Mapa registra mais 30 defensivos agrícolas, sendo seis de baixo impacto

Foto: Pixabay

Em 2023 já foram registrados 34 produtos classificados como de baixo impacto, o que evidencia a crescente preocupação com práticas agrícolas sustentáveis

O Ato n° 32 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado na última terça-feira (18) no Diário Oficial da União, trouxe o registro de mais 30 produtos formulados, ou seja, defensivos agrícolas que efetivamente estarão disponíveis para uso pelos agricultores. Desses, seis são de baixo impacto, sendo quatro destinados para uso na agricultura orgânica.

Anúncio

Entre os produtos biológicos, destaca-se a vespinha Diachasmimorpha longicaudata por se tratar do primeiro produto desse tipo registrado no Brasil para o controle de diversas espécies de moscas-das-frutas. O registro foi concedido automaticamente como “produto fitossanitário com uso aprovado para a agricultura orgânica” com base na especificação de referência (ER) nº 36, elaborada em conjunto pelos órgãos competentes (Mapa, Anvisa e Ibama) e com a participação da pesquisadora Beatriz Paranhos, da Embrapa Semiárido. O produto também pode ser utilizado na fruticultura convencional.

Anúncio

“Além de ser um produto registrado com ativo novo, o produto se destaca por ser recomendado para o controle da mosca-da-carambola (Bactrocera carambolae). Apesar do nome, essa espécie de mosca-das-frutas ataca uma diversidade muito grande de frutos e é uma das pragas de maior importância econômica para o Brasil. Com esse registro trazemos a possibilidade de agregar a primeira técnica de controle biológico ao subprograma oficial de supressão com vistas à erradicação de Bactrocera carambolae, executado pelo Mapa”, relata a chefe da Divisão de Registro de Produtos Formulados, Tatiane Nascimento.

Já em relação aos produtos químicos registrados, o destaque é para o registro de um fungicida novo, o mefentrifluconazole. Esse ativo tem ação de controle de um amplo espectro de patógenos nos mais variados cultivos, além de possuir ação protetora e curativa, agindo em diferentes fases de desenvolvimento do fungo. Esse ativo já possui registro em outros países como Estados Unidos e União Europeia.

No decorrer deste ano, já foram registrados 151 produtos, sendo 34 classificados como de baixo impacto, o que evidencia a crescente preocupação com práticas agrícolas sustentáveis.

Os demais produtos utilizam ingredientes ativos já registrados anteriormente no país. O registro de defensivos genéricos é importante para diminuir a concentração do mercado e aumentar a concorrência, o que resulta em um comércio mais justo e em menores custos de produção para a agricultura brasileira.

Todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Fonte: Mapa

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Festival gastronômico celebra cultura capixaba com o Fest Torta em Vitória

Neste sábado (20) e domingo (21), no bairro Jesus de Nazareth, em Vitória, ...

Espírito Santo vai receber primeira Usina de Biometano para uso industrial e residencial

Foto: Hélio Filho/Secom Em um passo histórico rumo à sustentabilidade, o Espírito Santo ...

Valor bruto da produção ultrapassa R$ 1,14 trilhão em março

Soja, milho, Cana-de-açúcar, café e laranja foram responsáveis por 52% do valor total ...

Nater Coop premia startups em Programa de Inovação Aberta

Foto: Bruno Faustino Ao longo de 2023, a cooperativa impulsionou a inovação lançando ...

ES firma acordo para ampliar alcance de frutas e especiarias capixabas no mercado internacional

As frutas e especiarias produzidas no Espírito Santo ganharão ainda mais reconhecimento internacional, ...