Projeto de agricultura é lançado em penitenciária de São Mateus

A Secretaria da Justiça (Sejus) lançou na Penitenciária Regional de São Mateus (PRSM) o Projeto Semear. A iniciativa prevê a produção agrícola e o aproveitamento das áreas produtivas dos complexos prisionais do Estado, com a utilização de mão de obra de detentos. Os alimentos cultivados serão utilizados nas cozinhas implantadas no sistema prisional do Espírito Santo.

Uma área de 25 hectares da fazenda da Penitenciária Regional de São Mateus será utilizada para o cultivo de horta, combinado com a fruticultura. O projeto tem como base a produção inicial de hortaliças: acelga, alface, couve, beterraba, repolho, pepino, cenoura, aipim, abobora, abobrinha, coentro, salsa, cebolinha, entre outros. Já na fruticultura, banana prata, tangerina e goiaba são os principais produtos cultivados.

Anúncio

Para início das atividades, foram adquiridos três tratores, específicos para pulverização, colheita e manutenção da área de produção. Nesta fase, está sendo realizado o preparo da terra para o plantio das sementes. O projeto também prevê a construção de galpões para armazenamento de materiais e qualificação profissional de internos, além da construção de viveiro de mudas. O processo de aquisição dos materiais está em fase final de contratação.

Anúncio

“O Projeto Semear prevê o aproveitamento das áreas produtivas dos complexos prisionais, a capacitação de internos e a utilização dos alimentos cultivados nas cozinhas instaladas nas unidades prisionais do Estado. Temos parcerias que contribuem muito para a formação profissional das pessoas privadas de liberdade e seu ingresso ao mundo do trabalho.  Investimos em um novo modelo de produção aplicável a detentos, que passa por um processo continuado de observação, experimento e análise. Pensamos em uma proposta que torna o sistema prisional autossustentável. A agricultura é mais do que o cultivo de alimentos, é uma semeadura de oportunidades que transformam vidas e contribuem para um sistema de justiça mais produtivo e humano”, disse o secretário de Estado da Justiça, Rafael Pacheco.

Inicialmente, o projeto será desenvolvido no Complexo Penitenciário de São Mateus e, posteriormente, no Complexo de Xuri, em Vila Velha, com implementação prevista para o segundo semestre deste ano.

CAPACITAÇÃO – A Secretaria da Justiça (Sejus) tem como parceiros no Projeto Semear o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e o Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), órgão responsável pela formação profissional de trabalhadores da área agrícola. 

Para o desenvolvimento das frentes de trabalho, vários cursos aplicados pelo Senar estão programados para este ano, entre eles: Tratorista; Agricultura orgânica; Olericultura; Aplicação de defensivos; Roçadeira; Eletricista; Comando Elétricos; Poda e desbrota de café conilon; Praga e doenças do café.

Internos da Penitenciária Regional de São Mateus (PRSM) e Penitenciária Semiaberta de São Mateus (PSSM), ao todo 12, já foram habilitados para curso de agricultura orgânica em parceria com o Senar e Sindicato Rural de São Mateus.

O trabalho conta com a assessoria técnica de servidores do Incaper e com um coordenador de projetos, também policial penal, com formação em técnica agrícola.

Fonte: Sejus

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Campeonato Brasileiro de Blends de Café será realizado no São Paulo Coffee Festival

Foto: Freepik A Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) realizará a etapa ...

Equipes coletam dados para nova pesquisa da Conab da safra brasileira de grãos

Foto: iStock Farmer handful of harvested corn kernels from the heap loaded into ...

Comidas típicas da festa junina contam com 36% de impostos no preço final

Foto: Julio Huber A chegada das festas juninas costuma ser motivo de alegria ...

Capixaba é eleito o melhor criador e expositor na Megaleite 2024 na categoria CCG 1/2 Hol + 1/2 Gir

Encerrada a 19ª edição da Megaleite no último sábado (15), a Associação Brasileira ...

Equipamento promete secagem de cafés especiais em menos de 24 horas

Tecnologia desenvolvida pela Dryeration, foi testada e aprovada por produtores da Alta Mogiana ...