Consumo de ovos pode reduzir depressão e fortalecer sistema imune

No Brasil, cerca de 5,8% da população sofre de depressão, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). No mundo, o aumento no número de casos da doença foi de quase 20% nos últimos dez anos. A doença, caracterizada pela perda ou diminuição do prazer e interesse pela vida, é causada, entre outros fatores, por um desequilíbrio na bioquímica cerebral, como a deficiência de neurotransmissores que promovem bem-estar (serotonina), noradrenalina e dopamina, por exemplo.

Estudos recentes mostram que, além da prática de exercícios físicos e de atividades que causem prazer, a dieta também pode influenciar nas emoções. De acordo com o Instituto Ovos Brasil (IOB), entidade sem fins lucrativos que estuda as propriedades nutricionais do ovo, esse alimento é muito importante para fornecer ao organismo os nutrientes necessários ao equilíbrio celular. Seu consumo, associado a uma dieta equilibrada, favorece a redução de sintomas ligados à depressão e fortalece o sistema imune.

“O ovo é rico em vitamina B6, vitamina B12, vitamina D, ácido fólico, zinco, magnésio e triptofano. Esses nutrientes servem de combustível para a produção de neurotransmissores essenciais ao bom funcionamento das funções do corpo. Manter uma dieta balanceada e rica nesses elementos é benéfico tanto na prevenção de desequilíbrios que provocam a depressão como em pacientes que já enfrentam a doença”, explica Lúcia Endriukaite, nutricionista do IOB.

Papel do ovo no sistema imune

Em um quadro depressivo, o hipotálamo – região do cérebro que, entre outras funções, coordena a produção de hormônios em diversas glândulas – estimula a produção do cortisol. Essa substância é conhecida como o “hormônio do estresse” e tem como consequência a diminuição da capacidade imunológica do organismo, o que torna pacientes em depressão mais suscetíveis a doenças.

“Na composição do ovo estão presentes uma série de vitaminas e minerais que participam na manutenção do sistema imune. Entre elas, destacam-se as vitaminas A, D, E, K, além de zinco, selênio, magnésio, manganês e outros. Essas vitaminas são facilmente absorvidas pelo organismo apenas na presença de gorduras – o ovo possui 4,5g de gorduras por unidade, por isso é uma ótima fonte desses nutrientes”, comenta Lúcia.

Além desses nutrientes, o ovo também é rico em glutamina, um aminoácido livre presente em grande quantidade no plasma e no tecido muscular. Estudos mostram que a glutamina age como combustível para o sistema imune e para os enterócitos, células que atuam na mucosa intestinal. Essa substância é utilizada em altas quantidades pelas células do sistema imune.

“Uma alimentação balanceada oferece ao organismo ferramentas importantíssimas para o equilíbrio das células. Incluir ovos em uma dieta adequada e manter um estilo de vida saudável são medidas essenciais para ajudar a reverter esse quadro de depressão”, afirma Lúcia. “No entanto, vale ressaltar que os sintomas ligados à doença devem ser acompanhados pelo médico para que se faça o tratamento adequado”, completa.

Fonte: IOB

Últimas notícias

Valor da contribuição mensal do MEI vai aumentar em fevereiro

Os microempreendedores individuais devem ficar atentos ao reajuste na contribuição mensal, que passa ...

Impacto ambiental urbano pode ser maior que do agro

O Brasil teve um ano de destaque no direito ambiental e terá que ...

Produção de café deve atingir 55,7 milhões de sacas na safra de 2022

Os produtores de café deverão colher a terceira maior safra do grão neste ...

Produtores celebram colheita e resultados da primeira safra de Uvas em Guarapari

Sandra Butke, em suas parreiras no início da produção. Para diversos produtores rurais ...

Ceasa-ES orienta produtores sobre armazenamento adequado de alimentos

A ação, que teve início na última quinta-feira (13) e tem previsão de ...