São Mateus realiza o 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa

O 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa será realizado em São Mateus, no norte do Espírito Santo. A iniciativa é do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e da Associação de Produtores e Extrativistas de Aroeira do Espírito Santo (Nativa), com o apoio e patrocínio de diversos parceiros. O Festival vai acontecer nos dias 03, 04 e 05 de junho, na Comunidade do Nativo, em Barra Nova, São Mateus.

A programação abrange demonstrações de processos de beneficiamento e extração do óleo da pimenta-rosa e mel de aroeira; Dia de Campo de boas práticas e agregação de valor; oficina de biofertilizantes, entre outros. O Festival também vai contar com mesa-redonda, debates, palestras, atividades lúdicas, demonstração de produtos, entrega de material didático, abordagens sobre recomendações técnicas da aroeira, entre outras atrações.

A coordenadora de Recursos Naturais do Incaper e organizadora do evento, Fabiana Ruas, ressaltou que o Festival vai proporcionar visitas em áreas de produção e aulas de culinária, além de degustações de produtos da gastronomia local com uso de pimenta-rosa. Haverá ainda a atualização sobre a Indicação Geográfica (IG) Pimenta-Rosa São Mateus e as inaugurações da sede da Associação Nativa e da Unidade Coletiva de Extração de Óleos e Coprodutos da Aroeira e outras espécies.

“Esse é o primeiro evento que nós temos conhecimento no País. Esperamos que seja um marco não só para o Espírito Santo, mas também para o Brasil. O Estado é referência nessa cultura e nós somos procurados por outras instituições do Brasil inteiro e até de fora. Convidamos todos os produtores de pimenta-rosa e os interessados na atividade a participarem do evento. O Festival vai ser uma oportunidade para troca de experiências e contatos, com a proposta de melhorarmos ainda mais toda a cadeia produtiva e unir todos os elos para evoluirmos cada vez mais”, ressaltou Fabiana Ruas.

A comunidade do Nativo, em São Mateus, onde está localizada a sede da Associação de Produtores de Aroeira do Estado do Espírito Santo (Nativa), é o berço da pimenta-rosa, segundo Fabiana Ruas. “A Associação já apresentou bons resultados em termos de produtividade e de qualidade do produto final, além de, ao longo dos últimos anos, contar com iniciativas inovadoras para o desenvolvimento de diversos produtos, como óleo essencial, hidrolatos, pomadas e repelentes naturais, entre outros, utilizando produtos e resíduos da matéria prima (pimenta-rosa) produzida pela própria associação”, complementou.   

“O Incaper desenvolve pesquisas e ações em extensão rural e assistência técnica há alguns anos na cadeia produtiva da pimenta-rosa. Há pelo menos 15 anos, nós acompanhamos essa cadeia produtiva. Temos um grupo de trabalho no Instituto da Aroeira (GT Aroeira) e percebemos a maturidade do grupo, semelhante ao período de maturação dos frutos da pimenta-rosa. Nós chegamos a um ponto de maturidade e maturação ideal para realizar um evento como este”, destacou Fabiana Ruas.

PESQUISAS E INVESTIMENTOS – O projeto Biomas Mata Atlântica, coordenado pelo Incaper, realizou diversas ações em prol do cultivo da Aroeira, árvore nativa da Mata Atlântica e que tem como fruto a pimenta-rosa. O cultivo e a avaliação da qualidade da pimenta-rosa evidenciaram uma cultura que gera renda e está aliada à preservação ambiental, um dos resultados inéditos do projeto para o País. O projeto foi desenvolvido pelo Incaper, em parceria com a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) – Florestas. 

“A pimenta-rosa começou a ser pesquisada de fato como cultura agrícola, a partir do projeto Biomas/ Mata Atlântica, que fui coordenadora. Com esse projeto, foi possível a realização de atividades como os cursos, dias de campo e diversas outras, com os produtores rurais e parceiros. Pesquisamos o manejo dessa espécie, como cultivar, plantar, adubar, fazer poda e muito mais, a partir do projeto Biomas”, explicou Fabiana Ruas.  

Outros projetos de pesquisa e desenvolvimento sobre a pimenta-rosa estão sendo conduzidos em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O Banco de Projetos da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), com investimento da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), vai contratar o projeto Aroeira do Incaper, com o aporte de cerca de R$ 600 mil. O projeto está em fase de liberação de recurso para investimento de ações na cadeia produtiva da pimenta-rosa.

Confira a programação completa do 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa.

Fonte: Incaper

Últimas notícias

Lançamento da Ruraltures será nesta quinta-feira (07) em Venda Nova do Imigrante

Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem O Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau promoverá, amanhã ...

Sistema Cantareira opera em estado de alerta

Os últimos dias acenderam um alerta para o nível dos reservatórios que abastecem ...

Jovens agricultores participam de curso sobre formação de lideranças

Um dos pilares da Coordenadora Latino-americana e do Caribe de Pequenos Produtores e ...

Revista Negócio Rural vence prêmio de jornalismo de Pernambuco

O cooperativismo conecta pessoas e também histórias. Que similaridade poderia haver entre as ...

Serenata Italiana será no próximo sábado (09) em Venda Nova do Imigrante

Relembrar os costumes dos primeiros imigrantes italianos que chegaram em Venda Nova do ...