Pesquisas e iniciativa ampliam adoção de tecnologias poupa-terra

Os sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) são eficientes para aumentar a produtividade agropecuária sem expandir a área plantada, com sustentabilidade econômica, ambiental e social. Entretanto, é necessário o contínuo aperfeiçoamento de políticas públicas e o engajamento do setor produtivo para ampliar a adoção dessas tecnologias pelos produtores rurais na produção de grãos, na pecuária e na recuperação de pastagens degradadas. Essas questões foram discutidas, na última quarta-feira (5), durante o II Congresso Mundial sobre Sistemas ILPF (World Congress on Integrated Crop-Livestock-Forestry Systems).

O pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária, Geraldo Bueno Martha Junior, destacou o crescimento da demanda pela produção de alimentos e o efeito poupa-terra por meio da adoção de ILPF. “Hoje em dia, a sociedade pede uma priorização por tecnologias do tipo poupa-terra, ou seja, tecnologias que aumentam a produtividade da terra: o rendimento”, afirmou.

Segundo ele, para se atingir níveis de produtividade próximos ao potencial é preciso uma estratégia focada no uso de tecnologias avançadas, entre elas as digitais e as biológicas, que serão adotadas quando os preços relativos forem favoráveis. “O nível de incentivos ao produtor brasileiro é muito baixo. Os produtores respondem, fortemente, aos sinais de mercado e adotarão novas tecnologias com base na avaliação individual da relação benefício-custo”, complementa o pesquisador.

Várias pesquisas coordenadas pela Embrapa comprovam que é possível aumentar a produtividade agropecuária sem expandir a área de produção, gerando renda extra para os produtores. Os resultados também se refletem em maior quantidade e qualidade das forrageiras, maior ganho de peso dos animais, e menor intensidade de emissão de metano comparando-se os sistemas integrados com os tradicionais.

Esses sistemas integrados se mostram uma estratégia ousada de intensificação sustentável porque permitem aumentar o ganho de produtividade, a eficiência do uso de recursos, e a intensidade de cultivos, ou seja, eles possibilitam que mais cultivos sejam realizados em um mesmo hectare, em um determinado ano. A eficiência no uso de recursos vai além da aplicação mais racional de agroquímicos; inclui o uso eficiente de fertilizantes, conforme demonstram estudos conduzidos pela Embrapa. “Considerando que os solos tropicais são altamente dependentes de fertilizantes, isso é essencial”, alerta Geraldo Martha.

A pesquisa agropecuária é fundamental para a geração de novas tecnologias, também considerando as mudanças climáticas, e a Embrapa tem um portfólio amplo de tecnologias focadas em ações de mitigação e adaptação. Aliadas à atuação do setor privado, as políticas e ações governamentais são extremamente relevantes para uma relação positiva entre benefícios gerados e custos. O Plano ABC e o ABC+ lançado em abril de 2021, para incentivo ao uso das tecnologias de baixa emissão de carbono pelos agricultores, têm um papel fundamental nesse sentido, de acordo com o pesquisador.

“O produtor tem que ter benefício, já que ele que faz todo o trabalho. Tem que ter retorno do investimento”, corroborou o CEO da Ceptis, Philippe Ryser, que apresentou a palestra Agregação de valor e Certificações em ILPF. Ryser disse que o propósito da atuação na Rede ILPF, a qual integra, é acelerar a adoção dessas tecnologias para a intensificação sustentável da agricultura brasileira, com transferência tecnológica, capacitação de assistência técnica, foco na internacionalização, na agregação de valor por meio da certificação e na inovação.

Entre as principais barreiras encontradas, o CEO apontou o acesso a financiamento e a falta de assistência técnica. Ryser mostrou um programa de certificação de propriedades da Rede ILPF baseado em boas práticas, no qual são usadas tecnologias para monitorar continuamente a propriedade, gerando informações críveis e de confiança para produtores e investidores, de acordo com o que preconiza o programa Acordo Verde (Green Deal) da União Europeia. Com isso, busca-se garantir aos produtores redução de custo de financiamento, ferramenta para assistência técnica, acesso a mercado premiado e futuro acesso ao mercado de crédito de carbono.

MAPEAMENTO DE PASTAGENS – O Mapeamento de Pastagens Degradadas e Potencial de Intensificação por meio da ILPF no Brasil foi apresentado pelo professor Laerte Guimarães Ferreira, do Laboratório de Processamento de Imagens e GeoProcessamento da Universidade Federal de Goiás (Lapig-UFG). As pesquisas desenvolvidas na UFG com sensoriamento remoto, usando imagens de satélite, séries temporais e técnicas de aprendizado de máquina, buscam produzir, dentro do possível, o melhor mapa de pastagens do Brasil, segundo o professor.

Com base nesses trabalhos, os pesquisadores identificaram que houve diminuição das pastagens degradadas no país, entre 2010 e 2018. Com dados referentes a 2018, Ferreira demonstrou que o Cerrado tem cerca de 53 milhões de hectares de pastagens, dos quais 11 milhões de hectares têm alta aptidão para o cultivo da soja.

Destes, cerca de 8 milhões estão associados à degradação, podendo ser recuperados por meio de sistemas integrados. A equipe também usa técnicas de modelagem para mapear a Bacia Hidrográfica do Rio Vermelho, em Goiás, com relação aos estoques de carbono no solo. O objetivo é saber quais são os ganhos em carbono quando se adota uma tecnologia ILPF.

As palestras integraram o quarto painel do congresso “Temas Atuais em ILPF”, com moderação do pesquisador da Embrapa Cerrados Luiz Carlos Balbino. O II Congresso Mundial sobre Sistemas ILPF ocorreu em 4 e 5 de maio, de forma virtual, e contou com 30 palestras e apresentação de 156 trabalhos científicos, reunindo cerca de 1.300 participantes.

O evento foi promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa, Rede ILPF, Federação de Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul e Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul.

Fonte: Embrapa

Últimas notícias

Revista Negócio Rural vence prêmio de jornalismo de Pernambuco

O cooperativismo conecta pessoas e também histórias. Que similaridade poderia haver entre as ...

Serenata Italiana será no próximo sábado (09) em Venda Nova do Imigrante

Relembrar os costumes dos primeiros imigrantes italianos que chegaram em Venda Nova do ...

Expoagro é uma das vitrines para o agronegócio de Mato Grosso

Mato Grosso é destaque internacional quando se trata de agronegócio. E a Capital ...

Colheita de uva é sucesso em Linhares

Ao menos de quatro mil pessoas passaram pelo parreiral de uva do Polo ...

Conheça o vencedor do 1º Concurso de Café Conilon de Jaguaré

O ganhador do 1º Concurso de Café Conilon de Jaguaré foi conhecido neste ...