Evento na Coreia do Sul pode render US$ 3,3 milhões ao Brasil

Foto: BSCA

Uma delegação brasileira marcou presença, de 1º a 4 de maio, na World of Coffee, em Busan, Coreia do Sul, feira realizada pela primeira na Ásia pela Specialty Coffee Association (SCA). Como ação do “Brazil. The Coffee Nation”, projeto realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), os empresários nacionais realizaram 130 contatos comerciais, sendo 65 com novos clientes, e podem fechar US$ 3,270 milhões em negócios, dos quais US$ 1,285 mi foi concretizado no evento e outro US$ 1,985 mi deve ser fechado nos próximos 12 meses.

Anúncio

Na feira, as ações do Brasil foram realizadas em um estande, que contou com quatro sessões de cupping e um brew bar, que ofereceu cafés arábicas e canéforas de diferentes origens produtoras do país, possibilitando que os quase 16 mil presentes, de 72 países, conhecessem e apreciassem a variedade sensorial do produto brasileiro e a história de seus produtores e exportadores.

Anúncio

A cultura do café faz parte do cotidiano da população na Coreia do Sul e o segmento do produto especial vem em uma crescente no país, conforme Vinicius Estrela, diretor-executivo da BSCA. “Temos notado um ‘pool’ de pequenas torrefações sul-coreanas que aparecem e demandam, em meio à competitividade do mercado local, qualidade, sustentabilidade, rastreabilidade e história dos cafés especiais e de seus cafeicultores, critérios nos quais o Brasil está bem estruturado para consolidar e aumentar seu share no mercado sul-coreano”, comenta.

Do tradicional café de estilo coreano a bebidas especiais, criativas e visualmente atraentes, o notável avanço no consumo é impulsionado pela cultura relacionada à bebida na Coreia do Sul e pela geração mais jovem, que adota o produto como estilo de vida.

Segundo a plataforma global de dados e business intelligence “Statista”, o país consumiu 3,17 milhões de sacas (60 kg) no ano safra 2022/23, fazendo do café a bebida preferida entre os adultos sul-coreanos. Incluindo takeaway em cafeterias e lojas especializadas e o consumo no lar, o produto foi escolhido por 26,2% dos entrevistados, liderando o ranking a frente de sucos de frutas e produtos à base de leite.

“Há um aumento na procura dos coreanos por cafés takeout, que foi impulsionada durante a pandemia, devido às medidas de distanciamento, e permanecem até hoje, o que tem feito que redes de cafeterias ampliem seus pontos de venda e, consequentemente, estimulem o avanço do consumo no país”, aponta Estrela.

Ele lembra, ainda, que a cidade de Busan possui grande importância no comércio global, tendo um dos mais relevantes portos do mundo, localizado no Mar do Leste, principal rota marítima que liga a Europa ao continente americano. Em 2023, de acordo com o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), a Coreia do Sul foi o 12º principal importador do produto nacional, adquirindo 964.498 sacas. Desse total, 950.720 sacas entraram no território sul-coreano pelo Porto de Busan.

Dentro do vigente ano safra 2023/24, essa foi a segunda ação do “Brazil. The Coffee Nation” realizada na Coreia do Sul. Em novembro do ano passado, o projeto possibilitou que empresários brasileiros concretizassem US$ 6,126 milhões em negócios na Cafe Show Seoul e projetassem a possibilidade de mais US$ 16,264 milhões até outubro deste ano, o que elevaria o total para US$ 22,390 milhões. Somadas, as iniciativas em Seul e Busan devem render US$ 25,660 milhões ao Brasil.

“A expressividade desses números revela nossa precisão no ranqueamento dos mercados-alvos do projeto para os cafés especiais do Brasil, que conta, entre esses países consumidores, com a Coreia do Sul desde os seus primórdios”, conclui o executivo da BSCA.

MUNDIAL DE BARISTA – A participação brasileira na World of Coffee, realizada em Busan, também se deu por meio de Daniel Vaz, atual campeão brasileiro de baristas. Com o título, ele ganhou o direito de representar o país no 2024 World Barista Championship, competição que reuniu dezenas de campeões nacionais de todo o mundo. Com bom desempenho, Vaz encerrou o campeonato como o 31º melhor barista do mundo.

Fonte: BSCA

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

ES livre de febre aftosa sem vacinação: saiba os benefícios

Foto: Freepik O Espírito Santo está oficialmente livre da febre aftosa sem vacinação. ...

Lactalis distribui água em supermercados gaúchos

Foto: Carolina Jardine A Lactalis Brasil ganhou um novo apoio para distribuir água ...

Bahia dá início à colheita do algodão safra 2023/2024

Foto: Divulgação As máquinas em campo sinalizam o início da colheita do algodão ...

Família dá até mamadeira para cuidar de filhote de veado encontrado ferido

Foto e vídeo: Divulgação Texto: Julio Huber / Foto: Divulgação Um filhote de ...

Furtas e hortaliças sofrem aumento por conta das fortes chuvas no Rio Grande do Sul

Foto: André Oliveira / MDS A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) trouxe uma ...