Oficina de secadores de alimentos para mulheres fortalece agroindústria na região do Caparaó

Com o objetivo de discutir e aprender métodos de conservação de alimentos por meio do processo de secagem, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) – Campus de Alegre realizaram, na última quarta-feira (18), a 5ª Oficina de Construção de Secadores de Alimentos, na Planta-Piloto da Agroindústria, na Ufes, em Alegre.

O evento contou com o apoio das prefeituras de Guaçuí e Alegre, e também do Sindicato dos Trabalhadores Rurais desses municípios. A oficina faz parte de um projeto de extensão destinado às mulheres e aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) sobre Educação Alimentar e Nutricional.

A oficina foi ministrada pelas bolsistas do projeto Laysa Delpupo Ribeiro e Brenda Stéfani Rodrigues Silva, com orientações dos professores Maria Emília Rodrigues Valente e Sérgio Henrique Saraiva, do Departamento de Engenharia de Alimentos da Ufes – Campus de Alegre. Pelo Incaper, integram a equipe técnica Ana Paula Pereira de Castro, coordenadora do projeto e extensionista rural, e Ricardo Eugênio Pinheiro, do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) em Alegre.

Anúncio

Na ocasião, foram realizadas discussões sobre métodos de conservação de alimentos, por meio de processos de secagens que possibilitaram um aumento considerável do período de estocagem de um produto da agroindústria e da vida útil. “A utilização desses processos de secagem é importante para a agricultura familiar como uma forma de ter um maior tempo de prateleira e a agregação de valor de comercialização”, pontuou Ricardo Eugênio.

Anúncio

Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer diversos tipos de secadores utilizados no campus da Ufes de Alegre e avaliar a qualidade de alimentos desidratados em diversas condições de temperatura e métodos. “A oficina veio complementar o assunto de conservação de alimentos abordado no projeto. Também possibilitou contato com o equipamento, aprendendo sobre modelos e o uso”, contou Brenda Stéfani, bolsista do projeto.

Produtora rural em Guaçuí, Amanda Lino, 40, destacou a oportunidade de aprimorar os conhecimentos para a aplicação na prática desses métodos na propriedade dela. “Embora tenha descoberto que não é um processo tão simples, trago comigo a vontade de conhecer mais sobre o assunto, pensando em novas alternativas para a renda familiar e, mais do que isso, prezando por mais qualidade de vida”, disse.

Fonte: Incaper

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Feira de Agronegócios Cooabriel 2024 acontecerá em julho

O evento é considerado o maior do agro no estado do Espírito Santo ...

Café canéfora tem zoneamento de risco climático atualizado

Foto: Humberto Franco O Zarc delimita regiões e épocas de cultivo em classes ...

Senar-ES quer fortalecer o agro em Santa Leopoldina

Contribuir para um cenário de crescente desenvolvimento da produção sustentável no Espírito Santo ...

Ales vai promover sessão em homenagem às mulheres cooperativistas

Foto: Freepik Reunião acontece na próxima semana. Pauta foi proposta pela Comissão Permanente ...

Brasil produziu quase 900 mil toneladas de peixes de cultivo

A piscicultura venceu adversidades e cresceu 3,1% Em 2023 O Brasil produziu 887.029 ...