Laboratório de aquicultura marinha fortalecerá pesquisas no país

Visão em 3D do projeto do Lapimar

Foram reiniciadas, esta semana, as obras do Laboratório de Pesquisa e Inovação em Maricultura (Lapimar) na área da sede da Embrapa Tabuleiros Costeiros, em Aracaju. A licitação para o trabalho foi realizada em abril, e em maio as obras chegaram a iniciar, mas tiverem de ser interrompidas por decretos e decisões judiciais em decorrência da pandemia de Covid-19.

As máquinas concluíram os trabalhos de limpeza e planificação do terreno para o início da etapa de fundação da estrutura predial. A previsão para conclusão das obras é de seis meses.

Com investimentos de R$ 1,75 milhão, o prédio terá 580 metros quadrados de área construída, localizado numa área entre o Setor de Veículos e Transportes e a sede da Associação dos Empregados da Embrapa (AEE).

A construção do Lapimar na Embrapa Tabuleiros Costeiros é uma das ações do projeto de pesquisa em rede BRS Aqua, que conta com recursos do BNDES, sob liderança da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), e envolve 22 centros de pesquisa, 50 parceiros públicos e 11 empresas.

Acompanham os trabalhos, desde a fase de projeto e licitação, o engenheiro da unidade Orlando Prado e o pesquisador Carlos Alberto da Silva – Cadal, que é oceanógrafo e integra o grupo de pesquisa em maricultura da unidade da Embrapa em Aracaju.

PESQUISAS – Com sistema de gestão no modelo Multiusuário (em que outras Unidades da Embrapa e instituições parceiras podem utilizar sua estrutura), o Lapimar dará suporte a todas as frentes de pesquisa em aquicultura marinha no âmbito do BRS Aqua e em outros projetos da Embrapa e parceiros.

De acordo com Carlos Cadal, a estrutura do laboratório permitirá análises de suporte às pesquisas para promover avanços tecnológicos com foco na produção sustentável de peixes, camarões e ostras. A Embrapa Tabuleiros Costeiros conta atualmente com pesquisadores especializados nas três áreas.

“As rotinas do Lapimar envolverão estudos para avanços no manejo alimentar e reprodutivo, bem como a caracterização ambiental dos locais mais adequados para implantação de sistemas de produção desses animais em ambientes costeiros. As pesquisas sobre doenças também serão beneficiadas, pois a licitação envolveu também a ampliação do laboratório já existente, de sanidade animal”, explica o pesquisador.

Cadal destaca, ainda, que os sistemas instalados no Lapimar serão pioneiros no país, pois utilizarão a modalidade RAS (Recirculation Aquaculture System), que emprega o tratamento e a recirculação da água em todo o ciclo produtivo. 

“A maioria dos sistemas usa a modalidade aberta, com trocas de água com o ambiente marinho. Já o RAS emprega a recirculação, diminuindo riscos ambientais e conferindo maior sustentabilidade. Com o Lapimar em pleno uso, esperamos refinar ainda mais essa tecnologia de forma adaptada às condições regionais do Brasil”, frisou Cadal.

Fonte: Embrapa

Últimas notícias

Dia da Agricultura Irrigada: gotejamento contribui para melhoria da qualidade de culturas do ES

Especialista explica como a técnica de irrigação é eficiente para produções de café, ...

Colheita de café evolui no Brasil evolui para 20%, mas mantém atraso

A colheita de café da safra brasileira 2021/22 vai andando tanto para o ...

Convênio entre Seag e Sebrae beneficia mais de 150 empreendimentos rurais

Oficinas e consultorias tecnológicas estão sendo disponibilizadas para capacitar empreendedores. A Secretaria da ...

Associação de Brahmanabre inscrições para 1ª Prova de Eficiência e Performance

A expectativa é que participem fêmeas e touros de criatórios de todo o ...

Exportações de café pelo Espírito Santo caem 21% em maio

No último mês de maio o Espírito Santo exportou um total de 337 ...