Cafeicultores das montanhas capixabas mantêm certificação do Comércio Justo

A Coopeavi recebeu a auditoria anual para validar a manutenção da licença da certificação Fairtrade (Comércio Justo) para os cafés especiais dos associados. A cooperativa continua apta a utilizar por mais um ano o selo internacional que reconhece práticas sociais e sustentáveis nas propriedades produtoras. A auditoria ocorreu entre os dias 28 e 30 de janeiro.

No primeiro dia, os auditores da Flocert – certificadora global da Fairtrade – direcionaram as ações para a comercialização, conferindo práticas comerciais, rastreabilidade e armazenamento dos cafés. A Flocert garante a construção das cadeias de fornecimento em práticas justas que ajudem produtores, comerciantes e marcas a se tornarem verdadeiramente sustentáveis.

Já nos dois últimos dias, a auditoria envolveu a participação dos produtores associados à Associação dos Produtores de Cafés Especiais Sustentáveis (Aproces), que tem como trader a Coopevi, para discutir o sistema de gerenciamento interno.

“Algumas medidas corretivas deverão ser tomadas, mas a licença foi mantida. Passar por uma auditoria nos impulsiona a melhorar as nossas atividades. Assim, teremos certeza que estamos trilhando caminhos que nos levem à sustentabilidade do setor cafeeiro”, destaca a bióloga da cooperativa, Marcela Takiguti.

Cerca de 50 cafeicultores associados são beneficiários do selo reconhecido internacionalmente que assegura preços melhores às sacas de café produzidas a partir de critérios socioambientais.

“Receber a auditoria mostra que as nossas ações estão em conformidade com as demandas do mercado certificado Fairtrade”, destaca o gerente do Negócio Café da Coopeavi, Giliarde Cardoso.

A Aproces tem como sede a Pronova, unidade de cafés especiais da Coopeavi em Venda Nova do Imigrante, e engloba produtores deste e de outros seis municípios: Afonso Cláudio, Castelo, Muniz Freire, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa e Vargem Alta, mas é aberta a quem produz grãos especiais em todo o Espírito Santo

A diretoria da associação é formada por funcionários e associados da cooperativa. Carlos Alberto Roldi Filho (presidente), Pedro Carnielli (vice), João Elvídio Galimberti (secretário) e Fátima Beize de Oliveira (tesoureira) representam a Aproces no quadriênio 2019-2023.

Texto e fotos: Divulgação

Últimas notícias

Tradição familiar no agronegócio em evidência na Praça do Papa

A tradição familiar marca o agronegócio capixaba, que, segundo dados do Governo do ...

Ação de fiscalização do Mapa apreende 173 mil litros de bebidas com indícios de fraude

Uma ação de fiscalização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) resultou ...

Mapa reforça vigilância após ocorrências de Peste Suína Africana na República Dominicana

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informa que está acompanhando e ...

Cooperação alemã investe U$ 2 milhões em projeto de apoio ao Comércio Justo na América Latina e Caribe

Mais de 84 mil produtores(as) da região da América Latina e do Caribe ...

Agricultura familiar recebe investimentos no Espírito Santo

Para comemorar a Semana da Agricultura Familiar, o Governo do Estado anunciou um ...