Clima favorece cultura do algodão

As condições climáticas estão favoráveis e a cultura segue em desenvolvimento

A área estimada para o algodão nesta temporada é de 1.677,1 mil hectares, indicando incremento de 3,6% em relação aos 1.618,2 mil hectares efetivados na safra passada.

Em Mato Grosso, de maneira geral, as condições das lavouras são muito boas e existem boas perspectivas para a produtividade média, levando em consideração os melhores pacotes tecnológicos empregados. 

Na Bahia, com os plantios das lavouras de sequeiro foram finalizados em meados de janeiro e o plantio irrigado no final de fevereiro, as lavouras não sofreram com problemas climáticos. O veranico de dezembro não causou danos, e as chuvas bem distribuídas têm gerado ótimas condições de desenvolvimento às lavouras, que estão em estádio de florescimento e enchimento dos frutos. Assim, influenciada pelos grandes investimentos feitos no setor e pela expansão de área cultivada, a produção para esta temporada é considerada a maior, dentro da série histórica, estimada em 2,88 milhões de toneladas de algodão em pluma. 

Profissionais baianos se aprofundam no conhecimento do beneficiamento, classificação e comercialização do algodão 

Um time de profissionais dedicados ao algodão da Bahia, apoiados pela Abapa, participaram no, entre os dias 9 e 13 de março do segundo módulo do treinamento de Fundamentos e Estratégias para a Classificação do Algodão em Pluma, em Rondonópolis, Mato Grosso. Os inscritos tiveram aulas teóricas e práticas na sede do Instituto Mato-Grossense de Algodão (IMAmt) visando aprofundar o conhecimento sobre os processos de beneficiamento, classificação e comercialização técnica do algodão em pluma. 

Para o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, este intercâmbio entre os profissionais dos maiores estados produtores de algodão do Brasil é fundamental para a troca de experiências e aprendizado de técnicas ligadas à classificação da pluma. “Ao proporcionar que parte do curso fosse realizado no Mato Grosso, o objetivo do Centro de Treinamento da Abapa é garantir que os profissionais baianos continuem com acesso ao que há de mais atual e moderno nas rotinas e procedimentos de classificação da fibra utilizadas nas unidades produtivas do Brasil”, explica. 

Com carga horária total de 84 horas/aula, o primeiro módulo do curso foi realizado no Centro de Treinamento da Abapa – Parceiros da Tecnologia, em Luís Eduardo Magalhães. Na oportunidade, eles puderam visitar o Centro de Análise de Fibras da Abapa, considerado o maior laboratório de classificação de algodão da América Latina. O laboratório ultrapassou a marca de três milhões de amostras classificadas, garantindo um recorde de algodão analisado em uma só safra. A classificação da qualidade da fibra é fundamental para a comercialização da fibra junto ao mercado consumidor nacional e internacional. 

Últimas notícias

ATENÇÃO: chuva forte e rajadas de vento atingem a Grande Vitória e municípios do interior capixaba

A chuva forte prevista pela Coordenação de Meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, ...

Projeto do ES é selecionado em concurso de soluções para restaurar a bacia do rio Doce

Cinco iniciativas de plantio sustentável com fins econômicos foram selecionadas em parceria realizada ...

ES integra operação nacional Mata Atlântica em Pé

O balanço da ação no Estado será apresentado no próximo dia 1º, em entrevista ...

Programa CNA Jovem tem 3.742 inscritos e seleciona 1.400 para oficinas digitais

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) apresentou o primeiro balanço das atividades ...

Conab: safra brasileira de café é a segunda maior da história

Em seu 3º Levantamento da Safra 2020 de café, a Companhia Nacional de ...