Conab destaca tomates mais baratos e aumento da exportação de frutas

Foto: Juliana Bencke/Folha do Mate

O clima de festas de Natal e Ano Novo no último mês alterou o consumo de hortaliças, mas os preços das Centrais de Abastecimento (Ceasas) revelam que o tomate foi o que apresentou maior redução de preços para os consumidores. Em Goiânia (GO) chegou a cair mais de 20%, com preço médio mensal de R$ 2,95/kg, enquanto em Fortaleza (CE) a queda na cotação foi de 18,3%, vendido em média a R$ 2,58/kg. Os dados são do 1º Boletim Prohort, divulgado ontem (26), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O motivo do movimento de baixa na hortaliça, segundo o estudo, deve-se ao grande volume do produto recebido nos mercados, onde foi registrado um fluxo de cerca de 10% a mais em dezembro. No Ceará, por exemplo, a comercialização foi 30% superior ao que foi recebido no mês anterior. Somente em São Paulo (Ceagesp) e em Recife (Ceasa/PE) ocorreu a alta de preços do tomate, ainda assim, em pequenos percentuais. 

Também a cebola experimentou uma tendência de queda na maioria dos mercados, com menor variação no Rio de Janeiro (-1,75%) e maior em Brasília (-27,66%). Batata e cenoura apresentaram comportamento distintos entre os mercados.  A batata, por exemplo, subiu 7,37% em Curitiba e 14,22% em Belo Horizonte, enquanto em Fortaleza e Recife houve redução de 11,53% e 4,11%, respectivamente. A variação deve-se ao aumento da demanda por ocasião das festas de fim de ano, mesmo com a maior oferta da safra das águas.

Para a cenoura, as variações estavam acima em dezembro, entre 1% na Ceagesp e 12,86% na Ceasa Minas. As reduções ocorreram em mercados de Fortaleza (-8,76%), Recife (-3,56%) e Goiânia (-12,9%). Mas esta hortaliça tende a estender a queda de preços já a partir deste mês, como reflexo da colheita da safra de verão, principalmente em Minas Gerais, principal estado abastecedor.

FRUTAS – As frutas, incluindo as que têm mais representatividade comercial nas Ceasas como laranja, maçã, melancia, banana e mamão, obtiveram ganho nas exportações no ano passado, remunerando melhor os produtores. O volume exportado chegou em dezembro com mais de um milhão de toneladas, cerca de 6% acima do ano anterior. Destaque do crescimento do volume das exportações são também para limões, limas, mangas, conservas e preparações de frutas.

A maioria dos mercados atacadistas teve alta de preços das frutas no último mês, impulsionada principalmente pelo aumento dos insumos. A melancia de Goiânia aumentou em 50%, elevando o preço médio do quilo para R$ 1,83, enquanto que, em Belo Horizonte, a banana subiu 37,9%, atingindo a média mensal de R$ 3,00/kg.

A laranja e o mamão formosa foram os poucos que apresentaram preços mais baixos, em parte pela grande oferta dessas frutas e da concorrência com as frutas de caroço, típicas de final de ano. A Conab acompanha os preços praticados nas Ceasas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Goiânia, Brasília, Recife e Fortaleza.

Confira aqui a íntegra do Boletim Hortigranjeiro de Janeiro de 2021.

Fonte: Conab

Últimas notícias

Morre um dos mais importantes touros da raça Gir Leiteiro

Dragão TE morreu no dia 1º de março e deixa importante legado para ...

Publicação do Incaper tem alto número de acessos em plataforma científica internacional

O livro “Guia de Interpretação de análise de solo e foliar” do Instituto ...

Mais de 700 licenças de pescadores são suspensas em 11 estados e no DF

Os registros foram suspensos em razão de inconsistências e indícios de irregularidades. A ...

Febre aftosa: 2ª etapa da campanha de vacinação alcança mais de 98% do rebanho nacional

Cerca de 76 milhões de bovinos e bubalinos com até 2 anos de ...

Projeto do Incaper desenvolve aplicativo de venda direta para a agricultura familiar

A primeira reunião para a identificação de estabelecimentos e produtores foi realizada na ...