Mercado solidário retorna R$ 1,480 milhão a produtores

Com 38 citricultores associados, a Cooperativa de Produtores do Comércio Solidário (Coopsoli), fundada em 2018 em parceria com a Cocamar Cooperativa Agroindustrial, capitalizou R$ 1,480 milhão em 2020, como resultado do embarque de 1.193 toneladas de suco concentrado e congelado para o mercado solidário internacional. A entidade está sediada em Maringá (PR).

A coordenadora de projetos da Coopsoli, Silvia Podolan, explica que, pelas regras do comércio justo, a cada tonelada de suco exportado para esse segmento é pago um adicional de US$ 250 que retorna com a finalidade de que seja aplicado em projetos de melhorias na base da produção, ou seja, os citricultores – em sua maioria de pequeno porte, cujas áreas possuem até quatro módulo fiscais.

“O consumidor lá fora não se importa um pagar um pouco a mais pelo suco, mediante a certificação de que o mesmo é produzido em condições não degradantes para os trabalhadores e o meio ambiente. O dinheiro que retorna se transforma em iniciativas voltadas, entre outros itens, para promover o aumento da produtividade dos pomares e ações destinadas à prevenção do greening – a principal enfermidade da cultura -, como o controle natural do psilídeo – o vetor da doença -, realizado por uma vespinha (Tamarixia Radiata) que é disseminada nos pomares”, detalha a coordenadora.

O suco de laranja certificado com o selo Flo (Fairtrade Labelling Organization International), organização não governamental alemã, é exportado pela Louis Dreyfus, que distribui a bebida, principalmente, para países do continente europeu.

Entre as exigências para que os produtores se enquadrem no programa estão o rigor quanto aos direitos trabalhistas da mão de obra envolvida na colheita, a não contratação de trabalho infantil, a disponibilização de transporte adequado e estruturas como sanitários móveis e espaço para descanso e refeições, o uso de equipamentos de proteção individual, entre outros.

Em abril, a Coopsoli passou por nova auditoria e manteve seu certificado ativo para novas comercializações para o mercado solidário.

Fonte: Cocamar

Últimas notícias

Cooperativas capixabas podem usar Funsaf para modernização da produção agrícola

A economia colaborativa é realidade no Espírito Santo há anos. No mundo agropecuário, ...

Recuperação de nascentes beneficia comunidade rural

Uma parceria firmada entre Emater-MG, prefeitura, Copasa e produtores rurais permitiu a criação ...

Faculdade CNA está com inscrições abertas para o vestibular

A Faculdade CNA está com inscrições abertas até o dia 23 de fevereiro ...

Inscrições para coordenação de pesquisa sobre peixes começam na segunda-feira (24)

As inscrições para a seleção de coordenador de projeto de pesquisa do Instituto ...

Venda Nova do Imigrante é destaque em projeto de qualificação do turismo rural

A rota de Agroturismo em Venda Nova do Imigrante foi validado pelo Ministério ...