Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino é criado pelo governo federal

O grupo feminino Póde Mulheres, da Cooperativa Cafesul, que fica em Muqui, Sul do Espírito Santo, é um exemplo do empreendedorismo feminino

O governo federal publicou, nesta quinta-feira (11), no Diário Oficial da União (DOU), o decreto que cria a Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino. O objetivo é contribuir com a promoção do empreendedorismo feminino no Brasil como instrumento de inclusão social e econômica. A medida estabelece as bases para a “Estratégia Elas Empreendem” e cria o “Comitê de Empreendedorismo Feminino”.

O ministro do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, comemorou a medida como um marco para o empreendedorismo no país.  Segundo ele, as ações previstas no decreto reafirmam o compromisso do governo com a promoção do empreendedorismo feminino, apoiando mais de 10,3 milhões de mulheres empreendedoras, que representam 34% do setor no Brasil. “A iniciativa representa um avanço na criação de um ambiente mais inclusivo e favorável às MPEs, com mais liberdade empresarial, simplificação normativa e administrativa, implementação de programas de fomento, entre outros benefícios”, avaliou o ministro.

Anúncio

A especialista em empreendedorismo feminino do Sebrae, Renata Malheiros, destacou a importância de unir diferentes órgãos, tanto do governo, quanto da sociedade civil e da iniciativa privada, com um mesmo objetivo. Ela acredita que a interdisciplinaridade proposta nessa ação vai ao encontro da realidade, onde a mulher empreendedora está presente em todos os segmentos da economia, desde a agricultura até a indústria.

Anúncio

“As mulheres empreendedoras, infelizmente, ainda enfrentam desafios enraizados na nossa cultura, como a sobrecarga de trabalhos domésticos, que não deixam tempo para que elas possam se dedicar às suas empresas como elas precisam. Então, é muito importante que o Comitê e a Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino trabalhem essas questões”, comentou.

“Eu acredito que a gente vai conseguir fazer um trabalho articulado, porque realmente é preciso uma rede para poder superar essas barreiras culturais que as mulheres empreendedoras ainda enfrentam e fazer o trabalho da maneira mais coordenada possível”, argumentou especialista do Sebrae.

Fonte: Sebrae

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

62% dos navios para exportação de café registram atrasos em junho

De acordo com um levantamento do Cecafé, realizado com exportadores responsáveis por 77% ...

Banestes disponibiliza R$ 1 bilhão para o Plano Safra 2024/2025

Foto: Divulgação O Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) anunciou, na manhã ...

Saiba como é a produção de mudas in vitro

Está disponível no canal do YouTube do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica ...

Concurso irá premiar as 10 melhores fotos e vídeos das montanhas capixabas

Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem Chegou a hora de revelar os segredos mais bem ...

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Foto: NKG-Stockler Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), o Conselho Nacional do Café ...