuticos etc.) e, por fim, a comercialização (supermercados).

Fonte: Governo ES

Últimas notícias

Pecuária de leite vive incertezas com o futuro da pandemia

A reunião de conjuntura de novembro do Centro de Inteligência do Leite da ...

Valor de mercado de defensivos aplicados deverá cair 11,8% em 2020

O mercado de defensivos agrícolas deve ter redução de 11,8% no valor em ...

Programa de aprendizagem rural é homenageado pelo Instituto Innovare

Fotos: Junio Nunes O Programa de Aprendizagem Profissional Rural foi homenageado na 17ª ...

Novo surto de gafanhotos é monitorado por governo do Rio Grande do Sul

Foto: Senasa Julio Huber Um novo surto de gafanhotos identificado pelo Serviço Nacional ...

Prêmio Excelência de Qualidade Realcafé Reserva anuncia os finalistas

O Prêmio Excelência de Qualidade Realcafé Reserva já tem os 20 finalistas da ...