Propriedade de família produtora de café premiado é palco de dia de campo

A propriedade da família Douro, em Marechal Floriano, sediou um dia de campo com foco na produção de café arábica de qualidade. A família já venceu importantes concursos nacionais de qualidade.

As palestras foram divididas por grupo para cada estação. A estação um, foi destinada a palestra de renovação, espaçamento e cultivares, ministrada pelo extensionista do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Cesar Abel Krohling.

A estação dois apresentou as formas de calagem e adubação do cafeeiro, apresentada pelo extensionista do Incaper, Matheus Fonseca de Souza. Por fim, a estação três foi destinada à demonstração de resultados, relatada pelos representantes da equipe Syngenta Café, Felipe Ruela e Dominique Machado.

O objetivo do Incaper, juntamente com a Prefeitura de Marechal Floriano, foi a valorização do cafeicultor, assim como proporcionar a oportunidade de negócio aos produtores. De acordo com organizadores, o produtor qualificado, consequentemente, gera cafés com mais qualidade e influencia diretamente no agroturismo municipal.

Estiveram presentes no evento, o secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Juarez Xavier, o representante do deputado federal Evair de Melo, João Ricardo Moreno, o coordenador regional sudoeste serrano do Incaper, Ubaldino Saraiva, dentre outros representantes.

De acordo com o extensionista Cesar Krohling, o principal objetivo do dia de campo do café arábica foi a representação das tecnologias que estão disponíveis para serem aplicadas na cafeicultura das montanhas e da região do Caparaó capixaba, para o momento da produtividade e qualidade do café, visando a sustentabilidade do cafeicultor.

“Há mais de 15 anos, o Incaper busca a qualidade da cafeicultura. O município de Marechal Floriano já é premiado a nível estadual e nacional. O dia de campo fortalece a cafeicultura e o investimento no produtor rural, para no final resultar em um café de qualidade, que possa concorrer no Brasil e no mundo”, frisou o coordenador regional da instituição, Ubaldino Saraiva.

“Todo uso defensivo, tem o uso racional, correto e permitido, que não oferece perigo nem ao aplicador e nem ao meio ambiente, por isso frisamos o uso consciente dos produtos”, disse o representante da Syngenta Café, Dominique Machado.

“O manejo racional de pragas e doenças na cultura do café garantem ao produtor maior sanidade, produtividade e qualidade do cafeeiro”, explicou o representante da empresa, Felipe Ruela.

O evento foi realizado ontem (16), pelo Governo do Estado do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e a Prefeitura de Marechal Floriano.

Texto e fotos: Tricia de Andrade e Kamila Friedrich – PMMF

Últimas notícias

Valor da contribuição mensal do MEI vai aumentar em fevereiro

Os microempreendedores individuais devem ficar atentos ao reajuste na contribuição mensal, que passa ...

Impacto ambiental urbano pode ser maior que do agro

O Brasil teve um ano de destaque no direito ambiental e terá que ...

Produção de café deve atingir 55,7 milhões de sacas na safra de 2022

Os produtores de café deverão colher a terceira maior safra do grão neste ...

Produtores celebram colheita e resultados da primeira safra de Uvas em Guarapari

Sandra Butke, em suas parreiras no início da produção. Para diversos produtores rurais ...

Ceasa-ES orienta produtores sobre armazenamento adequado de alimentos

A ação, que teve início na última quinta-feira (13) e tem previsão de ...