Dia do Café: confira dicas para aumentar a produtividade e qualidade dos grãos

Produtores devem fornecer água e nutrientes para ampliar a produção na próxima safra

A temperatura e as precipitações de chuva na média no ano agrícola 2020/21 favoreceram o desenvolvimento das lavouras de café no Espírito Santo, proporcionando uma boa produção para a colheita, que deve, preferencialmente, ter início a partir desta segunda quinzena de abril.

A época é ideal, pois permite que o café chegue ao ponto de maturação que resulte em melhores rendimento, produtividade e qualidade. Além de colher na hora certa, os produtores precisam manter a irrigação nesse período.

FLORAÇÃO – Boa parte dos cafeicultores suspende as práticas de irrigação e nutrição na colheita, esquecendo-se que a etapa fenológica seguinte é a floração. Com isso, as plantas entram nessa fase com grandes déficits nutricionais. 

Com a ajuda das soluções de irrigação inteligente e a adoção do protocolo apropriado, é possível garantir a colheita e aumentar a produtividade. 

“Muitos não sabem que uma das etapas mais importantes no cultivo do café é a sua floração. Esse período é responsável por definir o potencial produtivo do cafezal e, por isso, é fundamental estar atento às condições nutricionais das plantas e adicionar os nutrientes necessários para que ocorra um florescimento adequado. Deve-se também optar por técnicas efetivas, como o uso do processo de irrigação correto e bem orientado”, declarou o engenheiro agrônomo Elídio Torezani, diretor da Hydra Irrigações.

PANDEMIA – Por conta da pandemia do coronavírus, os agricultores também precisam adotar medidas de segurança para evitar contágio no período da colheita do café. 

Elas estão listadas na 2ª edição da cartilha “Colheita do café: orientações para prevenção do novo coronavírus”, lançada este ano pela Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca.

Entre as orientações, para que se tenha uma safra com tranquilidade, estão:

  • Manter distância mínima de 1 metro entre os trabalhadores durante a colheita;
  • Não compartilhar ferramentas e equipamentos de colheita, como peneiras, lonas e sacarias;
  • Utilizar estratégias como a divisão dos colhedores por talhões ou carreiras;
  • Colher os frutos de café somente no ponto ideal de maturação, otimizando a necessidade de contratações durante a pandemia;
  • Utilizar, quando possível, a colheita semimecanizada;
  • Devem ser higienizados equipamentos e máquinas de colheita quando forem realizadas trocas de operadores;
  • Os veículos de transporte e trabalho devem ser higienizados diariamente com água e sabão;
  • O alojamento e o banheiro dos trabalhadores precisam ser instalados em um ambiente bem ventilado, além de serem higienizados diariamente, com disponibilização de água e sabão;
  • O não devem ser contratados trabalhadores inseridos no grupo de risco para o novo coronavírus. Aqueles identificados com sintomas de gripe devem ser isolados por 14 dias.

PRODUÇÃO – Lembrando que o Espírito Santo é o segundo produtor de café do Brasil e o primeiro produtor de conilon, confirmando a importância dessa atividade para a agricultura capixaba.

Fonte: Vera Caser Comunicação

Últimas notícias

Menor oferta mundial de café impulsiona valores futuros

Os contratos futuros do café arábica tiveram desempenho positivo nesta semana, voltando a ...

Doze municípios do Espírito Santo passam para risco baixo de contaminação da Covid-19

O Governo do Estado anunciou, nesta sexta-feira (07), o 54º Mapa de Risco ...

Seminário discute déficit de armazenagem para grãos e aponta soluções emergenciais

A constatação da necessidade de aumentar o espaço para armazenar grãos nas principais ...

Conquistas no campo são alcançadas com o auxílio da Contribuição Sindical Rural

A Contribuição Sindical Rural (CSR) fortalece a categoria rural, e, é através dela ...

Ceasa-ES inicia coleta de culturas de produtos do mercado para análise

Ação vem sendo realizada em parceria com o MPES e a Vigilância Sanitária ...