Projeto Dom Hélder Câmara já beneficiou mais de 76 mil famílias de agricultores familiares

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Centro de Gestão e Inovação na Agricultura Familiar da Universidade de Brasília (Cegafi/UnB), divulgaram, na última quinta-feira (22), o Relatório de Avaliação de Impacto do Projeto Dom Hélder Câmara (PDHC) durante o Seminário de Encerramento do Projeto Monitora – Assistência Técnica no PDHC: Resultados e Lições Aprendidas.

O estudo concluiu que a iniciativa impactou positivamente a vida de milhares de agricultores familiares do semiárido brasileiro. Desde a sua criação, em 2001, o projeto já beneficiou mais de 76 mil famílias.

Anúncio

O PDHC, desenvolvido pelo Mapa, por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF/Mapa), e cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), busca reduzir os níveis de pobreza e de desigualdades no semiárido brasileiro, qualificando os produtores para que desenvolvam uma produção sustentável, estimulando a replicação de boas práticas, e tem como eixo central a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Anúncio

A pesquisa foi realizada com 4.374 famílias, utilizando o método Pareamento por Escore de Propensão (em inglês: Propensity Score Matching – PSM) – com margem de erro de até 2,5% para mais ou para menos – para avaliação de 28 indicadores.

As informações das famílias de agricultores foram obtidas por meio de uma jornada de amostragem realizada entre os meses de janeiro, fevereiro e março de 2022. As famílias de agricultores beneficiárias das ações do PDHC foram selecionadas por meio do cadastro de beneficiários realizado pelas prestadoras de Ater, independentemente se públicas ou privadas.

O relatório demonstrou que o PDHC atingiu os objetivos pretendidos, gerando no grupo de beneficiários maiores rendas, produção agrícola, diversidade alimentar, acesso às políticas públicas e agrárias, maior inclusão em associações, além de inserir mulheres e jovens nas atividades produtivas, comerciais e comunitárias da família.

O documento também indicou que o impacto do projeto foi ainda mais promissor dentro do grupo de beneficiários que receberam fomento rural (Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais, instituído pela Lei nº 12.512/ 2011 e regulamentado pelo Decreto 9.221/2017).

Por fim, os pesquisadores concluíram que a assistência técnica associada ao fomento rural impacta de forma mais significativa a vida dos agricultores familiares do semiárido, recomendando-se a realização de novos estudos, elaborados no âmbito do PDHC, para subsidiar o aprimoramento e melhorias nas políticas públicas.

Fonte: Ministério da Agricultura

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

ES livre de febre aftosa sem vacinação: saiba os benefícios

Foto: Freepik O Espírito Santo está oficialmente livre da febre aftosa sem vacinação. ...

Lactalis distribui água em supermercados gaúchos

Foto: Carolina Jardine A Lactalis Brasil ganhou um novo apoio para distribuir água ...

Bahia dá início à colheita do algodão safra 2023/2024

Foto: Divulgação As máquinas em campo sinalizam o início da colheita do algodão ...

Família dá até mamadeira para cuidar de filhote de veado encontrado ferido

Foto e vídeo: Divulgação Texto: Julio Huber / Foto: Divulgação Um filhote de ...

Furtas e hortaliças sofrem aumento por conta das fortes chuvas no Rio Grande do Sul

Foto: André Oliveira / MDS A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) trouxe uma ...