Detentos do Espírito Santo trabalham em fazendas do Incaper

Internos do sistema prisional do Espírito Santo estão tendo a oportunidade de trabalhar em fazendas experimentais do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Além de contribuir para a ressocialização de pessoas privadas de liberdade, a iniciativa fortalece os serviços nessas unidades, onde são desenvolvidas pesquisas científicas dedicadas à melhoria da agricultura do Estado.

A medida é resultado de um convênio de cooperação mútua firmado recentemente entre o Incaper e a Secretaria da Justiça (Sejus). São contemplados detentos que cumprem pena em regime semiaberto, ou seja, aqueles que têm autorização judicial para ir ao local de trabalho diariamente e que retornam para a unidade prisional após as atividades.

Anúncio

Inicialmente, dez internos foram contratados e atuam nas fazendas experimentais dos municípios de Linhares, Marilândia e Viana, realizando serviços como preparação de áreas para cultivo, semeadura, irrigação, além de pequenas manutenções e tratamento fitossanitário para controle de pragas.

Anúncio

A jornada de trabalho vai das 7h30 às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, com intervalo de 1h30 para almoço. A remuneração é composta por um salário mínimo, vale-transporte e auxílio-alimentação.

Ao inserir os detentos em atividades socioprodutivas e dotá-los de responsabilidades, a parceria busca minimizar os efeitos do encarceramento, reduzir a reincidência criminal no Estado e possibilitar ainda a remição de pena.

O diretor-presidente do Incaper, Franco Fiorot, enfatiza que essa é uma ação de responsabilidade social do instituto que vem ao encontro da necessidade de mão de obra nas fazendas experimentais, sendo parte de um planejamento para ampliar a força de trabalho nessas unidades. 

“Estamos contribuindo para que essas pessoas sejam reintegradas ao convívio social por meio do trabalho. A partir de suas atividades, os detentos ajudam no funcionamento das nossas fazendas, que desenvolvem pesquisas importantes para a agricultura capixaba. É, portanto, uma parceria que traz muitos resultados positivos para a sociedade”, frisa Fiorot. 

O subsecretário de Estado da Ressocialização da Sejus, Marcelo Gouvêa, também destaca a importância do convênio. “Os detentos participantes já têm conhecimento na área, pois são de comunidades do interior. Esta é uma oportunidade de capacitá-los para que desenvolvam um trabalho ainda mais profissional para quando estiverem em liberdade, já que terão a coordenação do Incaper, um órgão que entende do assunto. Esta é a continuidade de uma parceria que já dura há muito tempo”, pontua Gouvêa.

Texto: Felipe Ribeiro/SEAG

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Consumo de café solúvel cresce 5,3% no trimestre

Setor vem em expansão desde 2016; avanço reflete investimentos em qualidade, diversidade, formação ...

ES+Café irá promover imersão no universo da cafeicultura capixaba

A Feira ES+Café irá promover uma verdadeira imersão no universo da cafeicultura capixaba ...

Projeto entrega novas barracas a feirantes de Vitória

Foto: Marcos Salles Entrega das novas barracas das Feiras Livre Os feirantes que ...

Como plantar mais café em espaço reduzido?

O pesquisador do Incaper, Paulo Sérgio Volpi, destacou que o jardim clonal superadensado ...

Parceria estratégica do Sistema OCB busca fortalecer cadeia de lácteos

Foto: Reprodução / Sistema OCB Unidade nacional se reuniu com Conselho dos Exportadores ...