Capixabas e mineiros atingidos pelo rompimento de barragem terão linha de crédito especial

Foto: SECOM/ES

Espírito Santo – A lama de rejeitos está seguindo para a Usina de Mascarenhas, em Baixo Guandu (Secom/Governo do Espírito Santo)

Para contribuir com a reconstrução das empresas da região norte do Espírito Santo prejudicadas economicamente pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), em 2015, o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), em uma parceria com a Fundação Renova e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), criou o Desenvolve Rio Doce – Fundo de Incentivo à Economia Local.

O fundo disponibiliza crédito para micro e pequenos empreendedores de municípios capixabas e mineiros impactados com a tragédia. No Estado, a linha atende a empreendimentos em Baixo Guandu, Colatina, Linhares e Marilândia. Os empresários podem solicitar financiamento com valor de R$ 10 mil a R$ 200 mil, com parcelas fixas, ao mês. As empresas interessadas têm até 48 meses para realizar o pagamento, com até seis meses de carência para a primeira prestação. Para ter acesso aos financiamentos, os interessados devem procurar as agências do Programa Nossocrédito nos municípios.

Na prática, o fundo contribui para que as empresas continuem crescendo e atraindo cada vez mais clientes. Esse foi o caso do Gustavo Heringer, dono de uma clínica odontológica em Linhares. Ele viu no Desenvolve Rio Doce a chance de crescer, mesmo passando por um momento de crise devido às consequências do novo Coronavírus (Covid-19) no comércio. “O fluxo de pacientes diminuiu logo no início da pandemia, mas eu continuei atendendo mesmo assim. Fiz algumas reformas na clínica, coloquei equipamentos novos e os clientes já elogiaram as mudanças”, afirma.

O investimento de Gustavo Heringer trouxe novos benefícios para a clínica, como a possibilidade do paciente fazer radiografias odontológicas na hora. “Antes, as pessoas tinham que tirar as radiografias em outro lugar e depois trazer para a consulta. Agora, com a compra do aparelho que faz o raio-x odontológico, elas têm a possibilidade de fazer tudo aqui mesmo, na hora, e com toda a segurança”, diz ele.

Os resultados depois das melhorias na clínica foram notáveis. No mês passado, o empresário teve um aumento de 25% de clientes sendo atendidos. Gustavo Heringer garante que o crédito mudou a realidade da empresa dele. “As tarifas são muito boas, juros baixos, todas as condições estão acessíveis para o comerciante que mais precisa nesse momento”, conclui.

Condições do Fundo Desenvolve Rio Doce

  • Valor de financiamento de R$ 10 mil a R$ 200 mil;
  • Taxa de juros a partir de 0,45% ao mês;
  • Carência de até 06 meses;
  • Parcelas fixas.

Texto: Julia Ronchi/Bandes

Últimas notícias

Estudantes realizam ação de reflorestamento em Colatina

A atividade foi coordenada pelo Núcleo de Educação Ambiental e Agroecologia Estudantes e ...

Simpósio Nacional de Girassol em formato digital

A Embrapa Soja promove a 23ª Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol (RNPG) e ...

Idaf tem trabalho aprovado em Encontro Capixaba de Pesquisa em Educação Ambiental

O encontro é organizado pela Ufes em parceria com o Iema O Instituto ...

Ifes abre inscrições para mestrado em Agroecologia

São ofertadas 12 vagas e o início das aulas está previsto para março ...

Laboratório de aquicultura marinha fortalecerá pesquisas no país

Visão em 3D do projeto do Lapimar Foram reiniciadas, esta semana, as obras ...