Região da Canastra conquista registro de IG no café

Foto: Pixabay

Em todo o país, já são 15 IG destinadas a produtores de café

Além do queijo premiado mundialmente pela sua qualidade, a região da Canastra, em Minas Gerais, passa a ser reconhecida agora também pelo seu café. O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) concedeu a Indicação Geográfica (IG), na espécie de Denominação de Origem (DO), ao café em grãos crus, beneficiados, torrados e moídos na localidade. No total, cerca de 1,1 mil agricultores de dez municípios serão beneficiados com a medida. São eles: Medeiros, Bambuí, Doresópolis, Pimenta, Piumhi, Capitólio, São João Batista do Glória, Vargem Bonita, São Roque de Minas e Delfinópolis.

Anúncio

Com esse registro, já são 108 Indicações Geográficas no Brasil, sendo 83 Indicações de Procedência e 25 Denominações de Origem, além de outros nove reconhecimentos estrangeiros. O Sebrae atua no apoio às Indicações Geográficas desde 2003, na orientação e no fomento aos produtores para alcançarem o reconhecimento desse ativo e na promoção dessas regiões e produtos únicos.

Anúncio

Relacionados ao café, já são 15 IGs reconhecidas em todo o país: Caparaó (ES), Conilon Espírito Santo (ES), Montanhas do Espírito Santo (ES), Campo das Vertentes (MG), Canastra (MG), Matas de Minas (MG), Mantiqueira (MG), Região do Cerrado Mineiro (MG), Sudoeste de Minas (MG), Norte Pioneiro do Paraná (PR), Oeste da Bahia (BA), Alta Mogiana (SP), Região de Garça (SP), Região de Pinhal (SP) e Matas de Rondônia (RO).

“Apoiar as regiões no processo das Indicações Geográficas, como é o caso da Região da Canastra, é o melhor caminho para empoderar os pequenos produtores, gerando renda, empregos e autonomia para o desenvolvimento dessas localidades”, destacou a coordenadora de Negócios de Base Tecnológica do Sebrae, Hulda Giesbrecht. “Um dos principais benefícios é a valorização. Isso contribui para melhorias e aumento da produção”, completou.

O PRODUTO – Em geral, os cafés da região apresentam aroma e sabor de mel, frutas amarelas, tropicais e cítricas. A bebida tem notas de chocolate ao leite com nuances de castanha, limão-cravo e laranja. Possui ainda alta doçura, com notas de açúcar mascavo e cana-de-açúcar em equilíbrio com a acidez. O plantio na região ocorre entre outubro e dezembro, e a colheita, entre maio e setembro. O café deve ser cultivado em sistema de sequeiro (utilizando a umidade do solo). Hoje, a região da Canastra é responsável por uma produção de 750 mil sacas de 60 quilos de café ao ano.

O que são as Indicações Geográficas?

As Indicações Geográficas (IG) são ferramentas coletivas de valorização de produtos tradicionais vinculados a determinados territórios. Elas possuem duas funções principais: agregar valor ao produto e proteger a região produtora.

O sistema de Indicações Geográficas promove os produtos e sua herança histórico-cultural, que é intransferível. Essa herança abrange vários aspectos relevantes: área de produção definida, tipicidade, autenticidade com que os produtos são desenvolvidos e a disciplina quanto ao método de produção, garantindo um padrão de qualidade. Tudo isso confere uma notoriedade exclusiva aos produtores da área delimitada.

Fonte: Sebrae

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Como plantar mais café em espaço reduzido?

O pesquisador do Incaper, Paulo Sérgio Volpi, destacou que o jardim clonal superadensado ...

Parceria estratégica do Sistema OCB busca fortalecer cadeia de lácteos

Foto: Reprodução / Sistema OCB Unidade nacional se reuniu com Conselho dos Exportadores ...

Exportações do agronegócio brasileiro atingem US$ 37,44 bilhões

Em comparação ao mesmo período de 2023, o aumento foi de quase 4,4% ...

Empresas apresentarão novidades na Fruit Attraction Brasil

Para impulsionar o legado da horticultura brasileira e o mercado de frutas e ...

Conab estima redução na safra brasileira de grãos

Foto: Freepik A sétima estimativa da safra de grãos 2023/2024, divulgada pela Companhia ...