Concurso seleciona as melhores amêndoas de cacau do Brasil

Fotos: Ana Lee/Divulgação

Onze amostras de cacau especial do Pará, sete da Bahia, uma do Espírito Santo e uma de Rondônia são finalistas do IV Concurso Nacional de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau Especial do Brasil, que seleciona as melhores amêndoas produzidas no país. Esta edição irá distribuir R$ 50 mil em prêmios para os três primeiros colocados em cada uma das duas categorias: varietal (variedade única de cacau) e blend (mistura de variedades). A cerimônia que irá revelar os vencedores será realizada no próximo dia 25 (sexta-feira), em Belém do Pará.

Anúncio

A estratégia dos organizadores, representados pelo Comitê Nacional de Qualidade de Cacau Especial (CNQCE), é que o concurso seja realizado no Pará e na Bahia, alternando entre os dois principais produtores de amêndoas de cacau do país. Este ano, o Pará tem uma maior representatividade entre os finalistas, reflexo do apoio do governo do estado nas ações voltadas para a cacauicultura e da ação de ONGs que desenvolvem trabalhos de assistência técnica voltada para a melhoria da qualidade, como a Solidaridad e o Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola).

Anúncio

“Essa rede de apoio aos cacauicultores paraenses vem fazendo a diferença ano a ano, aumentando a participação e as premiações recebidas pelos produtores”, aponta Cristiano Villela, diretor científico do Centro de Inovação do Cacau (CIC), entidade organizadora do evento, juntamente com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

Vencedora na categoria varietal do ano passado, a produtora baiana Cláudia Sá, da Agrícola Cantagalo, voltou a inscrever uma amostra do seu BN 34 e destaca os resultados colhidos após a conquista. “O prêmio trouxe clientes além das moageiras. Médios e pequenos produtores de chocolates bean to bar (do grão à barra) passaram a olhar para a Cantagalo como uma empresa capaz de produzir uma amêndoa boa o suficiente para estar nessas barras tão especiais. Nada é mais gratificante para o produtor de cacau do que ter no rótulo do chocolate o nome da sua fazenda”. Este ano, Cláudia emplacou ainda a amostra PS1030 como finalista na categoria varietal e outra na categoria blend.

SUSTENTABILIDADE – O Concurso Nacional de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau Especial do Brasil avalia também as condutas de produção dos participantes. Essa avaliação é feita com base no Currículo de Sustentabilidade do Cacau, documento que é referência de sustentabilidade para produtores de cacau, técnicos e instituições na busca pela melhoria contínua da produção atrelada à redução dos impactos negativos oriundos da atividade.

No ato de inscrição, os produtores respondem a um questionário sobre produção sustentável e, na etapa final, recebem a visita de auditores em suas propriedades para verificar as informações declaradas. “Os produtores precisam estar atentos ao seu enquadramento nos critérios de sustentabilidade definidos pelo currículo. Precisamos trabalhar a qualidade do nosso cacau, mas mantendo o foco em um modelo de produção sustentável. E, desta forma, contribuir para a melhoria da reputação do cacau brasileiro”, destaca Cristiano Villela.

Ao todo foram 94 amostras inscritas em ambas categorias. Dessas, 20 seguiram para a etapa final da disputa pelo título de melhor cacau do país. Além de uma minuciosa avaliação dos aspectos físico-químicos das amêndoas, os finalistas passam também por análises sensoriais, como a prova do cacau em forma de líquor e ainda uma avaliação às cegas do sabor do cacau na forma de chocolate 70%. Os chocolates são codificados e enviados para um júri técnico de convidados especiais. Entre eles o empresário e chocolatier Ale Costa, da Cacau Show, chefs conceituados como Lucas Corazza, Luciana Lobo, entre outros.

O painel de avaliação sensorial inclui os maiores especialistas da área na cadeia do cacau do Brasil. São profissionais com um olhar técnico para triar qualidade e separar os defeitos presentes nas amostras. “São rodadas técnicas muito bem elaboradas dentro de um trabalho minucioso. Estamos em um momento de fortalecimento da cadeia, com um refinamento das metodologias de avaliação sensorial e união de profissionais de diversas instituições do cacau com o foco em encontrar as joias do cacau brasileiro”, ressalta a gerente de qualidade do CIC e gestora do painel técnico-sensorial do concurso, Adriana Reis.

PARIS – A etapa final desta quarta edição do Concurso Nacional de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau Especial do Brasil funcionará também como classificatória para o Cocoa of Excellence (CoEx), premiação internacional realizada anualmente em Paris, na França. Para isso, as amostras devem estar entre as oito com as maiores notas na avaliação sensorial. Esse processo de seleção é coordenado por um comitê nacional liderado pela Ceplac.

O Concurso Nacional de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau Especial do Brasil busca fortalecer a cacauicultura brasileira, valorizando e reconhecendo produtores que fazem um trabalho diferenciado, bem como incentivar a sustentabilidade em todo o processo produtivo. A premiação é uma iniciativa conjunta da cadeia de cacau através do CNQCE, patrocinada pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Estado do Pará (SEDAP-PA)/FUNCACAU); Mondelez – Cocoa Life; Nestlé – Cocoa Plan; Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab); Associação das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC); Cacau Show; Dengo Chocolates; Cargill; Gencau; Harald e SENAR-BA. O concurso é organizado pelo Centro de Inovação do Cacau (CIC) em parceria com a Ceplac.

FINALISTAS – CATEGORIA VARIETAL

  • Agrícola Cantagalo LTDA. (BA)
  • Agropecuária Sempre Firme (BA)
  • Ana Cláudia Milanez Rigoni (ES)
  • Deoclides Pires da Silva (RO)
  • Gilmar Batista de Souza (PA)
  • José Maltez Filho (BA)
  • Lídia Rosa dos Santos Souza (PA)
  • Luciano Ramos Lima (BA)
  • Mirian Aparecida Federicci Vieira (PA)
  • Rubens Dario Froes Costa de Jesus (BA)

FINALISTAS – CATEGORIA MISTURA

  • Agrícola Cantagalo (BA)
  • Belmiro Faes (PA)
  • Francisco Pereira Cruz (PA)
  • Gilmar Batista de Souza (PA)
  • João Rios (PA)
  • Lídia Rosa dos Santos Souza (PA)
  • Robson Brogni (PA)
  • Rogério Galvão Kamei (BA)
  • Valdemiro Broechl (PA)
  • Willian Paulo Broechl (PA)

Fonte: Lívia Cabral / Assessoria de Imprensa

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Nater Coop anuncia investimento de 8 milhões em novas estruturas de armazém de café no ES

Foto: Divulgação O volume de movimentação chegará a aproximadamente 75 mil sacas por ...

Agronegócio bate recorde de exportações em abril, com US$ 15,24 bilhões

O resultado correspondeu a 49,3% das exportações totais do Brasil Com valor recorde, ...

Sicoob inova experiência com cashback no Super App 

O Sicoob lançou a nova funcionalidade de cashback no Super App. Através do ...

Exportação de café em abril rende a maior receita da história registrada em um mês

Foto: Julio Huber O Brasil exportou 4,222 milhões de sacas de 60 kg ...

Socol pode se tornar patrimônio cultural no Espírito Santo

Foto: Gabriel Lordelo/Divulgação O socol, produto embutido exclusivo de Venda Nova do Imigrante, ...