Cafeicultores do Cerrado Mineiro alcançam um milhão de sacas comercializadas com selo de Origem e Qualidade

Foto: Julio Huber

Os produtores de café da Região do Cerrado Mineiro alcançaram, nesta segunda (25), uma marca histórica. No ano em que são celebrados os 50 anos do início da produção, os cafeicultores chegaram ao resultado de um milhão de sacas de café comercializadas com o selo da Denominação de Origem. A região é pioneira entre as Indicações Geográficas brasileiras, tendo sido a primeira região cafeeira reconhecida como Indicação de Procedência, no ano de 2005; e como Denominação de Origem, em 2013.

A marca foi alcançada com o embarque, feito pelo produtor Gláucio de Castro, de uma carga de café para o Japão. O selo de origem é uma ferramenta de proteção e promoção dos cafés da Região do Cerrado Mineiro. A localidade está situada no Noroeste do estado de Minas Gerais, com altitudes superiores a 800 metros, fator determinante para a produção de grãos que resultam em uma bebida de qualidade. A procura pelo reconhecimento de um “Café de Atitude” segue tendências mundiais. O mercado em crescimento e em transformação é influenciado diretamente por novos consumidores mais exigentes e conscientes. A Região do Cerrado Mineiro, por meio de novas maneiras de agir, produzir e fazer negócios, responde a essa demanda com o seu café diferenciado, com qualidade e rastreabilidade.

Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, a conquista dos produtores mineiros mostra a importância do trabalho desenvolvido por diversos atores, como a Federação dos Cafeicultures do Cerrado, a Fundação de Desenvolvimento do Cerrado Mineiro, cooperativas, gestores públicos, produtores e do próprio Sebrae, que há décadas se dedica à expansão dos produtos brasileiros reconhecidos como Indicações Geográficas.

A criação dos cafeeiros na região requer técnicas avançadas de cultivo, manejo e fertilização do solo. O plantio é a operação mais importante na formação da lavoura, sendo feitas com mudas de meio ano, com seis a oito meses de idade, com três a cinco pares de folhas, e cujo plantio pode ser efetuado em qualquer época do ano, mas preferencialmente no início do período chuvoso. Os cafeeiros são cultivados em áreas com altitude variando entre 800 e 1.300 metros, e o resultado é um café com identidade única e de qualidade.

Fonte: Sebrae

Últimas notícias

Concurso de Qualidade de Amêndoas de Cacau Capixaba chega à etapa de visita das propriedades

As visitas às 12 propriedades classificadas na 6ª edição do Concurso de Qualidade ...

Festival Aracruz Sabores começa nesta quinta-feira (11)

Foto: Arquivo Secom / Aracruz O evento vai reunir sabores, cerveja artesanal, vinhos, ...

Método simples e barato monitora qualidade da água em viveiros de tilápias

Photo: Gabriel Pupo Nogueira Cientistas utilizam bentônicos, organismos invertebrados indicadores de qualidade da ...

Produção de cacau volta a crescer no Brasil, após controle de vassoura-de-bruxa e outras doenças

Foto: Shutterstock Composition with cocoa pod and products on wooden background, top view ...

Setor de distribuição de insumos está apreensivo com os desafios deste ano

Foto: iStock “O setor de distribuição de insumos agrícolas, que comemorou um 2021 ...