Commodities Agrícolas: acumulado do ano pode ser até 75% menor em 2021

Em 2020, o agronegócio foi um dos poucos setores que continuaram crescendo, a despeito dos efeitos da crise em diversos segmentos da indústria. De acordo com o Relatório Macrossetorial Anual 2020, divulgado pela Costdrivers, uma plataforma de inteligência de mercado que mede indicadores e analisa projeções para tomadores de decisão dos setores de compras e suprimentos, antes mesmo da Covid-19 eclodir, os preços da soja e do milho já seguiam em aceleração devido à precificação internacional.

O alto volume de exportação, principalmente da soja e do milho, continuou favorecendo a elevação dos preços, agravada pelas restrições de oferta na América do Sul. Já o açúcar, outro componente de destaque na produção nacional, foi o menos afetado em 2020, devido à queda da cotação do petróleo. Mas, com a recuperação dos mercados e a sazonalidade do setor, os preços voltaram a crescer, apesar de ter apresentado o menor acumulado do ano ante a soja e o milho.

Para 2021, o Relatório Macrossetorial da Costdrivers prevê um acumulado de preços mais contido para este ano, com a soja alcançando um máximo de 17,88%, enquanto o milho fica em 21%. O açúcar deve apresentar um avanço de 10,18% até dezembro/2021.

Já em 2020, o acumulado de preço da soja bateu 74,19%, enquanto o do milho alcançou 56,43%. O açúcar ficou abaixo dos 40%, finalizando dezembro com um acumulado de 38,16%. Para Igor Garcia, economista da Costdrivers, o fenômeno La Niña perdeu força desde o final de 2020, mas seus efeitos ainda vêm sendo sentidos, principalmente na safra de milho, devido a chuvas escassas, o que pode contribuir para a elevação dos preços. O aquecimento das exportações também é outro fator importante de sustentação desses repasses.

“Tais expectativas, contudo, estão atreladas à atual condição tributária. Se com a reforma houver aumento de impostos sobre o setor, há riscos de o Brasil perder competitividade nas exportações, além dos preços dos alimentos subirem ainda mais, prejudicando o consumidor final.”, avalia Garcia.

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o PIB do Agronegócio deve crescer 3,2% este ano, e a produção também deve avançar. Segundo previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de milho deve avançar 9,1% e a de soja, 10,5%. Se ano passado, o Brasil experimentou safras recordes de soja, milho e algodão, bem como cana-de-açúcar, em 2021 as colheitas também devem se manter acima da média.

“Diante desse cenário, temos uma paridade de oferta e demanda, o que deveria contribuir para a diminuição dos preços. Contudo, as exportações diminuem o estoque nacional, aumentando os preços para o mercado interno e, consequentemente, para o consumidor final, que é a ponta que mais sente essa volatilidade”, destaca o economista.

Se por um lado as exportações não podem diminuir, pois são essenciais para manter a balança comercial do país positiva, por outro o corte nas tarifas de importação é uma maneira eficaz de tentar reduzir esses repasses.

A medida do governo, de zerar os tributos sobre importação da soja e do milho até o fim do primeiro trimestre deste ano, ajudou a manter os valores estáveis. Mas, com o retorno das tarifas e o fluxo de exportações, a tendência é que o consumidor continue sentindo o peso na cesta básica.

“A solução para uma redução expressiva dos preços no mercado interno passaria, necessariamente, pela redução de tributos, além da diminuição das despesas públicas. É urgente que as reformas econômicas e tributárias contemplem não apenas os produtores e as indústrias, mas também o consumidor final, que é quem paga a conta”, conclui Garcia.

Fonte: Intelligenzia

Últimas notícias

Definidas condições para liberação de linha de crédito para cafeicultores atingidos por geadas

O Voto será submetido ao Conselho Monetário Nacional, para em seguida disponibilizar essa ...

Congresso das Mulheres do Agronegócio terá debate sobre “Bioeconomia” e a relação entre o progresso econômico e o meio-ambiente

Mesa-redonda reunirá representantes de diferentes elos da cadeia produtiva para discutir os melhores ...

Exportações do agronegócio batem recorde para setembro, com US$ 10,1 bilhões

O complexo soja e as carnes foram destaques nas exportações do mês, registrando ...

Lançadas as primeiras variedades de batata coloridas do Brasil

Chegam ao mercado nacional as primeiras variedades de batata coloridas desenvolvidas no Brasil ...

Cooperativa lança plataforma com o maior acervo digital do agro

A Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) coloca no ar hoje (15), a maior ...