Café poderá ter maior influência do La Niña

Um novo relatório da hEDGEpoint Global Markets avalia os impactos do La Niña em diversas culturas agrícolas, entre elas o café, cana-de-açúcar e algodão. O fenômeno ocorre desde dezembro e influencia o clima em vários países, com previsão de enfraquecer em julho e tem 60% de chance de ficar ativo até o fim do ano depois do trimestre junho-agosto.

No café, a produtividade da safra brasileira em 2021/2022 foi 19% menor em comparação ao ano anterior de bienalidade negativa (19/20) por causa dos efeitos do La Niña, que teve início no último trimestre de 2020 e ficou ativo até março de 2021. “Em três das últimas quatro ocorrências do fenômeno, a produtividade do café caiu”, indicou a analista de Café da hEDGEpoint Global Markets, Natália Gandolphi.

“É importante destacar que o La Niña estará ativo durante o desenvolvimento da safra 22/23 nos países como o Vietnã, Guatemala e Colômbia”, acrescenta. O Vietnã é o segundo maior produtor de café do mundo, com cerca de 30 milhões de sacas por ano. O Brasil lidera o ranking com mais de 60 milhões de sacas/ano, ou cerca de um terço do total produzido globalmente (169,3 milhões de sacas).

CANA-DE-AÇÚCAR – Apesar do evento climático, o impacto é menor na safra sucroalcooleira do que no café. Ainda que o La Niña se mantenha ao longo dos próximos dois meses na região produtiva do Centro-Sul, incluindo Paraná, sul de SP e parte do MS, a seca deve inclusive melhorar a qualidade da cana.

“A falta de chuvas nessa época do ano não é ruim para a cana-de-açúcar, pois deve contribuir para uma maior concentração de sacarose e, portanto, mais ATR [Açúcar Total Recuperável, o total de açúcar presente em cada tonelada de cana]”, indica a analista de Açúcar e Etanol da hEDGEpoint Global Markets, Livea Coda.

A produtividade dos canaviais, contudo, já foi afetada pelo fenômeno no ano passado. O relatório destaca que a cana iniciou 2022 penalizada pela falta de chuvas e vem de uma safra atingida por geadas e incêndios, em 2021, justamente por causa do La Niña. “A última safra foi bastante afetada porque as usinas tiveram que mudar a logística e antecipar a moagem em função do clima”, conta a analista.

ALGODÃO – Quanto à produtividade do algodão, a cultura é bastante sensível às chuvas e quando ocorre o La Niña há impactos significativos nas lavouras dos países que produzem a fibra, como o Brasil, EUA e Austrália. O fenômeno é observado atentamente pelo segmento, de acordo com a hEDGEpoint Global Markets. Na safra atual, a falta de água nos algodoais americanos, por exemplo, vem encurtando as estimativas de produção.

O último relatório do Departamento de Agricultura (USDA) prevê que o abandono de plantações tende a mais que dobrar este ano, dado que a situação climática tem levado produtores a acionar o seguro por conta das perdas na produção – sobretudo no Texas, o maior polo cotonicultor do país.

O produtor de algodão brasileiro, por outro lado, deve enfrentar a seca das próximas semanas no Mato Grosso, o estado que mais produz algodão no país, sem ter o mesmo prejuízo que outros grãos na produtividade das lavouras. “Até mesmo a seca em partes do MT, que vem deixando alguns produtores inseguros nesse momento, não deve impedir uma safra melhor do que a do ano passado”, segundo o relatório.

Fonte: Conteúdo Comunicação

Últimas notícias

Lançamento da Ruraltures será nesta quinta-feira (07) em Venda Nova do Imigrante

Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem O Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau promoverá, amanhã ...

Sistema Cantareira opera em estado de alerta

Os últimos dias acenderam um alerta para o nível dos reservatórios que abastecem ...

Jovens agricultores participam de curso sobre formação de lideranças

Um dos pilares da Coordenadora Latino-americana e do Caribe de Pequenos Produtores e ...

Revista Negócio Rural vence prêmio de jornalismo de Pernambuco

O cooperativismo conecta pessoas e também histórias. Que similaridade poderia haver entre as ...

Serenata Italiana será no próximo sábado (09) em Venda Nova do Imigrante

Relembrar os costumes dos primeiros imigrantes italianos que chegaram em Venda Nova do ...