Funcafé: liberados R$ 6,88 bilhões e mantida a taxa máxima de juros 11% ao ano

Foto: Julio Huber

O Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) anunciou a distribuição dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para a safra 2024/2025. O orçamento disponibilizado para o setor, que está sob o guarda-chuva do Plano Safra, atingiu a marca histórica de R$ 6,88 bilhões. Outro ponto relevante é a manutenção da taxa máxima de juros em 11% ao ano, mesmo patamar da safra anterior.

Anúncio

Os recursos serão distribuídos para as seguintes linhas de crédito: financiamento para aquisição de café (FAC) (R$ 1,61 bilhão); crédito para capital de giro (R$ 1,01 bilhão); crédito de comercialização (R$ 2,49 bilhões); crédito de custeio (R$ 1,73 bilhão) e crédito para a recuperação de cafezais (R$ 30 milhões).

Anúncio

A Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) defendeu o remanejamento de recursos ociosos para a linha de crédito para Capital de Giro, principal linha destinada à indústria. Com o apoio de representantes do setor público e privado, o pleito da Associação fez com que o valor chegasse a R$ 1,01 bilhão, um recorde para o segmento, tornando a linha de capital de giro a que mais cresceu em termos percentuais.

“A ABIC, sempre ao lado do industrial, defende o melhor para a cadeia cafeeira. Uma linha de crédito menos burocrática para Capital de Giro, com mais recursos disponíveis, beneficiará os industriais. É uma importante vitória para o nosso setor”, celebra Celírio Inácio, diretor executivo da ABIC.

Vale lembrar que a ABIC, em 2021, conquistou a isonomia da taxa de juros no âmbito do Funcafé, reduzindo a taxa máxima de juros para a indústria de torrefação, ao igualar as condições em face das taxas aplicáveis às linhas de interesse dos cafeicultores.

Outra importante conquista do setor cafeeiro foi a alocação de R$ 31,1 milhões para financiar pesquisas, estatísticas e a promoção do café brasileiro. Após décadas sem recursos do Funcafé aplicados na promoção da imagem do grão, R$ 4,6 milhões serão destinados ao planejamento do marketing nos mercados nacional e internacional.

Do total, a Embrapa Café receberá R$ 17,6 milhões para investir em pesquisa e capacitação de técnicos. Já a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a Subsecretaria de Tecnologia da Informação (STI), ficarão com R$ 9,02 milhões, cujo objetivo é sistematizar processos, inclusive de modernização do levantamento de safra.

Fonte: Abic

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

62% dos navios para exportação de café registram atrasos em junho

De acordo com um levantamento do Cecafé, realizado com exportadores responsáveis por 77% ...

Banestes disponibiliza R$ 1 bilhão para o Plano Safra 2024/2025

Foto: Divulgação O Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) anunciou, na manhã ...

Saiba como é a produção de mudas in vitro

Está disponível no canal do YouTube do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica ...

Concurso irá premiar as 10 melhores fotos e vídeos das montanhas capixabas

Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem Chegou a hora de revelar os segredos mais bem ...

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Foto: NKG-Stockler Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), o Conselho Nacional do Café ...