Laboratório de aquicultura marinha fortalecerá pesquisas no país

Visão em 3D do projeto do Lapimar

Foram reiniciadas, esta semana, as obras do Laboratório de Pesquisa e Inovação em Maricultura (Lapimar) na área da sede da Embrapa Tabuleiros Costeiros, em Aracaju. A licitação para o trabalho foi realizada em abril, e em maio as obras chegaram a iniciar, mas tiverem de ser interrompidas por decretos e decisões judiciais em decorrência da pandemia de Covid-19.

As máquinas concluíram os trabalhos de limpeza e planificação do terreno para o início da etapa de fundação da estrutura predial. A previsão para conclusão das obras é de seis meses.

Com investimentos de R$ 1,75 milhão, o prédio terá 580 metros quadrados de área construída, localizado numa área entre o Setor de Veículos e Transportes e a sede da Associação dos Empregados da Embrapa (AEE).

A construção do Lapimar na Embrapa Tabuleiros Costeiros é uma das ações do projeto de pesquisa em rede BRS Aqua, que conta com recursos do BNDES, sob liderança da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), e envolve 22 centros de pesquisa, 50 parceiros públicos e 11 empresas.

Acompanham os trabalhos, desde a fase de projeto e licitação, o engenheiro da unidade Orlando Prado e o pesquisador Carlos Alberto da Silva – Cadal, que é oceanógrafo e integra o grupo de pesquisa em maricultura da unidade da Embrapa em Aracaju.

PESQUISAS – Com sistema de gestão no modelo Multiusuário (em que outras Unidades da Embrapa e instituições parceiras podem utilizar sua estrutura), o Lapimar dará suporte a todas as frentes de pesquisa em aquicultura marinha no âmbito do BRS Aqua e em outros projetos da Embrapa e parceiros.

De acordo com Carlos Cadal, a estrutura do laboratório permitirá análises de suporte às pesquisas para promover avanços tecnológicos com foco na produção sustentável de peixes, camarões e ostras. A Embrapa Tabuleiros Costeiros conta atualmente com pesquisadores especializados nas três áreas.

“As rotinas do Lapimar envolverão estudos para avanços no manejo alimentar e reprodutivo, bem como a caracterização ambiental dos locais mais adequados para implantação de sistemas de produção desses animais em ambientes costeiros. As pesquisas sobre doenças também serão beneficiadas, pois a licitação envolveu também a ampliação do laboratório já existente, de sanidade animal”, explica o pesquisador.

Cadal destaca, ainda, que os sistemas instalados no Lapimar serão pioneiros no país, pois utilizarão a modalidade RAS (Recirculation Aquaculture System), que emprega o tratamento e a recirculação da água em todo o ciclo produtivo. 

“A maioria dos sistemas usa a modalidade aberta, com trocas de água com o ambiente marinho. Já o RAS emprega a recirculação, diminuindo riscos ambientais e conferindo maior sustentabilidade. Com o Lapimar em pleno uso, esperamos refinar ainda mais essa tecnologia de forma adaptada às condições regionais do Brasil”, frisou Cadal.

Fonte: Embrapa

Últimas notícias

Senar lança cursos gratuitos de drones e inseminação artificial. Inscreva-se!

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou três cursos de curta duração, ...

Especialistas do Brasil e exterior debatem mercado halal

O fórum de negócios Global Halal Brazil ocorre na próxima semana e terá ...

Estados Unidos mudam regras para ingresso de cães procedentes do Brasil

Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, ...

Entidades afirmam que caso das búfalas de Brotas foge à regra dos produtores

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) publicou ...

Cadeia produtiva do leite é destaque em novo Boletim da Agricultura Familiar da Conab

Já está disponível, no site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a publicação ...