Entrevista com o candidato ao governo do Espírito Santo, Audifax Barcelos

Julio Huber

O jornal O Noticiário, em parceria com o portal Montanhas Capixabas e com o portal da Revista Negócio Rural, entrevistou os sete candidatos ao governo do Espírito Santo. As entrevistas serão publicadas individualmente, uma por dia, a partir do dia 09 de setembro.

Anúncio

Os candidatos responderam as mesmas perguntas, e tiveram o mesmo limite de caracteres para cada resposta. As publicações diárias seguiram a ordem alfabética dos nomes que os candidatos estarão nas urnas. Abaixo, conheça um pouco mais sobre o candidato, e acompanhe as demais entrevistas.

Anúncio

  • Audifax Barcelos – Tem 58 anos, é economista e foi eleito prefeito de Serra por três mandatos: 2004, 2012 e 2016. Também foi eleito deputado federal em 2010. A vice na chapa da coligação Compromisso com a Vida (Solidariedade, Avante, PSOL e Rede) é Carla Andresa Nascimento Silva, a Tenente Andresa dos Bombeiros (Solidariedade), 35 anos.
  • Partido: Rede
  • Número: 18
  • Vice-governador (a): Tenente Andresa dos Bombeiros
  • Partidos coligados: Solidariedade, Avante, PSOL e Rede

Quais serão as primeiras ações que o senhor pretende executar a partir do próximo ano, caso seja eleito?

As ações prioritárias constam no nosso Plano de Governo, que estabelece medidas como a que eleva o orçamento da Segurança Pública, o reequilíbrio remuneratório e o fortalecimento das instituições policiais. Vamos criar a Secretaria da Mulher e dedicar atenção à saúde da mulher e da criança, com redução da mortalidade materna infantil e combate ao câncer de colo uterino e de mama, além de uma ação de planejamento para dar mais eficiência à máquina administrativa. 

O agronegócio é um setor que tem crescido nos últimos anos no Brasil, mesmo em períodos de crise. Quais as medidas que podem ser adotadas para contribuir cada vez mais para o desenvolvimento do setor no interior capixaba?

Vamos investir na agricultura e no agronegócio por meio de ações de apoio ao empreendedorismo rural com foco na qualificação, na tecnologia, extensão rural e acesso a novos mercados. Tudo isso vai impactar positivamente nas atividades do agronegócio, agroturismo e agricultura familiar. Vamos promover o zoneamento agroecológico e agrário, ordenando a ocupação e uso da terra e de outros recursos naturais; investimentos em infraestrutura, vias rurais, comunicação, internet rural e sistemas de energia. 

O turismo é um segmento importante para a economia do Estado, em especial para a Região Serrana do Estado. Quais são seus planos para essa área no Estado?

Vamos potencializar o turismo como vetor do desenvolvimento sustentável, ampliando a sinergia entre a cadeia do turismo e a cafeicultura para a geração de emprego e renda no Estado. Também vamos fortalecer a cadeia produtiva do artesanato local como produto turístico, além de estruturar os roteiros turísticos, diversificando a oferta por segmentos, como o cultural, religioso, agroturismo, ecoturismo, turismo de aventura, cicloturismo, negócios e eventos.

No interior do Estado, os hospitais regionais são importantes ao prestarem atendimentos aos moradores, evitando deslocamentos para a Grande Vitória, mas muitos passam por dificuldades financeiras. Há algum plano para fortalecer o sistema de saúde no interior? De que forma?

A saúde pública é uma prioridade. Por isso, vamos criar novos serviços nos Ambulatórios Médicos de Especialidades, além de aprimorar os já existentes, com o foco na otimização e ampliação dos atendimentos. Vamos realizar mutirões de cirurgias eletivas para zerar a fila das necessidades cirúrgicas. Também vamos reorganizar as redes de saúde para garantir atendimento hospitalar e de alta complexidade em todas as regiões, além de expandir e ampliar a rede hospitalar e de urgência.

Ultimamente a política está bastante polarizada nacionalmente, e isso reflete nas eleições estaduais. Como o senhor vê esse cenário no Espírito Santo nesse período eleitoral?

Na verdade não podemos nacionalizar as eleições no âmbito estadual. O que acontece no Espirito Santo é uma disputa democrática com propostas de melhoria da gestão do Estado, para maior eficiência das ações de governo no campo da saúde, educação, desenvolvimento econômico, entre outras. E nós temos as melhores propostas porque ouvimos toda a população capixaba. E, eu tenho certeza que podemos fazer muito mais pela segurança, saúde e educação para o povo do Espírito Santo.

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Feira de Agronegócios Cooabriel 2024 acontecerá em julho

O evento é considerado o maior do agro no estado do Espírito Santo ...

Café canéfora tem zoneamento de risco climático atualizado

Foto: Humberto Franco O Zarc delimita regiões e épocas de cultivo em classes ...

Senar-ES quer fortalecer o agro em Santa Leopoldina

Contribuir para um cenário de crescente desenvolvimento da produção sustentável no Espírito Santo ...

Ales vai promover sessão em homenagem às mulheres cooperativistas

Foto: Freepik Reunião acontece na próxima semana. Pauta foi proposta pela Comissão Permanente ...

Brasil produziu quase 900 mil toneladas de peixes de cultivo

A piscicultura venceu adversidades e cresceu 3,1% Em 2023 O Brasil produziu 887.029 ...