China derruba embargo e libera carne brasileira

Sérgio Lima/Poder360

Exportações da proteína bovina podem retornar a partir desta quarta-feira

A China derrubou nesta quarta-feira (15) o embargo a importação da carne bovina brasileira. A Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos) já recebeu a confirmação do retorno de negócios entre os países na área por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Ao Poder360, a associação afirmou que há condições de embarque quase imediato dos produtos que foram estocados depois do embargo. A queda da proibição vale já a partir desta 4ª feira (15.dez). Os produtos referentes a contratos fechados na época que ainda não tinham sido embarcados foram estocados, sem serem direcionados ao mercado interno, o que possibilita o retorno dos envios quase imediatos agora.

A exportação de carne à China está suspensa desde setembro. O país é o principal comprador da carne bovina brasileira.

O país asiático tinha sinalizado a volta das exportações em novembro. Na época, a GACC (Administração Geral de Aduanas da China) liberou os produtos que já tinham recebido uma certificação sanitário antes do embargo.

O motivo para o embargo foi a identificação de casos atípicos de EBB (Encefalopatia Espongiforme Bovina) —conhecida como o “mal da vaca louca”.

Uma avaliação da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), realizada em setembro, concluiu que os casos de “mal da vaca louca” no Brasil não representam riscos para a saúde animal e humana.

Foram identificados 2 casos da doença na carne de 2 frigoríficos, 1 em Belo Horizonte (MG) e outro em Nova Canaã do Norte (MT). De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o caso de EEB atípico ocorre de maneira espontânea e esporádica e não está relacionado à ingestão de alimentos contaminados.

Em novembro, as exportações de carne bovina caíram 47%, na comparação com o mesmo período de 2020. A queda foi uma consequência direta do embargo chinês ao produto.

Em novembro, as exportações totais de carne bovina — produto in natura e processado — somaram 105.200 toneladas, totalizando US$ 501 milhões. No mesmo período do ano passado, o Brasil exportou 197.852 toneladas. A queda na receita foi de 41%. 

Já no acumulado do ano, as exportações de carne bovina registraram aumento de 10% na receita, que até novembro movimentou US$8,5 bilhões. A alta está relacionada à elevação dos preços do produto no mercado internacional.

Fonte: Poder 360

Últimas notícias

Valor da contribuição mensal do MEI vai aumentar em fevereiro

Os microempreendedores individuais devem ficar atentos ao reajuste na contribuição mensal, que passa ...

Impacto ambiental urbano pode ser maior que do agro

O Brasil teve um ano de destaque no direito ambiental e terá que ...

Produção de café deve atingir 55,7 milhões de sacas na safra de 2022

Os produtores de café deverão colher a terceira maior safra do grão neste ...

Produtores celebram colheita e resultados da primeira safra de Uvas em Guarapari

Sandra Butke, em suas parreiras no início da produção. Para diversos produtores rurais ...

Ceasa-ES orienta produtores sobre armazenamento adequado de alimentos

A ação, que teve início na última quinta-feira (13) e tem previsão de ...