Centrais de Abastecimento do Espirito Santo (Ceasa/ES) completam 43 anos

A unidade, em Cariacica, movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano em vendas

As centrais de Abastecimento do Espirito Santo (Ceasa/ES) completam 43 anos, nesta quarta-feira (17). Inaugurada em 1977, a Ceasa, localizada no bairro Vila Capixaba, em Cariacica, é utilizada por produtores rurais para o escoamento da produção agrícola capixaba e movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano em vendas  e cerca de 15 bilhões de toneladas de produtos hortifrutigranjeiros foram comercializados nestes 43 anos.

Além disso, sua área de 118.742 metros quadrados, e com uma circulação diária de seis a sete mil pessoas, a Ceasa também é o local de trabalho de freteiros, ambulantes, compradores, diaristas e microempreendedores individuais. A movimentação mensal da Ceasa em alimentos é de 45 mil toneladas, e se destaca pela qualidade dos alimentos, logística e infraestrutura.

O Portal Revista Negócio Rural é parceiro da Ceasa/ES e disponibiliza, diariamente, a cotação de preços dos produtos comercializados nas unidades. Clique aqui e confira!

HISTÓRIA – Antes da inauguração da Ceasa/ES, o sistema de comércio de hortifrutigranjeiros acontecia no antigo mercado da Vila Rubim, no Centro de Vitória; na feirinha da Ponte Moacir Avidos; e no Mercado São Sebastião, em Jucutuquara. Os produtos estragavam com facilidade e os caminhões causavam tumultos nas cidades, o que causava desânimo nos produtores pela falta de planejamento e logística.

As iniciativas dos Governos de São Paulo e Pernambuco, as primeiras experiências de regularização de mercado voltadas para o setor, somadas às práticas internacionais, proporcionaram ao Ministério do Planejamento, por meio do Decreto 61.391 de 20 de setembro de 1967, a criação do plano Decenal de Desenvolvimento Econômico. A partir desse plano, nasceu a Ceasa/ES.

Sobre a celebração do aniversário da Ceasa, o diretor-presidente das Centrais, Guilherme Gomes de Souza, explica que é impossível pensar na distribuição de alimento sem lembrar da Ceasa como principal responsável pela atividade “A atividade diária realizada no mercado da Ceasa é essencial para abastecimento de alimentos em todo o território capixaba e também a outros estados, serviço prestado na Ceasa é fundamental na interligação entre o produtor, os comerciantes e os consumidores”, enfatiza Souza.

Já o Secretário da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, destacou a importância que a Ceasa exerce no contexto social e econômico capixaba. “São mais de 40 anos alimentando as famílias capixabas, gerando emprego e renda aos produtores rurais. A Ceasa é um espaço econômico, social diversificado e fundamental para o escoamento da produção agrícola, principalmente nesse momento difícil que estamos passando com a pandemia do coronavírus”, ressaltou Foletto.

Ceasa em Números

A Análise Conjuntural Anual da Comercialização de Hortifrutigranjeiros feita em janeiro deste ano, pela Gerência Técnica da Ceasa, mostra que a movimentação financeira do entreposto de Cariacica em 2019, resultou em um montante de R$ 1.073.714.469,03, número que representa um aumento de 15,12% em relação a 2018, que gerou R$ 932.701.057,39. No último ano, porém, ocorreu uma redução de 4,82% da comercialização de produtos em relação a 2018, que finalizou em pouco mais de 469 mil toneladas. Em 2019, foram 446 mil toneladas. 

Em relação à distribuição dos produtos ofertados, em porcentagem, as 446 mil toneladas foram divididas em 51% de hortaliças, 42% de frutas, 6% de ovos, 0,62% de pescados e 0,17% de cereais.

Contribuição do Estado e municípios

Dos 63 municípios do Estado que contribuíram para o aporte de produtos hortigranjeiros no entreposto de Cariacica, oito se destacam: Santa Maria de Jetibá (27,69%); Domingos Martins (27,69%); Santa Leopoldina (9,44%); Santa Teresa (4,86%); Afonso Cláudio (4,58%); Itarana (4,47%); Alfredo Chaves (4,26%) e Laranja da Terra (4,02%).

O Espírito Santo é o principal ofertante no entreposto com 57,55%, mas 16 estados comercializam na unidade de Cariacica, em 2019, e nove se destacam: Minas Gerais (9,60%), São Paulo (9,49%), Bahia (4,75%), Rio Grande do Sul (3,52%), Santa Catarina (3,16%), Pernambuco (2,89%), Goiás (2,75%), Paraná (2,08%) e Sergipe (1,89%).

O entreposto também recebe produtos para comercialização de outros países como Argentina, China, Espanha, Holanda e a Noruega.

Fonte: Ceasa

Últimas notícias

Idaf tem trabalho aprovado em Encontro Capixaba de Pesquisa em Educação Ambiental

O encontro é organizado pela Ufes em parceria com o Iema O Instituto ...

Ifes abre inscrições para mestrado em Agroecologia

São ofertadas 12 vagas e o início das aulas está previsto para março ...

Laboratório de aquicultura marinha fortalecerá pesquisas no país

Visão em 3D do projeto do Lapimar Foram reiniciadas, esta semana, as obras ...

Brasil registra 31 defensivos agrícolas genéricos, com quatro produtos biológicos

Com a publicação, 2020 soma 60 produtos de baixo impacto registrados. Esse é ...

ATENÇÃO: chuva forte e rajadas de vento atingem a Grande Vitória e municípios do interior capixaba

A chuva forte prevista pela Coordenação de Meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, ...