Faturamento das lavouras dos Cafés do Brasil foi estimado em R$ 71,7 bilhões para 2022

Produção de café arábica ocupa 1,43 milhão de hectares, com produtividade média de 27,1 sacas por hectare, e a de café conilon 389,2 mil hectares, com média de 43,6 sacas por hectare

O Valor Bruto da Produção (VBP) dos Cafés do Brasil, que corresponde ao faturamento total das lavouras cafeeiras, tanto da espécie de café arábica como de conilon, está estimado em R$ 71,7 bilhões para 2022. Neste contexto, o café conilon, com receita estimada de R$ 14,17 bilhões representa 19,7% desse faturamento; e o café arábica, com estimativa de R$ 57,54 bilhões, corresponde a 80,3% do total. Com base nesses números, verifica-se que a cafeicultura será responsável por aproximadamente 8,2% do faturamento total das lavouras brasileiras, estimada em R$ 869,4 bilhões, desempenho que coloca o setor do café em quarto lugar no ranking do VBP, em 2022.

Ao compararmos o Valor Bruto de Produção (VBP) de 2021, com a estimativa do VBP de 2022, é possível perceber um expressivo aumento de aproximadamente 73% no faturamento do café da espécie arábica, saltando de R$ 33,28 bilhões em 2021, para R$ 57,54 bilhões em 2022. Já o café da espécie conilon, deve apresentar um aumento de 31%, subindo de R$ 10,82 bilhões para R$ 14,17 bilhões.

Continua após o anúncio

O cálculo da estimativa do faturamento bruto, especificamente para as lavouras, contempla 17 produtos agrícolas e considera os preços médios recebidos pelos produtores rurais nos meses de janeiro e fevereiro do corrente ano, o qual totalizou, conforme mencionado anteriormente, R$ 869,4 bilhões neste ano de 2022. Assim, um ranking dos cinco produtos agrícolas que apresentam a maior estimativa de faturamento bruto, em ordem decrescente, denota o seguinte: soja, em primeiro lugar, figura com R$ 353,8 bilhões, que correspondem a 40,6% do total; em segundo, milho – R$ 157,72 bilhões (18,1%); cana-de-açúcar, em terceiro – R$ 117,62 bilhões (13,5%); café, conforme citado, ocupa o quarto lugar, com R$ 71,72 bilhões (8,2%); e, em quinto lugar, o algodão, com R$ 40,76 bilhões, montante que representa 4,6% do VBP das lavouras brasileiras.

Com relação à produção total dos Cafés do Brasil prevista para 2022, incluindo as duas espécies (arábica e conilon), a previsão é de que o volume físico apresente um aumento de 16,8% em relação ao ano passado, chegando a 55,74 milhões de sacas de 60kg, produzidas em uma área de 1,82 milhão de hectares. A produção de café arábica deve ser responsável por 69,5% do total da produção brasileira com 38,78 milhões de sacas, número que representa um aumento de 23,4%, se comparado a 2021. Enquanto que a produção de café conilon, com um aumento de 4,1% em relação ao ano passado, deve atingir 16,95 milhões de sacas, volume que representa 30,5% de todo café que deverá ser produzido no Brasil em 2022.

Ao analisar exclusivamente os cafés da espécie arábica, verifica-se que a respectiva área em produção teve uma ligeira queda de 0,2%, a qual ocupa neste ano 1,43 milhão de hectares, com produtividade média de 27,1 sacas por hectare. Se comparados com a safra anterior, tais números representam um acréscimo de 23,4% na produção e de 23,6% na produtividade do café arábica, em decorrência principalmente fator da bienalidade dessa espécie de café, que alterna produção menor em um ano com safra maior no ano seguinte.

Quanto à produção dos cafés da espécie conilon, se for feita esta mesma análise comparativa, abordando a área em produção e a produtividade da safra 2022, em comparação com os dados de 2021, constata-se que a área em produção aumentou 3,7% e, assim, conta atualmente com 389,2 mil hectares e produtividade média de 43,6 sacas por hectare, performance que indica um pequeno aumento de 0,4% em relação à produtividade média dos cafés da espécie conilon do ano anterior.

Os dados e números que permitiram realizar esta análise foram obtidos do Sumário Executivo do Café – Março de 2022 e do Valor Bruto da Produção – VBP – Fevereiro 2022, estudos do setor cafeeiro que são elaborados e divulgados mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa, cujas edições estão disponíveis na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Com base exclusivamente nos dados do Valor Bruto da Produção – VBP, se também for estabelecido um ranking, no caso, do faturamento da cafeicultura nas cinco regiões geográficas brasileiras, nota-se que a Região Sudeste ocupa o primeiro lugar com R$ 63,82 bilhões, o que equivale a 89% do faturamento total, seguida pela Região Nordeste com R$ 4,1 bilhões (5,7%). Em terceiro lugar vem a Região Norte com o faturamento estimado em R$ 2,37 bilhões (3,3%), em quarto a Região Sul com R$ 844,7 milhões (1,2%). E, por fim, a Região Centro-Oeste, que tem o faturamento bruto da lavoura cafeeira estimado em R$ 566,77 milhões, montante que corresponde a 0,8% do VBP dos Cafés do Brasil em 2022.

Fonte: Embrapa Café

Últimas notícias

Confirmada: 11ª Feira de Negócios Coocafé será presencial

Um dos principais eventos realizados para o cooperado Coocafé é a Feira de ...

Alunos aprendem, na prática, como vacinar o rebanho

Mais uma ação do projeto “Vai pra Roça” foi realizada em São Gabriel ...

Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Uma novidade foi lançada pela Companhia Nacional de Abastecimento  (Conab) para os pecuaristas ...

Alysson Paolinelli, indicado ao Nobel da Paz, participará da Feira de Agronegócios da Cooabriel

Indicado ao prêmio Nobel da Paz em 2021, o ex-ministro e professor Alysson ...

Prazo para vacinar animais de 0 a 2 anos contra febre aftosa está acabando

A vacinação de bovinos e bubalinos acontece até o dia 31 de maio ...