Professora de Castelo ganha carro no Agrinho 2023 do Senar-ES

O programa Agrinho 2023 superou as expectativas desde o início. Na cerimônia de encerramento, não foi diferente. Foram 125 prêmios entregues nas mãos de educadores e alunos que se destacaram durante o ano.

A grande vencedora do dia, foi a professora Viviane Fioretti, do município de Castelo. Com o projeto “O lugar onde vivo através do outro olhar”, para a disciplina de Pedagogia do Contexto, a educadora que leciona na Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental “Forno Grande” levou um carro 0km para casa.

O projeto envolve a criação de quatro empresas voltadas para a sociedade, cada uma com um diferente tema, como o agro e o empoderamento feminino. “O intuito foi despertar e incentivar o espírito empreendedor dos alunos. Envolvendo o agronegócio, a agricultura e o empreendedorismo social, eu mostrei para os meus alunos que eles são, sim, capazes de reinventar e inovar qualquer cenário”, ressalta Viviane.

O programa, realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-ES) em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (FAES), reforça a importância da educação rural e do engajamento comunitário. Com número recorde comparado a outras edições, 719 escolas das áreas rurais do Espírito Santo desenvolveram projetos baseados no tema de 2023: “Criando conexões, fortalecendo o agro”.

O Agrinho visa incentivar o futuro no campo. Com isso, 7.500 educadores do estado inscreveram suas ideias que foram colocadas em prática ao longo do ano. Dentre eles, o projeto “Pequenos grandes chefs” foi um dos que se destacou. Idealizado pela professora de Língua Portuguesa, Mauricéia Helmer, o projeto envolveu a comunidade de Rio Bananal em prol da culinária com produtos locais.

Geladinho, cocada baiana e brevidade foram as receitas escolhidas pela turma do 8º ano da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental José Stefenoni, que se tornaram sucesso de vendas na região. Cada um dos produtos ganhavam um rótulo confeccionado pelos alunos antes da venda, que acontecia no colégio e pela internet.

Com o dinheiro arrecadado, a turma já adquiriu até um totó para a diversão na escola e não deve parar por aí. “É um projeto, na verdade, que não tem como acabar. Nós começamos com a proposta do Agrinho e não conseguimos encerrá-lo mais. É algo que com certeza vai ter continuidade”, afirma Mauricéia, que ganhou uma moto pelo segundo lugar no pódio.

Outras oito professoras tiveram seus projetos reconhecidos pelo Agrinho. Coordenadoras de cinco escolas também levaram prêmios para casa. O destaque, entretanto, ficou com os alunos. Foram 86.000 inscritos, sendo 10 ganhadores de cada categoria, da Educação Infantil até o 9º ano do Ensino Fundamental, e outros 10 da categoria especial, que foi dividida em desenho e produção textual. Os números envolvendo o Agrinho foram empolgantes. “Superamos o público de participação e superamos o número de municípios que aderiram ao programa este ano”, declara a Coordenadora Estadual do Programa Agrinho, Thaís Tonani, sobre os 60 municípios inscritos.

Os alunos que ouviram seus nomes sendo chamados ao palco ficaram satisfeitos com o resultado. A aluna Rebeca Eler, de 10 anos, escreveu uma redação sobre empreendedorismo na agricultura e ganhou uma bicicleta ao ficar em 5º lugar na categoria 4º ano. Feliz com o resultado, Rebeca se diz “mais ou menos” surpresa, afinal, independente dos concorrentes, a aluna da EMEF Gustavo Ambrust, de Alto Rio Novo, sabia que tinha feito um bom trabalho.

Enquanto a pequena Ísis Pancoto, de 6 anos, está feliz por também ter ganhado uma bike, a mãe se sente orgulhosa. “Só de ela ter sido escolhida dentro da própria escola, já foi motivo de orgulho para nós. Tem 19 alunos na turma dela, seu desenho e de outra coleguinha foram contemplados. Depois, chegar num evento dessa amplitude e ela ser premiada, é motivo de alegria com certeza. Estou muito feliz!”, afirma Geisiane Pancoto. Aluna da EMEF Professor Paulo Fábio Sartore, de Muniz Freire, Ísis ficou em 10º lugar na categoria Educação Infantil.

O Agrinho 2023 contou com a parceria da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB-ES), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES), da Companhia Espírito-santense de Saneamento (Cesan), do Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil (Sicoob) e da Suzano. A superintendente do Senar-ES, Letícia Toniato, se diz realizada com o sucesso do programa. “O encerramento foi lindo! Resultado de um ano inteiro de dedicação de tanta gente envolvida no projeto. Desde os parceiros até os alunos, só tenho a agradecer”, ressalta.

O evento finalizou com o anúncio do tema do Agrinho para o próximo ano: “Herança Sustentável: Semeando o futuro”. A coordenadora estadual do programa já se diz empolgada. “Para 2024 nós temos expectativas ainda melhores. Esse tema vem trazer algo muito importante, que é a herança familiar, é a herança do meio rural. É semear realmente o futuro dos nossos produtores capixabas”, aponta Thaís.

Fonte: Senar

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Agricultores de Ecoporanga se regularizam para venda direta de produtos orgânicos

Um grupo de agricultores familiares do município de Ecoporanga foi contemplado com a ...

Capacitação para operação de secagem e armazenamento de grãos preza pela segurança dos trabalhadores no Oeste baiano

No Oeste da Bahia, região essencialmente agrícola, a crescente necessidade de instalação de ...

Exportação de gengibre mais que dobra em janeiro de 2024

O valor exportado com o gengibre capixaba no primeiro mês deste ano foi ...

Mecanização é o caminho para a produtividade na silvicultura

A mecanização veio trazer novos ventos de prosperidade para a silvicultura. Nos últimos ...

Últimos dias para inscrição de trabalhos científicos acadêmicos na Favesu 2024

Estudantes de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores nas áreas de frango de corte, ...