Cerca de 150 lavouras de mamão são inspecionadas no combate a doenças

Mantendo o trabalho intensivo de fiscalização das lavouras de mamão no norte do Estado, de modo a minimizar os prejuízos decorrentes de viroses que atingem essa cultura, como o mosaico e a meleira, lavouras de 11 municípios foram inspecionados por técnicos do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf).

Até o momento, em torno de 150 lavouras foram inspecionadas, nos municípios de Boa Esperança, Montanha, Pedro Canário, Pinheiros, São Mateus, Linhares, Aracruz, Sooretama, Itarana, Itaguaçu e Mucurici. De acordo com o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, a fiscalização das lavouras é uma ação rotineira do órgão, porém, as ações são intensificadas nesta época do ano, em que a incidência das doenças é acentuada.

“Foram disponibilizados 16 engenheiros-agrônomos para garantir uma fiscalização massiva na região produtora de mamão. Em um mês, foi vistoriada uma área de cerca de 1.700 hectares, o que equivale a aproximadamente 26% da área plantada no Estado. Também é importante destacar o apoio da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Papaya (Brapex), que tem sido fundamental na logística de envio de amostras para análise laboratorial e também na execução do corte seletivo, o roguing”, disse.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do Idaf, Daniel Pombo de Abreu, informa que a operação continua. “Ainda há algumas propriedades a serem vistoriadas e manteremos essa fiscalização mais intensiva enquanto identificarmos a necessidade”, explicou.

Abreu explica ainda que muitas lavouras já foram erradicadas pelos produtores de maneira voluntária, quando identificados sintomas das doenças no momento da inspeção. Até o momento, foram realizadas 31 análises laboratoriais, com 12 resultados positivos. Novas amostras ainda serão enviadas nas próximas semanas.

“Aqueles que se recusaram a fazer o roguing, foram notificados. Com as análises moleculares que apresentaram resultados positivos, as equipes retornarão aos locais para viabilizar o corte compulsório, cabendo multa aos que não cumprirem às determinações. Este precisa ser um compromisso de todos. A cultura do mamão tem grande importância econômica em nosso Estado e a falta de monitoramento pode gerar graves prejuízos econômicos à cadeia produtiva”, alertou.

Texto: Francine Castro/Idaf

Últimas notícias

Senar lança cursos gratuitos de drones e inseminação artificial. Inscreva-se!

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou três cursos de curta duração, ...

Especialistas do Brasil e exterior debatem mercado halal

O fórum de negócios Global Halal Brazil ocorre na próxima semana e terá ...

Estados Unidos mudam regras para ingresso de cães procedentes do Brasil

Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, ...

Entidades afirmam que caso das búfalas de Brotas foge à regra dos produtores

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) publicou ...

Cadeia produtiva do leite é destaque em novo Boletim da Agricultura Familiar da Conab

Já está disponível, no site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a publicação ...