Preços mínimos de laranja e trigo começam a vigorar em julho

Mesmo com mercado favorável para os produtores de trigo, o momento é para se planejar. Os preços mínimos, que foram levantados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e publicados neste mês, só começam a valer a partir de julho. Até lá, os agricultores devem observar o mercado para aproveitar as janelas de comercialização que podem surgir e acompanhar os custos da produção da cultura para garantir melhor rentabilidade nas negociações.

De acordo com as análises da Conab, a projeção é que se mantenha o cenário positivo para o produto. A alta do dólar e a produção argentina mais cara devido à taxação, contribuem para os bons preços praticados no mercado. Atualmente, o valor nominal do trigo é o maior já registrado no país, chegando a ser comercializado por mais de R$ 50,00 no Paraná na terceira semana de fevereiro. No Rio Grane do Sul, o valor de comercialização foi de R$ 44,78 no mesmo período.

Para garantir melhores remunerações, a indicação aos agricultores do Sudeste e Centro-Oeste é que tenham mais atenção no início da colheita, entre os meses de agosto e a primeira quinzena de setembro. Neste período, há pouco produto no mercado, o que impulsiona os preços. Já os demais produtores precisam observar a janela de comercialização que antecede a entrada do trigo argentino e buscar melhores negócios.

Laranja – Para quem produz laranja, cultura que também teve o preço mínimo ajustado, a atenção deve ser redobrada. Com o novo valor fixado em R$ 15,53 a caixa de 40,8 kg, que passará a vigorar também a partir de julho, a calculadora passa a ser a maior aliada. Isso porque, mesmo com o aumento das exportações no segundo semestre, o mercado internacional do suco da fruta não está tão vantajoso, o que reflete no mercado interno. Esta conjuntura exige do agricultor um zelo nas negociações futuras de forma a garantir a rentabilidade para se manter no sistema produtivo, seja por meio de venda antecipada ou para atender uma demanda conjuntural que venha a acontecer.

A Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) é uma importante ferramenta definida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e operacionalizada pela Conab para diminuir oscilações na renda dos produtores rurais e assegurar uma remuneração mínima, atuando como balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção e garantindo a regularidade do abastecimento nacional.

Fonte: Conab

Últimas notícias

Prêmio Excelência de Qualidade Realcafé Reserva anuncia os finalistas

O Prêmio Excelência de Qualidade Realcafé Reserva já tem os 20 finalistas da ...

Agrishow anuncia alteração da data de realização na edição 2021

A Agrishow anunciou a alteração da data de sua 27ª edição para os ...

Sócio da Cooabriel conquista primeiro lugar no concurso Coffee Of The Year 2020

No dia 20 de novembro, foi divulgado pela Semana Internacional do Café, os ...

ExpoSul RaízES começa nesta quarta (02)

O Parque de Exposições de Cachoeiro reabre os portões para receber uma edição ...

Seca no Brasil tende a pressionar preços de café arábica

Tradings de café começam a ter ideia da extensão dos problemas climáticos no ...