Porto de Vitória terá expansão para aumentar volume de cargas escoadas

Foto: Divulgação/VLI

Um memorando de entendimento assinado na última segunda-feira (13), entre a VLI – companhia de soluções logísticas que integra portos, ferrovias e terminais – e a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), prevê obras de expansão do novo Porto de Vitória, com o objetivo de aumentar o volume de cargas escoado pelo local. O documento assume que os estudos a serem realizados em conjunto podem concluir pela existência de uma oportunidade para investimentos em ferrovia, porto e terminais que atinjam até R$ 200 milhões.

Anúncio

“A VLI vê nesta ocasião mais uma oportunidade de contribuir para o fortalecimento da infraestrutura logística do Espírito Santo e para um atendimento ainda mais amplo aos clientes que movimentam cargas no sistema portuário do Estado. Como uma companhia de logística multimodal, a VLI tem nos portos um elo estratégico e complementar na sua cadeia. Nesse sentido, o Porto de Vitória é mais um parceiro portuário importante para VLI. Uma integração entre a ferrovia e o porto mais eficiente cria capacidade para o incremento de volumes que serão gerados com a renovação da concessão da Ferrovia Centro-Atlântica”, afirma Fábio Marchiori, CEO interino da VLI e diretor Financeiro, de Supply Chain e de Serviços da companhia.

Anúncio

O diretor-presidente do Porto de Vitória, Ilson Hulle, afirma que a assinatura do memorando é um passo importante dentro do propósito da nova gestão do porto de investir em aumento da capacidade, diversificação de cargas e novas áreas de exploração portuária.

“O Porto de Vitória possui uma vantagem competitiva em função da sua localização privilegiada, atuando como um elo logístico que envolve diversos modais. Nossos esforços estão voltados para fortalecer o complexo portuário, visando impulsionar um ambiente de negócios mais dinâmico, eficiente e ágil. Estamos prontos para oferecer soluções com alta performance, eficiência e tecnologia de ponta, proporcionando mais qualidade e segurança para alavancar os resultados de nossos parceiros.”

Os estudos a serem realizados pela VLI e pela Codesa contemplam a análise de capacidades necessárias a acomodar a matriz de carga em estudo, incluindo adequações e capacitações de ramais ferroviários que acessam o Porto de Vitória, bem como ramais internos à poligonal do terminal, capacidade de píer – envolvendo berços, calado e equipamentos, entre outros aspectos – e sistemas de carregamento, descarregamento e armazenagem estática das cargas a serem movimentadas.

Atualmente, a VLI movimenta cerca de 25 milhões de toneladas anuais nos portos e ferrovias do Espírito Santo, com cargas que trafegam pela Ferrovia Centro-Atlântica, em Minas Gerais, e pela Estrada de Ferro Vitória a Minas, onde a VLI opera por direito de passagem, para acesso aos portos do Espírito Santo. A operação portuária atual é concentrada nos terminais de Praia Mole, de Granéis Líquidos e de Produtos Diversos, instalados no Complexo Portuário de Tubarão.

O estudo estima um aumento de cerca de 5 milhões de toneladas de granéis sólidos minerais e vegetais à matriz de carga atual nos fluxos de importação e exportação do Estado. Para dar vazão a este aumento de volumes transportados, a VLI também analisará oportunamente a necessidade de aquisição de novos vagões e locomotivas.

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Como plantar mais café em espaço reduzido?

O pesquisador do Incaper, Paulo Sérgio Volpi, destacou que o jardim clonal superadensado ...

Parceria estratégica do Sistema OCB busca fortalecer cadeia de lácteos

Foto: Reprodução / Sistema OCB Unidade nacional se reuniu com Conselho dos Exportadores ...

Exportações do agronegócio brasileiro atingem US$ 37,44 bilhões

Em comparação ao mesmo período de 2023, o aumento foi de quase 4,4% ...

Empresas apresentarão novidades na Fruit Attraction Brasil

Para impulsionar o legado da horticultura brasileira e o mercado de frutas e ...

Conab estima redução na safra brasileira de grãos

Foto: Freepik A sétima estimativa da safra de grãos 2023/2024, divulgada pela Companhia ...