ES ganhará Condomínio Leiteiro 

Projeto inovador em pecuária leiteira com foco em eficiência técnica e econômica da Coopeavi começa a operar

Mais um projeto inédito será instalado no Espírito Santo para atender os pequenos produtores rurais. Após um ano de estruturação, a Coopeavi iniciou a fase de pré-inscrições do Condomínio Leiteiro, localizado em Sooretama, no norte capixaba. As vendas de cotas estão previstas para o segundo semestre.

A oportunidade é voltada para os mais de 18 mil cooperados. O objetivo é viabilizar técnica e economicamente uma solução que proporcione rentabilidade ao produtor de leite, garantindo acesso a um empreendimento inovador, com produção de leite a pasto de alta qualidade e em larga escala por meio das mais modernas técnicas e meios de produção. Além disso, o Condomínio Leiteiro está aberto à participação de cooperados de outras atividades agropecuárias interessados em diversificar a renda.

Anúncio

Situado na localidade de Córrego do Chumbado, na zona rural de Sooretama, o Condomínio ocupa uma área de 54 hectares, com pastejo irrigado no sistema de pivô central na maior parte do terreno. No primeiro módulo, a previsão é de 350 vacas em lactação até o segundo semestre deste ano.

Anúncio

A estrutura conta ainda com moderna sala de ordenha, curral de manejo reprodutivo/sanitário, ambiente para bezerros, salas de tanques de leite, sala de máquinas e galpão para maquinário.

Segundo o gerente executivo de Produção da Coopeavi, Luis Carlos Brandt, o Condomínio Leiteiro foca nas melhores práticas de manejo para alcançar os máximos resultados técnicos e econômicos, fornecendo informações precisas e confiáveis aos cooperados cotistas, como já ocorre com o Condomínio Avícola.

Ao participarem do projeto, os produtores rurais farão investimentos compatíveis com sua capacidade e terão retornos equivalentes à participação. Os custos de operação (mão de obra, nutrição, sanidade animal, utilização da infraestrutura, entre outros) serão rateados entre os investidores de acordo com cota de participação de cada um no Condomínio.

MODERNIZAÇÃO E SUSTENTABILIDADE – Desde 2019, a Coopeavi ampliou sua participação na cadeia da pecuária leiteira, e nos últimos anos, detectou a necessidade de modernização do setor através da inserção de novas soluções que envolvam tecnologia, melhoria genética e qualidade do leite e, consequentemente, aumento da produtividade e rentabilidade para os cooperados produtores de leite.

Para Brandt, as vantagens de se ter um produto e processos de produção homogêneos geram ganhos econômicos para o produtor e para a indústria de leite, motivados pelo salto de escala e qualidade. “O Condomínio Leiteiro é um projeto muito similar ao Condomínio Avícola, ao proporcionar ganhos de produtividade e eficiência através do aumento de escala. Ele propõe o aumento da produtividade a pasto, com eficiência em uma área intensificada, que conta com um pivô central e é gerido por meio de moderno software para melhor gestão técnica do recurso hídrico, de forma constante, além de toda a estrutura para contribuir com o bem-estar do rebanho, que se alimenta livremente no pasto, sendo complementada com uso de ração concentrada e suplementos minerais” afirma o gerente executivo de Produção.

Além disso, o diferencial do projeto da Coopeavi é a gestão de negócios calcada no tripé da sustentabilidade: social, ambiental e econômico, destaca o gerente de Bovinocultura e Assistência Técnica da cooperativa, Filipe Ton Fialho.

“Essa é a base do Condomínio Leiteiro. Socialmente falando, ocorre um êxodo muito grande na pecuária leiteira nacional. Pessoas indo para outras atividades que exigem mão de obra menos rotineira, por exemplo. Em termos econômicos, o Condomínio é uma forma de o produtor ter renda com leite sem necessariamente estar à frente da produção, ou então, ampliar sua produção atual através da participação no Condomínio. Por fim, o terceiro aspecto, o ambiental, tem grande impacto na agropecuária. O nosso modelo realiza a gestão eficiente do uso da água e dos resíduos da atividade através das melhores práticas. Até porque o consumidor a cada dia busca mais a transparência do uso dos recursos naturais”, analisa Fialho.

O projeto tem ainda outra vantagem para os cooperados cotistas. Além do leite produzido e da remuneração mensal proporcional às cotas, os animais que nascerem ou forem desligados do sistema, eventualmente vendidos para outros produtores, vão gerar receita para os participantes do modelo de negócio da Coopeavi.

TECNOLOGIA – Os bovinos selecionados para o Condomínio Leiteiro têm aptidão genética para garantir maior produtividade e serão monitorados por tecnologias que, muitas vezes, produtores de leite de menor escala não conseguem viabilizar. O rebanho é Girolando é monitorado digitalmente.

A tecnologia permite diversas aplicações focadas na saúde e bem-estar do rebanho. Graças a um chip instalado na orelha dos bovinos, é possível monitorá-los desde a entrada no ambiente de ordenha, identificando e separando automaticamente aqueles indivíduos que serão ordenhados ou, então, necessitam de algum cuidado especial, como um tratamento especifico.

Além disso, são gerados dados individualizados por animal, como por exemplo, quantidade de leite produzida por dia, entre outros. “São controles que dificilmente um produtor teria numa pequena propriedade com tamanha precisão e automação”, salienta Filipe Ton Fialho.

A instalação de novos módulos do Condomínio Leiteiro será feita conforme a demanda dos cooperados. “Qualquer cooperado vai poder investir, tanto diversificando a atividade como ampliando escala na própria atividade. Se ele já for produtor de leite, o modelo dispensa aquisição de terras, contratação de funcionários ou realização do manejo”, finaliza.

As pré-inscrições estão disponíveis Clicando aqui  

Fonte: Coopeavi

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Consumo de café solúvel cresce 5,3% no trimestre

Setor vem em expansão desde 2016; avanço reflete investimentos em qualidade, diversidade, formação ...

ES+Café irá promover imersão no universo da cafeicultura capixaba

A Feira ES+Café irá promover uma verdadeira imersão no universo da cafeicultura capixaba ...

Projeto entrega novas barracas a feirantes de Vitória

Foto: Marcos Salles Entrega das novas barracas das Feiras Livre Os feirantes que ...

Como plantar mais café em espaço reduzido?

O pesquisador do Incaper, Paulo Sérgio Volpi, destacou que o jardim clonal superadensado ...

Parceria estratégica do Sistema OCB busca fortalecer cadeia de lácteos

Foto: Reprodução / Sistema OCB Unidade nacional se reuniu com Conselho dos Exportadores ...