China derruba embargo e libera carne brasileira

Sérgio Lima/Poder360

Exportações da proteína bovina podem retornar a partir desta quarta-feira

A China derrubou nesta quarta-feira (15) o embargo a importação da carne bovina brasileira. A Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos) já recebeu a confirmação do retorno de negócios entre os países na área por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Ao Poder360, a associação afirmou que há condições de embarque quase imediato dos produtos que foram estocados depois do embargo. A queda da proibição vale já a partir desta 4ª feira (15.dez). Os produtos referentes a contratos fechados na época que ainda não tinham sido embarcados foram estocados, sem serem direcionados ao mercado interno, o que possibilita o retorno dos envios quase imediatos agora.

A exportação de carne à China está suspensa desde setembro. O país é o principal comprador da carne bovina brasileira.

O país asiático tinha sinalizado a volta das exportações em novembro. Na época, a GACC (Administração Geral de Aduanas da China) liberou os produtos que já tinham recebido uma certificação sanitário antes do embargo.

O motivo para o embargo foi a identificação de casos atípicos de EBB (Encefalopatia Espongiforme Bovina) —conhecida como o “mal da vaca louca”.

Uma avaliação da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), realizada em setembro, concluiu que os casos de “mal da vaca louca” no Brasil não representam riscos para a saúde animal e humana.

Foram identificados 2 casos da doença na carne de 2 frigoríficos, 1 em Belo Horizonte (MG) e outro em Nova Canaã do Norte (MT). De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o caso de EEB atípico ocorre de maneira espontânea e esporádica e não está relacionado à ingestão de alimentos contaminados.

Em novembro, as exportações de carne bovina caíram 47%, na comparação com o mesmo período de 2020. A queda foi uma consequência direta do embargo chinês ao produto.

Em novembro, as exportações totais de carne bovina — produto in natura e processado — somaram 105.200 toneladas, totalizando US$ 501 milhões. No mesmo período do ano passado, o Brasil exportou 197.852 toneladas. A queda na receita foi de 41%. 

Já no acumulado do ano, as exportações de carne bovina registraram aumento de 10% na receita, que até novembro movimentou US$8,5 bilhões. A alta está relacionada à elevação dos preços do produto no mercado internacional.

Fonte: Poder 360

Últimas notícias

Lançamento da Ruraltures será nesta quinta-feira (07) em Venda Nova do Imigrante

Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem O Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau promoverá, amanhã ...

Sistema Cantareira opera em estado de alerta

Os últimos dias acenderam um alerta para o nível dos reservatórios que abastecem ...

Jovens agricultores participam de curso sobre formação de lideranças

Um dos pilares da Coordenadora Latino-americana e do Caribe de Pequenos Produtores e ...

Revista Negócio Rural vence prêmio de jornalismo de Pernambuco

O cooperativismo conecta pessoas e também histórias. Que similaridade poderia haver entre as ...

Serenata Italiana será no próximo sábado (09) em Venda Nova do Imigrante

Relembrar os costumes dos primeiros imigrantes italianos que chegaram em Venda Nova do ...