Conselho aprova distribuição de recursos do Funcafé

Noaldo Santos/Mapa

O Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) aprovou, na última sexta-feira (13), a proposta de distribuição dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para o ano safra 2020/2021. Dos R$ 5,7 bilhões do orçamento do fundo, R$ 1,6 bilhão será destinado para custeio, R$ 2,3 bilhões para a comercialização, R$ 1,15 bilhão para a aquisição de café.

Outros R$ 650 milhões irão para capital de giro e R$ 10 milhões para a recuperação de cafezais. Na abertura do encontro, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, disse que é preciso pensar em instrumentos para ampliar o orçamento do Funcafé e financiar mais produtores, chamando gente de mercado para pensar em alternativas.

“O que a gente tem tentado fazer com todas as cadeias produtivas aqui no Mapa é incentivar os integrantes a pensar fora da casinha, e a gente está fazendo isso aqui todos os dias. Se der certo, ótimo, mas vamos focar principalmente nesses produtos que já são cadeias tradicionais, que já estão segmentados como o café e a cana-de-açúcar”, disse a ministra.

A ministra também destacou a necessidade de ampliar o segmento do café gourmet, com recursos para equalizar financiamentos, baixar juros, viabilizando alternativas de produção aos cafeicultores de menor porte, sabendo onde estão os gargalos para ajudá-los a agregar valor à produção.

Sobre o preço mínimo do café, a ministra ressaltou que é preciso trabalhar para aperfeiçoá-lo, com o objetivo de passar mais confiança à cafeicultura. “Esse valor é técnico e deve ser condizente com a realidade. Não deve ser usado como uma política de preços”, alertou ela.

OIC – O Conselho também debateu a manutenção da Organização Internacional do Café (OIC), para cumprir seu papel de apoiar a cafeicultura mundial. A ministra reconheceu que o Brasil, como maior produtor mundial de café, deve ter atuação mais ativa na organização. Ela disse que apoia a presença do país na OIC e defende a apresentação de um plano de reestruturação, na reunião da entidade, em setembro, em Londres.  “É o único organismo do setor e precisa ser bem utilizado”, completou ela.

Fonte: MAPA

Últimas notícias

Conab destaca tomates mais baratos e aumento da exportação de frutas

Foto: Juliana Bencke/Folha do Mate O clima de festas de Natal e Ano ...

Setor de flores em vasos cresceu em 2020 devido à pandemia

O mercado de plantas e flores foi um pouco diferente em 2020, pois ...

Programa de melhoramento de amendoim celebra 20 anos de atuação

O Programa Pró-Amendoim, que monitora a segurança alimentar dos produtos derivados do amendoim, ...

Chuva forte chega ao Sul e nuvens carregadas avançam pelo Brasil

Foto: Julio Huber Uma frente fria avança pelo oceano acompanhada de um sistema ...

Mapa descarta mais de 41 mil garrafas de azeite de oliva adulterado

Análises laboratoriais constataram presença de óleo de soja, corantes e aromatizantes nos produtos ...