Grupo agrícola adquire empresa paranaense e amplia atuação nacional

Pedro de Moraes Filho é CEO da Safras Agroindustrial

O Grupo Safras anunciou que concluiu a aquisição das operações da Copagri, empresa paranaense com atuação nos estados do Paraná, Santa Catarina, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso, Estado onde ela investiu em uma planta industrial que deverá processar mais de 700 mil toneladas de soja a partir de 2024. A Copagri faturou aproximadamente R$ 2.5 bilhões no último ano fiscal e também atuava na exportação de grãos.

O Grupo Safras, com sede em Sorriso (MT), é composto pelas empresas Safras Armazéns Gerais, Safras Biocombustível, Safras Agropecuária, Nutri Agroindústria, Álcool Patriota e RD Rossato, dedicadas à armazenagem e comercialização de grãos. Também atua com venda de insumos agrícolas e produção de etanol a partir de milho, e agora soma aos seus negócios o processamento de soja e trading, através da Safras Agroindustrial (nova denominação da Copagri) o que torna o grupo um dos maiores conglomerados do setor, além de se destacar pela verticalização, atuando desde o campo até o grão industrializado.

A operação irá superar R$ 7 bilhões de faturamento já na próxima safra, e as novas etapas de desenvolvimento incluem continuidade do foco em governança e ganho de solidez à operação, agregando valor através de logística e adição de outras etapas da cadeia da soja e milho, principalmente.

De acordo com o CEO da Safras Agroindustrial, Pedro Morais Filho, a aquisição proporciona uma série de outras sinergias que através de aumento de eficiência e economia trarão um crescimento de lucratividade substancial. “Sabemos que os efeitos práticos serão sentidos mais para o próximo ano, mas algumas medidas já se mostraram bastante positivas”, assinala ele.

Outro ponto que ele destaca como atrativo é a capacidade de crescimento, principalmente no setor de biocombustíveis, com a estrutura industrial adicionada após a aquisição e utilização do know-how já existente no grupo através de sua indústria de etanol, a mais antiga no MT com produção através do milho. Com a incorporação, os números do grupo devem crescer, assim como os investimentos. “Pretendemos investir em novos armazéns e na planta de biodiesel”, destaca Pedro de Moraes Filho.

Fonte: Agropress Marketing e Comunicação

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Capacitação para operação de secagem e armazenamento de grãos preza pela segurança dos trabalhadores no Oeste baiano

No Oeste da Bahia, região essencialmente agrícola, a crescente necessidade de instalação de ...

Mecanização é o caminho para a produtividade na silvicultura

A mecanização veio trazer novos ventos de prosperidade para a silvicultura. Nos últimos ...

Últimos dias para inscrição de trabalhos científicos acadêmicos na Favesu 2024

Estudantes de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores nas áreas de frango de corte, ...

Prevenção contra a dengue deve ocorrer também em propriedades rurais

Foto: Freepik O Ministério da Saúde divulgou na última terça-feira (20) uma atualização ...

Pesquisador da Ufes revela benefícios dos manguezais para comunidades costeiras

Foto: Pablo Albarenga/National Geographic  Os manguezais são ecossistemas essenciais para as comunidades da ...