Conab destaca tomates mais baratos e aumento da exportação de frutas

Foto: Juliana Bencke/Folha do Mate

O clima de festas de Natal e Ano Novo no último mês alterou o consumo de hortaliças, mas os preços das Centrais de Abastecimento (Ceasas) revelam que o tomate foi o que apresentou maior redução de preços para os consumidores. Em Goiânia (GO) chegou a cair mais de 20%, com preço médio mensal de R$ 2,95/kg, enquanto em Fortaleza (CE) a queda na cotação foi de 18,3%, vendido em média a R$ 2,58/kg. Os dados são do 1º Boletim Prohort, divulgado ontem (26), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O motivo do movimento de baixa na hortaliça, segundo o estudo, deve-se ao grande volume do produto recebido nos mercados, onde foi registrado um fluxo de cerca de 10% a mais em dezembro. No Ceará, por exemplo, a comercialização foi 30% superior ao que foi recebido no mês anterior. Somente em São Paulo (Ceagesp) e em Recife (Ceasa/PE) ocorreu a alta de preços do tomate, ainda assim, em pequenos percentuais. 

Também a cebola experimentou uma tendência de queda na maioria dos mercados, com menor variação no Rio de Janeiro (-1,75%) e maior em Brasília (-27,66%). Batata e cenoura apresentaram comportamento distintos entre os mercados.  A batata, por exemplo, subiu 7,37% em Curitiba e 14,22% em Belo Horizonte, enquanto em Fortaleza e Recife houve redução de 11,53% e 4,11%, respectivamente. A variação deve-se ao aumento da demanda por ocasião das festas de fim de ano, mesmo com a maior oferta da safra das águas.

Para a cenoura, as variações estavam acima em dezembro, entre 1% na Ceagesp e 12,86% na Ceasa Minas. As reduções ocorreram em mercados de Fortaleza (-8,76%), Recife (-3,56%) e Goiânia (-12,9%). Mas esta hortaliça tende a estender a queda de preços já a partir deste mês, como reflexo da colheita da safra de verão, principalmente em Minas Gerais, principal estado abastecedor.

FRUTAS – As frutas, incluindo as que têm mais representatividade comercial nas Ceasas como laranja, maçã, melancia, banana e mamão, obtiveram ganho nas exportações no ano passado, remunerando melhor os produtores. O volume exportado chegou em dezembro com mais de um milhão de toneladas, cerca de 6% acima do ano anterior. Destaque do crescimento do volume das exportações são também para limões, limas, mangas, conservas e preparações de frutas.

A maioria dos mercados atacadistas teve alta de preços das frutas no último mês, impulsionada principalmente pelo aumento dos insumos. A melancia de Goiânia aumentou em 50%, elevando o preço médio do quilo para R$ 1,83, enquanto que, em Belo Horizonte, a banana subiu 37,9%, atingindo a média mensal de R$ 3,00/kg.

A laranja e o mamão formosa foram os poucos que apresentaram preços mais baixos, em parte pela grande oferta dessas frutas e da concorrência com as frutas de caroço, típicas de final de ano. A Conab acompanha os preços praticados nas Ceasas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Goiânia, Brasília, Recife e Fortaleza.

Confira aqui a íntegra do Boletim Hortigranjeiro de Janeiro de 2021.

Fonte: Conab

Últimas notícias

Cursos de tratorista e cultivo de cacau exclusivos para mulheres

Registro de ação do projeto “Mulheres do Cacau” com produtoras rurais As mulheres estão ...

Mapa destrói 58 mil garrafas de azeite de oliva fraudado

Foi a maior apreensão já realizada pelo Ministério da Agricultura no país desde ...

Campanha pretende estimula consumo do produto no país

Tema foi debatido durante reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite ...

Conab afirma que clima prejudica oferta de hortaliças e frutas no país

Quem procura preços baixos no atacado terá que aguardar mais um pouco até ...

Congresso Brasil-Alemanha de Inovação acolhe também o tema de sustentabilidade

Um dos eventos mais tradicionais do ecossistema brasileiro de inovação e o maior ...